Ampicilina: para que serve, como usar e efeitos colaterais

abril 2020

A ampicilina é um antibiótico indicado para o tratamento de diversas infecções, do trato urinário, oral, respiratório, digestivo e biliar e ainda de algumas infecções locais ou sistêmicas causadas por microrganismos do grupo enterococos, Haemophilus, Proteus, Salmonella e E.coli.

Este medicamento está disponível em comprimidos de 500 mg e em suspensão, que podem ser comprados em farmácias, mediante a apresentação de receita médica.

Para que serve

A ampicilina é um antibiótico indicado para o tratamento de infecções urinárias, bucais, do trato respiratório, digestivo e biliar. Além disso, também está indicado para o tratamento de infecções locais ou sistêmicas causadas por germes do grupo enterococos, Haemophilus, Proteus, Salmonella e E.coli.

Como usar

A posologia da ampicilina deve ser determinada pelo médico de acordo com a gravidade da infecção. Porém, as doses recomendadas são as seguintes:

Adultos

  • Infeção das vias respiratórias: 250 mg a 500 mg a cada 6 horas;
  • Infecção do trato gastrintestinal: 500 mg a cada 6 horas;
  • Infecções genitais e urinárias: 500 mg a cada 6 horas;
  • Meningite bacteriana: 8 g a 14 g a cada 24 horas;
  • Gonorreia: 3,5 g de ampicilina, associada a 1 g de probenecida, que devem ser administradas simultaneamente.

Crianças

  • Infeção das vias respiratórias: 25-50 mg/kg/dia em doses iguais a cada 6 a 8 horas;
  • Infecção do trato gastrintestinal: 50-100 mg/kg/dia em doses iguais a cada 6 a 8 horas;
  • Infecções genitais e urinárias: 50-100 mg/kg/dia em doses iguais a cada 6 a 8 horas;
  • Meningite bacteriana: 100-200 mg/kg/dia.

Em infecções mais graves, o médico pode aumentar as doses ou prolongar o tratamento por várias semanas. É ainda recomendado que os pacientes continuem o tratamento por, pelo menos, 48 a 72 horas após cessarem todos os sintomas ou as culturas darem um resultado negativo.

Esclareça todas as suas dúvidas acerca dos antibióticos.

Quem não deve usar

A ampicilina não deve ser usada em pessoas com hipersensibilidade aos componentes da fórmula ou a outros remédios beta-lactâmicos.

Além disso, também não deve ser usado por grávidas ou por mulheres que estejam a amamentar, a não ser que seja recomendado pelo médico.

Possíveis efeitos colaterais

Alguns dos efeitos colaterais mais comuns que podem ocorrer durante o tratamento com a ampicilina são diarreia, náuseas, vômitos e surgimento de erupções cutâneas.

Além disso, embora seja menos frequente, pode ainda ocorrer dor epigástrica, urticária, coceira generalizada e reações alérgicas.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Equipe Editorial do Tua Saúde, em abril de 2020.

Bibliografia

  • SANDOZ. Ampicilina. 2016. Disponível em: <https://www.sandoz.com.br/sites/www.sandoz.com.br/files/PF-ampicilina.pdf>. Acesso em 09 abr 2020
Equipe editorial constituída por médicos e profissionais de saúde de diversas áreas como enfermagem, nutrição, fisioterapia, análises clínicas e farmácia.