Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Principais sintomas e tratamento para bicho de olho

O bicho de olho, também conhecido como Loa Loa ou Loiasis, é uma infestação causada pela presença da larva Loa loa no interior do olho, provocando sintomas como irritação, dor, coceira e vermelhidão.

Geralmente, a larva é liberada quando a mosca da manga, muito comum em algumas regiões de África, morde repetidamente a pele, depositando ovos da larva no sangue. Dentro do corpo, a larva pode demorar até 5 meses para chegar na fase adulta, e, a partir daí, começa  a se espalhar por vários locais do corpo, especialmente em locais com tecido conjuntivo, como tendões e olhos.

O bicho de olho tem cura e, normalmente é necessário fazer o tratamento indicado pelo oftalmologista, que pode incluir o uso de colírios para aliviar os sintomas e comprimidos para eliminar as larvas do corpo.

Veja outras causas que podem deixar o olho doendo e vermelho, sem ser presença de larvas.

Principais sintomas e tratamento para bicho de olho

Principais sintomas

A infestação por Loa Loa normalmente não causa sintomas, especialmente em pessoas que vivem em regiões com a mosca, no entanto, quando afeta os olhos, algumas pessoas podem ter:

  • Visão embaçada;
  • Olho coçando ou doendo;
  • Vermelhidão no olho;
  • Presença de manchas escuras na visão;
  • Sensibilidade excessiva à luz.

Na maioria dos casos, o bicho de olho está presente em apenas um dos olhos e, por isso, não é necessário ter os sintomas nos dois olhos.

Além disso, a larva também pode ficar na pele e, nesses casos, é comum o surgimento de pequenos caroços, que não doem, nos braços e pernas, principalmente nas regiões próximas das articulações.

Nos casos mais avançados, quando o bicho de olho está muito desenvolvido, também pode ser observado na conjuntiva do olho, como mostram as imagens.

Como confirmar o diagnóstico

Na maior parte dos casos, a infestação com o bicho de olho pode ser identificada pelo oftalmologista apenas através da avaliação dos sintomas e exame detalhado do olho. Porém, em alguns casos, pode ainda ser pedido um exame de sangue para avaliar se existem anti-corpos contra a larva que provoca a doença, permitindo confirmar o diagnóstico.

Como é feito o tratamento

O tratamento deve ser sempre orientado pelo oftalmologista, uma vez que pode variar de acordo com o grau de desenvolvimento da larva e dos sintomas apresentados. Os remédios mais utilizados incluem:

  • Anti-inflamatórios, como flurbiprofeno ou diclofenaco: podem ser usados em forma de colírio ou comprimido para aliviar os sintomas de dor, vermelhidão e coceira;
  • Antiparasitários, como albendazol, tiabendazol ou mebendazol: são usados como comprimidos para eliminar as larvas do corpo;
  • Corticoides, como prednisolona ou hidrocortisona: geralmente são usados como colírio e permitem aliviar a coceira e outros sintomas.

Nos casos mais avançados, pode ainda ser recomendada a cirurgia para retirar as larvas do olho, especialmente as que estão mais superficiais. No entanto, a cirurgia não cura a doença e, por isso, os medicamentos devem ser mantidos de acordo com a indicação do médico.

Normalmente, o tratamento tem bons resultados e, por isso, a pessoa normalmente não fica com qualquer sequela. Porém, nos casos mais graves, pode surgir dificuldades de visão, mesmo depois do tratamento.

Como evitar pegar a larva

Uma vez que a larva Loa Loa se instala no corpo após a picada da mosca da manga, a melhor forma de evitar pegar a doença consiste em reduzir a exposição a esse tipo de mosca. Para isso, algumas dicas incluem:

  • Evitar ir em locais com lama, especialmente na sombra ou perto de rios;
  • Passar um repelente de insetos na pele;
  • Vestir blusa com manga comprida, para diminuir a quantidade de pele exposta;
  • Preferir usar calças em vez de short ou saia.

Geralmente, as moscas da manga estão mais ativas durante o dia e, dessa forma, estes cuidados devem ser mantidos principalmente enquanto o sol está brilhando.

Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar