Anfotericina B: para que serve e como usar

A anfotericina B é um antifúngico indicado para o tratamento de infecções fúngicas graves ou micose sistêmica, como candidíase disseminada, blastomicose ou criptococose, ou para o tratamento de febre em pessoas com neutropenia, quando não se conhece a causa a causa da febre.

Esse medicamento é de uso injetável que age impedindo o mecanismo de ação dos fungos, uma vez que altera a permeabilidade de sua membrana, diminuindo assim a probabilidade de complicação nas doenças fúngicas.

A anfotericina B pode ser encontrada em hospitais na forma de anfotericina B convencional (Anforicin B), complexo lipídico de anfotericina B (Abelcet) ou anfotericina B lipossomal (Ambisome) e deve ser aplicada na veia pelo enfermeiro, sob supervisão médica. Além disso, esse remédio pode ser encontrado em associação de tetraciclina + anfotericina B, na forma de pomada para uso vaginal.

Imagem ilustrativa número 1

Para que serve

A anfotericina B é indicada para o tratamento de infecções fúngicas graves ou micoses sistêmicas, como:

  • Candidíase disseminada;
  • Septicemia fúngica;
  • Criptococose ou meningite criptocócica;
  • Blastomicose norte-americana;
  • Coccidioidomicose e paracoccidioidomicose;
  • Aspergilose;
  • Histoplasmose;
  • Mucormicose ou fusariose;
  • Leishmaniose cutânea ou visceral;
  • Zigomicose.

Além disso, a anfotericina B pode ser indicada para o tratamento da neutropenia febril, quando pessoas com baios níveis de neutrófilos no sangue apresentam febre de origem desconhecida.

Esse remédio deve ser usado com indicação do infectologista em hospitais, sendo aplicado diretamente na veia pelo enfermeiro, nas doses e pelo tempo de tratamento determinado pelo médico.

Marque uma consulta com um infectologista na região mais próxima:

Cuidar da sua saúde nunca foi tão fácil!

Marque uma consulta com nossos Infectologistas e receba o cuidado personalizado que você merece.

Marcar consulta

Disponível em: São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Pernambuco, Bahia, Maranhão, Pará, Paraná, Sergipe e Ceará.

Foto de uma doutora e um doutor de braços cruzados esperando você para atender

Como usar

A anfotericina B convencional, anfotericina B lipossomal e a anfotericina B complexo lipídico devem ser usada por via intravenosa, ou seja, aplicada na veia pelo enfermeiro em hospitais, sob supervisão médica. Já a tetraciclina + anfotericina B creme vaginal, deve ser usada aplicando a pomada na vagina.

1. Anfotericina B convencional

A anfotericina B convencional (Anforicin B) é encontrada na forma de pó para ser reconstituído em água para injetáveis para obter uma solução de 5 mg/mL e depois adicionado em uma solução de glicose a 5%.

As doses da anfotericina B convencional para adultos variam de acordo com a condição a ser tratada e inclui:

  • Candidíase disseminada ou grave: as doses para adultos variam de e 0,4 a 0,6 mg/kg/dia, por 4 semanas ou mais, conforme orientação médica;
  • Criptococose: as doses para adultos são de 0,3 mg/kg/dia, por 4 a 6 semanas, ou durante 1 mês até que os exames de cultura sejam negativos. Em adultos imunossuprimidos ou com meningite criptocócica, doses maiores podem ser necessárias;
  • Coccidioidomicose: as doses variam de 1,0 até um máximo de 1,5 mg/kg/dia;
  • Blastomicose: as doses variam de 0,3 a 1 mg/kg/dia;
  • Histoplasmose: as doses recomendadas variam de 0,5 a 1 mg/kg/dia;
  • Esporotricose: a dose total é de até 2,5 g por um tempo de tratamento de até 9 meses;
  • Aspergilose: as doses variam de 0,5 a 1 mg/kg/dia ou conforme orientação médica;
  • Mucormicose rinocerebral: as doses variam de 0,7 a 1,5 mg/kg por dia.

As doses da anfotericina B devem sempre ser calculadas pelo médico, e para crianças as doses podem variar de 0,5 a 1 mg/kg uma vez ao dia.

2. Anfotericina B lipossomal

A anfotericina B lipossomal (Ambisome) também é encontrada na forma de pó para reconstituição em 12 mL água estéril para obter uma solução de 4 mg/mL, e depois ser diluído em soro glicosado a 5% para aplicação na veia.

As doses de anfotericina B lipossomal para o tratamento de infecções fúngicas sistêmica ou neutropenia febril em adultos são de 3 mg/kg de peso corporal por dia, por 14 a 15 dias de tratamento. No caso da leishmaniose visceral, as doses são de 1,0 a 1,5 mg/kg/dia durante 21 dias ou 3,0 mg/kg/dia durante 10 dias.

Para crianças, as doses também devem ser calculadas pelo médico de acordo com o peso e corporal.

3. Anfotericina B complexo lipídico

A anfotericina B complexo lipídico (Abelcet) é uma suspenção injetável de 5 mg/mL, em frascos de 10 mL, retirando-se a dose recomendada do frasco e em seguida, diluir em soro glicosado para aplicação na veia, utilizando o filtro de 5 µm fornecida na embalagem do produto.

As doses recomendadas para adultos e crianças são de 1,0 a 5,0 mg/kg/dia, em uma única infusão por dia a uma taxa de 2,5 mg/kg/h. O tempo de tratamento pode variar de 2 a 6 semanas, de acordo com a infecção e resposta ao tratamento.

As doses da anfotericina B complexo lipídico devem ser calculadas pelo médico, e podem variar de acordo com o tipo e gravidade da infecção.

4. Tetraciclina + anfotericina B

A tetraciclina + anfotericina B (Tericin AT) é uma pomada de uso tópico indicada para o tratamento de vulvovaginites e colpites, causadas por bactérias, Trichomonas vaginalis ou Candida albicans. Veja outras pomadas para candidíase.

Essa pomada deve ser introduzido profundamente no canal vaginal utilizando o aplicador fornecido na embalagem, de preferência à noite, durante um período de 7 a 10 dias, ou conforme orientação do ginecologista.

A tetraciclina + anfotericina B creme vaginal não deve ser usada durante a menstruação, porém não se deve interromper o tratamento se a menstruação descer.

Durante o tratamento também não se deve utilizar absorventes internos, duchas vaginais ou espermicidas.

Possíveis efeitos colaterais

Os efeitos colaterais mais comuns da anfotericina B injetável são náuseas, vômitos, febre, calafrios, diarreia, dor de estômago, perda do apetite, dor muscular ou nas articulações, tremor ou dor no local da aplicação.

Além disso, também podem ocorrer dor de cabeça, batimentos cardíacos acelerados, pressão alta ou baixa, vermelhidão facial, dificuldade para respirar ou falta de ar, insuficiência renal.

Embora seja raro, a anfotericina B também pode causar reações anafiláticas, que são tratadas imediatamente no hospital, uma vez que a injeção de anfotericina B é aplicada somente em ambiente hospitalar.

No caso da pomada de tetraciclina + anfotericina B, os efeitos colaterais que podem surgir são ardor e coceira vaginal.

Quem não deve usar

A anfotericina B não deve ser usada por pessoas que têm alergia a esse antifúngico ou qualquer componente da fórmula.

Além disso, durante a gravidez ou amamentação, a anfotericina B injetável deve ser usada somente se indicado pelo médico, após avaliação dos benefícios do tratamento para a mulher e possíveis riscos para o bebê.

No caso da anfotericina B lipossomal, por conter sacarose na sua composição, não deve ser usado por pessoas que tenham intolerância à frutose, má absorção de glicose-galactose ou insuficiência de sacarose-isomaltase.