Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Amaurose fugaz: o que é, principais causas e tratamento

Setembro 2020

A amaurose fugaz também conhecida por perda visual temporária ou transitória, é a perda, escurecimento ou embaçamento da visão que pode durar de segundos a minutos, podendo ser somente em um ou ambos os olhos. A razão pela qual isso acontece é a falta de sangue rico em oxigênio para região da cabeça e olhos.

No entanto a amaurose fugaz é apenas um sintoma de outras condições, que normalmente são o estresse e as crises de enxaqueca, por exemplo, mas que também pode estar associada a situações graves como a aterosclerose, tromboêmbolos e até um acidente vascular cerebral (AVC). 

Desta forma, o tratamento para a amaurose fugaz é feito por meio da eliminação do que a causa, e por isso, é importante procurar atendimento médico logo que o problema for percebido, para que o tratamento adequado seja iniciado e reduzido as chances de sequelas por falta de oxigenação nos tecidos. 

Amaurose fugaz: o que é, principais causas e tratamento

Possíveis causas

A principal causa da amaurose fugaz é a falta de sangue rico em oxigênio na região dos olhos, feito pela artéria chamada carótida e que neste caso não consegue levar a quantidade necessária de sangue oxigenado.

Normalmente, a amaurose fugaz acontece pela presença das seguintes condições:

  • Crises de enxaqueca;
  • Estresse;
  • Ataque de pânico;
  • Hemorragia vítrea;
  • Crise hipertensiva;
  • Neuropatia óptica isquêmica anterior;
  • Convulsões;
  • Isquemia vertebrobasilar;
  • Vasculite;
  • Arterite;
  • Aterosclerose;
  • Hipoglicemia;
  • Deficiência de vitamina B12;
  • Tabagismo;
  • Deficiência de tiamina;
  • Trauma na córnea;
  • Abuso de cocaína;
  • Infecções por toxoplasmose ou citomegalovírus;
  • Viscosidade plasmática elevada.

A amaurose fugaz é sempre temporária, e por isso a visão volta ao normal em poucos minutos, além de normalmente não deixar sequelas, porém é necessário que um médico seja procurado mesmo que a amaurose tenha durado poucos segundos, para que possa ser investigado o que a causou.

Em raros casos, a pessoa pode apresentar sintomas antes que a amaurose fugaz aconteça, mas quando acontece, são relatados dor leve e coceira nos olhos.

Como confirmar o diagnóstico 

O diagnóstico da amaurose fugaz é feito pelo clínico geral ou oftalmologista por meio do relato do paciente, exame físico que irá verificar se não existe nenhuma lesão causada por quedas ou pancadas, seguido por exame oftalmológico a fim de observar possíveis lesões oculares.

Também poderá ser necessário exames como hemograma completo, proteína C reativa (PCR), painel lipídico, nível de glicose no sangue, ecocardiograma e uma avaliação da circulação da veia carótida, que pode ser feito por doppler ou angiorressonância, para que possa ser confirmado o que causou a amaurose e desta forma iniciar o tratamento adequado. 

Como é feito o tratamento 

O tratamento para amaurose fugaz visa eliminar sua causa, e isso normalmente é feito com o uso de remédios como os antiagregante plaquetário, anti-hipertensivos e corticosteróides, além de reeducação alimentar e se necessário, exercícios para eliminar o excesso de peso e inicio da prática de técnicas de relaxamento.

No entanto, em casos mais graves onde a carótida está seriamente obstruída, seja por estenose, aterosclerose ou coágulos, poderá ser indicado a cirurgia de endarterectomia carotídea ou a angioplastia, para reduzir os riscos de um possível AVC. Veja como a angioplastia é feita e quais os riscos.

Bibliografia >

  • ANN NEUROL . Amaurosis fugax and ocular infarction in adolescents and young adults. 1989. Disponível em: <https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/2774503/>. Acesso em 21 Set 2020
  • STROKE. Spectrum of transient visual symptoms in a transient ischemic attack cohort. 2013. Disponível em: <https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/24178913/>. Acesso em 21 Set 2020
  • J NEUROL NEUROSURG PSYCHIATRY. Clinical features of transient monocular blindness and the likelihood of atherosclerotic lesions of the internal carotid artery. 2001. Disponível em: <https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/11459904/>. Acesso em 21 Set 2020
  • N ENGL J MED. Clinical and angiographic features of carotid transient ischemic attacks. 1977. Disponível em: <https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/834199/>. Acesso em 21 Set 2020
  • STATPEARLS . Amaurosis Fugax. 2020. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK470528/>. Acesso em 21 Set 2020
  • CLIN OPHTHALMOL. Amaurosis fugax: risk factors and prevalence of significant carotid stenosis. 2016. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5096748/>. Acesso em 21 Set 2020
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem