Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

O que é bronquiolite obliterante, sintomas, causas e como tratar

A bronquiolite obliterante é um tipo de doença pulmonar crônica em que as células do pulmão não conseguem se recuperar após uma inflamação ou infecção, havendo obstrução das vias respiratórias e causando dificuldade para respirar, tosse persistente e sensação de falta de ar, por exemplo.

Nestes casos, as células inflamadas do pulmão, em vez de serem substituídas por células novas, morrem e formam uma cicatriz, que dificulta a passagem de ar. Assim, caso surjam várias inflamações no pulmão ao longo do tempo, o número de cicatrizes aumenta e os pequenos canais do pulmão, conhecidos como bronquíolos, são destruídos, dificultando a respiração.

É importante que a bronquiolite obliterante seja identificada e tratada de acordo com a recomendação do médico, pois assim é possível evitar complicações e promover a qualidade de vida.

O que é bronquiolite obliterante, sintomas, causas e como tratar

Sintomas de bronquite obliterante

Na maior parte das vezes os sintomas iniciais da bronquiolite obliterante são semelhantes a qualquer outro problema pulmonar, incluindo:

  • Chiado ao respirar;
  • Sensação de falta de ar e dificuldade para respirar;
  • Tosse persistente;
  • Períodos de febre baixa até 38ºC;
  • Cansaço;
  • Dificuldade para se alimentar, no caso dos lactentes.

Estes sintomas geralmente aparecem e desaparecem ao longo de vários períodos que podem durar por semanas ou meses.

Principais causas

A bronquiolite obliterante acontece quando, devido a alguma situação, há reação inflamatória que resulta em infiltrado nos bronquíolos e nos alvéolos, promovendo a obstrução irreversível das vias aéreas. Na maioria dos casos esse tipo de bronquite está associado a infecções, principalmente pelo adenovírus. No entanto também pode acontecer como consequência da infecção por outros tipos de vírus, como o vírus da varicela ou do sarampo, ou bactérias como Mycoplasma pneumoniae, Legionella pneumophilia e Bordetella pertussis.

Apesar da maioria dos casos ser devido a infecção por microrganismos, a bronquiolite obliterante também pode acontecer devido a doenças do tecido conjuntivo, como consequência da inalação de substâncias tóxicas ou acontecer após transplante de medula óssea ou de pulmão.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico da bronquiolite obliterante deve ser feito pelo pneumologista pediátrico de acordo com os sinais e sintomas apresentados pela criança, além de exames que ajudam a identificar a causa da bronquite e a sua gravidade.

Assim, o médico pode recomendar a realização de raio X do tórax, tomografia computadorizada e cintilografia pulmonar, ajudando diferenciar a bronquiolite obliterante de outras doenças pulmonares mais comuns. No entanto, o diagnóstico definitivo só pode ser confirmado por biópsia pulmonar.

Como é feito o tratamento

O tratamento tem como objetivo melhorar a capacidade respiratória da criança e, para isso, o médico pode recomendar o uso de anti-inflamatórios orais ou inalados e broncodilatadores em spray, que diminuem a inflamação nos pulmões e reduzem a quantidade de muco, diminuindo as chances de surgimento de novas cicatrizes e facilitando a passagem de ar, além de poder ser recomendada a oxigenoterapia.

Pode ser recomendada também a realização de fisioterapia respiratória com o objetivo de mobilizar e facilitar a eliminação de secreções, prevenindo a ocorrência de outras infecções respiratórias. Entenda como é feita a fisioterapia respiratória.

No caso dos pacientes com bronquiolite obliterante apresentarem infecções no curso da doença, o médico pode recomendar o uso de antibióticos de acordo com o agente infeccioso responsável pelas crises e exacerbações

Bibliografia >

  • CASTRO-RODRIGUEZ, José A. et al. Postinfectious bronchiolitis obliterans in children: the S outh A merican contribution. Acta Paediatr. Vol 103. 9 ed; 913-921, 2014
  • LASMAR, Laura Maria L. B. F et al. Bronquiolite obliterante pós-infeccciosa: importância do diagnóstico precoce e da abordagem pediátrica. Rev Med Minas Gerais. Vol 20. 3 ed; 44-51, 2010
  • LINO, Carolina A. et al. Bronquiolite obliterante: perfil clínico e radiológico de crianças acompanhadas em ambulatório de referência. Rev Paul Pediatr. Vol 31. 1 ed; 10-16, 2013
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem