Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.

Como escolher o melhor andador infantil

O andador infantil é conhecido por ser um aparelho que permite que os bebês aprendam a andar de forma mais rápida e se exercitem e no momento da sua escolha deve-se ter em conta o tipo de andador, ou seja, se é um andador de empurrar ou um andador em que o bebê se senta.

O andador de bebê mais indicado é aquele em que o bebê o empurra, sendo semelhante a um carrinho de compras, uma vez que não prejudica as articulações nem a postura ao mesmo tempo em que a criança anda.

Os andadores clássicos, em que o bebê fica sentado, são desaconselhados e de venda proibida em alguns estados, porque podem atrasar o desenvolvimento da criança e aumentar o risco de acidentes como quedas.

Como escolher o melhor andador infantil

Qual o melhor andador de bebê

O melhor andador para bebês é o que se empurra para frente, como se fosse um carrinho de supermercado, uma vez que permite dar confiança ao bebê para dar os primeiros passos, não prejudicando a postura dele ao andar.

Com o andador de empurrar, o bebê não consegue atingir as mesmas velocidades do que com o andador clássico e, por isso, o risco de acidente grave é menor.

O bebê pode começar a usar o andador por volta dos 9 meses, pois nessa idade já consegue se apoiar em alguns objetos para ficar em pé. No entanto, é importante que o uso do andador seja indicado pelo pediatra, uma vez que ele conhece o desenvolvimento do bebê, permitindo adequar o início do seu uso.

Como escolher o melhor andador infantil

Principais desvantagens do andador clássico

O andador clássico, ou seja, aquele em que o bebê fica sentado, pode ser prejudicial para o seu desenvolvimento, podendo colocar em risco a sua segurança. Os principais malefícios do andador clássico são:

  • O bebê aprende a andar de forma errada, uma vez que aprende a andar sentado;
  • A marcha pode ficar atrasada ou mais atrapalhada, porque o bebê consegue se deslocar de forma rápida e quando não está no andador tem dificuldade em andar da mesma forma;
  • O bebê não aprende a postura correta para caminhar, porque aprende a andar sentado e quando fica sem o apoio do andador clássico tem tendência a se inclinar;
  • Força errada ao pisar no chão, pois o bebê anda com as pontas dos pés e quando tenta andar sem o andador, a pisada tende a ser inclinada, podendo provocar dores nos pés;
  • Aumenta o risco de acidentes, porque o bebê pode aumentar a velocidade e bater com intensidade contra algum objeto, o que pode provocar uma lesão, como fraturas ou traumatismo craniano.

No entanto, é sempre importante que os pais estejam atentos a alterações no desenvolvimento do bebê, como não apresentar uma postura correta, andando inclinado ou não colocar completamente os pés no chão, sendo necessário consultar o pediatra para ser avaliado, uma vez que a criança pode ter algum problema nos ossos.

Como escolher o melhor andador infantil

Como ajudar o bebê a começar a andar

Normalmente, o bebê começa a dar os primeiros passos a partir dos 12 meses, sendo esperado que consiga andar bem e sozinho por volta dos 18 meses. No entanto, cada bebê tem seu próprio ritmo, e por isso, este tempo pode sofrer alterações, sendo importante a atenção dos pais para estar estimulando a criança.

Os pais podem ajudar a estimular o bebê a andar através de estratégias como dar confiança ao bebê estando perto dele nas suas tentativas de andar, oferecer apoio ao equilíbrio com uma das mãos e deixando-o no chão em local seguro e confortável.

Durante todo este momento, é importante que os pais transmitam calma e segurança ao bebê, além de deixá-lo explorar o espaço para que sinta segurança e confiança ao tentar andar. Veja 5 brincadeiras para estimular o bebê a andar sozinho.

Assista o vídeo e veja como estimular o bebê a andar:

Esta informação foi útil?

Sua opinião é importante! Escreva aqui como podemos melhorar o nosso texto:

Ficou alguma dúvida? Clique aqui para ser respondido.
Verifique o email de confirmação que lhe enviamos.

Bibliografia

  • LAMARE, Rinaldo. A vida do bebê. 42.ed. Rio de Janeiro : Agir Editora LTDA., 2009. 283-337p.
  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE NEUROLOGIA INFANTIL. Aprenda os sinais. Aja cedo.. 2019. Disponível em: <https://sbni.org.br/wp-content/uploads/2019/09/1568137484_livreto_alta.pdf>. Acesso em 18 Fev 2021
  • DGS. Saúde Infantil e Juvenil Programa Nacional. 2012. Disponível em: <https://www.spedp.pt/files/upload/noticias/3--pediatria-dgs-2012.pdf>. Acesso em 18 Fev 2021
  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA. Andador: perigoso e desnecessário. 2014. Disponível em: <https://www.sbp.com.br/imprensa/detalhe/nid/andador-perigoso-e-desnecessario/>. Acesso em 18 Fev 2021
  • ARSNORTE. Manual de Saúde Infantil e Juvenil. 2018. Disponível em: <http://www.arsnorte.min-saude.pt/wp-content/uploads/sites/3/2019/01/Manual_Saude_Infantil_Juvenil.pdf>. Acesso em 18 Fev 2021
  • BADIHIAN, Shervin; ADIHIAN, Negin; YAGHINI, Omid . The Effect of Baby Walker on Child Development: A Systematic Review. NCBI. 11. 4; 1-6, 2017
  • CRIANÇA SEGURA BRASIL. Andador infantil: 3 razões para nunca usar esse equipamento. Disponível em: <https://criancasegura.org.br/noticias/queda/andador-infantil-3-razoes-para-nunca-usar-esse-equipamento/>. Acesso em 18 Fev 2021
  • SOCIDADE GOIANA DE PEDIATRIA. Andador infantil: um perigo desnecessário. 2018. Disponível em: <https://www.sbp.com.br/filiada/goias/noticias/noticia/nid/andador-infantil-um-perigo-desnecessario/>. Acesso em 18 Fev 2021
  • PAULA, Jéssica; MÉLO, Tainá. Frequência, práticas e crenças familiares sobre uso de andadores infantis em Porto Amazonas/PR. Rev. Bras. Pesq. Saúde. 18. 3; 114-119, 2016
Mais sobre este assunto:

Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem