Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Principais causas de Basófilos altos (Basofilia) e o que fazer

O aumento do número de basófilos recebe o nome de basofilia e é indicativo de que algum processo inflamatório ou alérgico, principalmente, está acontecendo no organismo, sendo importante que a concentração de basófilos no sangue seja interpretada juntamente com o resultado dos outros resultados do hemograma.

Não é necessário tratar os basófilos aumentados, mas sim a causa da basofilia. Por isso, é importante que seja investigada a causa do aumento e, assim, possa ser iniciado o tratamento adequado.

Os basófilos são células pertencentes ao sistema imunológico e que encontram-se em menores quantidades no sangue, sendo considerado normal quando sua concentração está entre 0 e 2% ou 0 - 200 /mm3, ou de acordo com o valor do laboratório. Quantidade de basófilo superior a 200/ mm3 é indicado como basofilia. Saiba mais sobre os basófilos.

Principais causas de Basófilos altos (Basofilia) e o que fazer

As principais causas de basofilia são:

1. Asma, sinusite e rinite

Asma, sinusite e rinite são as principais causas de basófilos altos, já que são responsáveis por intensos e prolongados processos alérgicos ou inflamatórios, o que estimula uma maior atividade do sistema imunológico, resultando não apenas no aumento dos basófilos, mas também dos eosinófilos e dos linfócitos.

O que fazer: Nesses casos é importante identificar a causa da sinusite e da rinite e evitar o contato, além de poder ser utilizado medicamentos anti-histamínicos para aliviar os sintomas. No caso da asma, é indicado, além de evitar a causa responsável pelo aparecimento dos sintomas, o uso de medicamentos que promovam a abertura dos brônquios pulmonares, facilitando a respiração.

2. Colite ulcerativa

A colite ulcerativa é uma doença inflamatória intestinal caracterizada pela presença de várias úlceras no intestino, o que causa bastante desconforto, cansaço e perda de peso, por exemplo. Como se trata de um processo inflamatório prolongado, é possível verificar no hemograma o aumento do número de basófilos.

O que fazer: É importante seguir o tratamento de acordo com as indicações do gastroenterologista, dando preferência a uma alimentação saudável e pobre em gordura, além de alguns medicamentos que ajudam a diminuir a inflamação, como a Sulfasalazina, Mesalazina e Corticoides, por exemplo.

Conheça mais sobre a colite ulcerativa e o seu tratamento.

3. Artrite

A artrite é caracterizada pela inflamação das articulações, o que leva a alterações no hemograma, incluindo o aumento do número de basófilos.

O que fazer: Em caso de artrite, é importante que seja feito o tratamento de acordo com a orientação do ortopedista, pois assim, além de normalizar os valores do hemograma, é possível combater os sintomas associados à artrite. Veja tudo sobre artrite.

4. Insuficiência Renal Crônica

É comum que na insuficiência renal crônica seja percebida aumento do número de basófilos, já que normalmente está associada com um processo inflamatório prolongado.

O que fazer: Nesse caso é recomendado seguir o tratamento indicado pelo médico para tratar a insuficiência renal, em que é normalmente indicado o uso de medicamentos para controlar os sintomas ou, em casos mais graves, pode ser indicada a realização de transplante renal. Entenda como é feito o tratamento para a Insuficiência Renal Crônica.

5. Anemia Hemolítica

A anemia hemolítica é caracterizada pela destruição das hemácias pelo próprio sistema imunológico, levando ao surgimento de sintomas como fraqueza, palidez e falta de apetite, por exemplo. Na tentativa de compensar a destruição das hemácias, a medula óssea passa a liberar células mais imaturas na corrente sanguínea, como os reticulócitos, por exemplo. Além disso, em alguns casos, o médico pode observar o aumento no número de basófilos, já que o sistema imune está mais ativo.

O que fazer: É importante que seja realizado o hemograma e outros exames laboratoriais para verificar que se trata de uma anemia hemolítica e não outro tipo de anemia. Caso seja confirmada a anemia hemolítica, o médico pode recomendar o uso de medicamentos que regulem a atividade do sistema imunológico, como Prednisona e Ciclosporina, por exemplo.

Veja como identificar e tratar a anemia hemolítica.

6. Doenças do sangue

Algumas doenças hematológicas, principalmente a Leucemia Mieloide Crônica, a Policitemia Vera, a Trombocitemia essencial e a Mielofibrose Primária, por exemplo, podem cursar com aumento do número de basófilos no sangue, além de outras alterações no hemograma.

O que fazer: Nesses casos, é importante que o diagnóstico seja feito pelo hematologista de acordo com o resultado do hemograma e de outros exames laboratoriais para que se possa iniciar o tratamento mais adequado de acordo com a doença hematológica.


Bibliografia

  • HOFFBRAND, A. V.; MOSS, P. A. H. Fundamentos em Hematologia. 6 ed. Porto Alegre: Artmed, 2013. 111; 121.
  • WU, Alan H. B. Tietz Clinical Guide to Laboratory Tests. 4 ed. Estados Unidos: Elsevier, 2006. 1193.
  • HUNDAROVA, Kristina. Avaliação da Influência das Contagens de Basófilos, Eosinófilos e Monócitos no Prognóstico da Mielofibrose Primária. Tese de Mestradp, 2017. Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra.
  • WORLD ALLERGY ORGANIZATION. Basophil, Eosinophil & Mast Cell Disorders in Allergic Disease. Link: <www.worldallergy.org>. Acesso em 28 Mai 2019
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto. Não lhe iremos responder directamente. Se quiser uma resposta clique em Contato.

Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem