Bomba de insulina: como funciona e quando é indicada

fevereiro 2022

A bomba de insulina, ou bomba de infusão de insulina, é um pequeno aparelho computadorizado que libera insulina de forma contínua durante 24 horas e em doses muito precisas de acordo com as necessidades da pessoa, sendo indicado nos casos de diabetes tipo 1 ou tipo 2, pois funciona imitando o funcionamento do pâncreas.

Geralmente, a bomba de insulina utiliza insulina de ação rápida e/ou de ação curta, pois a bomba é programada para liberar pequenas quantidades de insulina ao longo do dia, continuamente para manter os níveis de açúcar no sangue dentro dos valores normais.

Este aparelho pode ser usado acoplado à cintura ou braço, e conectado ao corpo por uma pequena cânula com uma agulha flexível no abdômen e deve ser usado somente com indicação do endocrinologista. Além disso, seu uso deve ser orientado por um enfermeiro ou educador em diabetes.

Quando é indicada

A bomba de insulina é indicada para o tratamento da diabetes tipo 1 ou tipo 2, nos casos em que a produção de insulina pelo corpo não é suficiente para controlar os níveis de açúcar no sangue.

Desta forma, a bomba de insulina é indicada nas seguintes situações:

  • Dificuldade ou esquecimento de fazer aplicações de injeção de insulina; 
  • Controle inadequado dos níveis de glicose no sangue, mesmo usando injeções de insulina;
  • Grandes variações dos níveis de açúcar no sangue durante o dia;
  • Níveis de glicemia de jejum acima de 140 a 160 mg/dL;
  • Dificuldade de controle da glicemia noturna;
  • Crises de hipoglicemia frequentes ou graves;
  • Necessidade de ter uma maior qualidade de vida;
  • Diabetes gestacional;
  • Controle da diabetes em mulheres que desejam engravidar.

Essa bomba permite um melhor controle da glicemia, pois oferece um fluxo de insulina constante, em doses precisas, de forma que não é necessário utilizar as injeções de insulina durante o dia, sendo também uma opção mais confortável para o tratamento da diabetes.

Como funciona a bomba de insulina

A bomba de insulina computadorizada possui uma câmara que fornece insulina de forma contínua durante 24 horas através de um tubo flexível ou cânula, com um cateter inserido sob a pele do abdômen. Esse cateter deve ser substituído a cada 2 a 3 dias, e nos primeiros dias é normal sentir um pouco de desconforto na pele onde foi inserido. 

A bomba tem o tamanho aproximado de um celular e libera insulina de forma contínua e programada, como se fosse o pâncreas, permitindo um melhor controle do açúcar no sangue. No entanto, mesmo com o uso da bomba é importante verificar os níveis de glicose no sangue durante o dia, pelo menos 4 vezes no dia, ou conforme orientação do médico. 

Outra opção é usar uma bomba de insulina computadorizada com monitor de glicose, e neste caso, o aparelho faz a checagem dos níveis de açúcar no sangue 24 horas por dia e aciona um alarme quando os níveis de glicose estão muito baixos ou muito altos, baseado nos níveis normais de glicemia.

Antes de iniciar o uso da bomba de insulina, a pessoa deve receber um treinamento sobre como usar a bomba, feito por um enfermeiro ou educador em diabetes. 

Possíveis complicações

Algumas complicações podem ocorrer durante o uso da bomba de insulina como:

  • Hiperglicemia;
  • Hipoglicemia;
  • Cetoacidose diabética;
  • Infecção na pele, no local em que o cateter é inserido.

Além disso, outras situações como mau funcionamento da bomba, desconexão da cânula ou configuração incorreta da bomba, podem prejudicar a liberação da insulina, aumentando o risco de complicações. Por isso, é importante receber um treinamento antes de iniciar o uso da bomba de insulina, de forma a garantir seu bom funcionamento para receber a dose adequada de insulina.

Onde comprar a bomba de insulina

A bomba de insulina pode ser comprada diretamente com o fabricante que pode ser a Medtronic, a Roche ou Accu-Chek.

A bomba de infusão de insulina e os materiais podem ser fornecidos pelo SUS, no entanto, é necessário uma ação judicial com uma descrição detalhada da situação clínica do paciente e da necessidade do uso da bomba pelo médico e a prova de que o paciente não tem condições para a adquirir e manter o tratamento mensal.

Esta informação foi útil?

Atualizado e revisto clinicamente por Dr.ª Clarisse Bezerra - Médica de Saúde Familiar, em fevereiro de 2022.

Bibliografia

  • MAIA, Frederico Fernandes Ribeiro; ARAÚJO, Levimar Rocha. Uso da bomba de infusão de insulina no tratamento do Diabetes Mellitus tipo 1. Revista Médica de Minas Gerais. 13. 3; 194-199, 2003
  • NIMRI, R.; NIR, J.; PHILLIP, M. Insulin Pump Therapy. Am J Ther. 27. 1; e30-e41, 2020
Mostrar bibliografia completa
  • MINICUCCI, Walter José. Uso de Bomba de Infusão Subcutânea de Insulina e suas Indicações. Arq Bras Endrocrinol Metab. 52. 2; 340-348, 2008
Revisão médica:
Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
Formada em Medicina pelo Centro Universitário Christus e especialista em Saúde da Família pela Universidade Estácio de Sá. Registro CRM-CE nº 16976.