Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Saiba como identificar a alergia ao protetor solar e o que deve fazer

A alergia ao protetor solar é uma reação alérgica da pele, que pode causar sintomas como vermelhidão, coceira e urticária na pele e o seu tratamento pode ser feito com medicamentos anti-histamínicos ou corticoides, que podem ser encontrados em comprimidos ou xaropes.

A alergia ao protetor solar consiste em uma reação inflamatória a uma substância irritante do protetor solar e assim que os primeiros sintomas surgem, é importante que lave todas as regiões onde aplicou o produto com água abundante e com sabão com pH neutro e que passe um creme hidratante e calmante.

Se o bebê apresentar alergia ao protetor solar ficando com a pele toda vermelha e irritada deve-se levar a criança ao hospital o quanto antes. Entenda como escolher o melhor protetor solar para evitar alergia no bebê.

Sintomas da alergia ao protetor solar

Os sintomas de alergia podem surgir em adultos, crianças e até mesmo em bebês. Os principais sintomas surgem nas regiões da pele onde o protetor foi aplicado e incluem:

  • Coceira;
  • Vermelhidão;
  • Descamação e irritação;
  • Presença de manchas ou de bolinhas brancas ou avermelhadas.
Saiba como identificar a alergia ao protetor solar e o que deve fazer
Saiba como identificar a alergia ao protetor solar e o que deve fazer

Em casos mais graves e raros, a alergia ao protetor solar pode levar ao aparecimento de sintomas mais graves como dificuldade em respirar e sensação de algo preso na garganta.

O que fazer quando os primeiros sintomas aparecem

Se você identificar os sinais e sintomas de alergia ao protetor solar no bebê deve ligar para o pediatra ou ir ao médico o quanto antes porque o bebê pode até mesmo ficar internado.

Nas crianças maiores e nos adultos assim que os primeiros sintomas de alergia aparecem, é importante que tome medidas rapidamente, lavando com água abundante e sabão com pH neutro em todas as regiões onde aplicou o protetor solar. Após lavar, deve passar na pele produtos hipoalérgicos com agentes calmantes, como cremes ou loções com camomila, alfazema ou babosa por exemplo, para acalmar a irritação e manter a pele hidratada e cuidada.

Se após lavar e hidratar a pele, os sintomas não desaparecerem completamente após 2 horas ou se chegarem mesmo a piorar, é recomendado que consulte o médico dermatologista logo que possível para que este possa passar o tratamento recomendado para o seu caso.

Além disso, se os sintomas piorarem e se chegar a sentir dificuldade em respirar e sensação de algo preso na garganta, deve dirigir-se rapidamente para o pronto socorro, pois é sinal de que fez uma alergia grave ao protetor solar.

Tratamento da alergia ao protetor solar

O tratamento recomendada para a alergia ao protetor solar depende da gravidade dos sintomas apresentados e este pode ser feito com medicamentos anti-histamínicos como Loratadina ou Allegra por exemplo, ou com corticoides como a Betametasona, na forma de xarope ou comprimidos que servem para aliviar e tratar os sintomas da alergia.

Além disso, para diminuir a vermelhidão e a coceira na pele o médico pode também recomendar passar pomadas anti-histamínicas como Polaramine em creme, que ajudam a diminuir a vermelhidão e coceira na pele.

Diagnóstico

O diagnóstico da alergia ao protetor solar pode ser feito através da observação dos sintomas que aparecem na pele após a aplicação do produto e a confirmação do diagnóstico da alergia pode ser feita através de um teste de alergia, pedido pelo dermatologista. Este teste consiste em aplicar várias substâncias conhecidas por causar alergias em diferentes regiões da pele, deixando-as atuar durante cerca de 24 a 48 horas.

Após o tempo indicado, o médico irá então observar se o teste deu positivo ou negativo, observando se ocorreu vermelhidão, coceira ou bolhinhas na pele. Veja como é feito o teste de alergia em Teste de alergia.

Teste de alergia com gotasTeste de alergia com gotas
Teste de alergia com agulhasTeste de alergia com agulhas
Teste de alergia nas costasTeste de alergia nas costas

Caso o teste de alergia seja positivo e o médico observe algum sintoma, este poderá então inciar o tratamento adequado.

Como proteger a pele em caso de alergia ao protetor solar

A alergia ao protetor solar é um problema que não tem cura, porém existem algumas dicas e alternativas que podem ajudar proteger a pele de quem já teve alguma alergia, como:

  1. Testar outras marcas de filtro solar e experimentar usar protetor solar hipoalergênico;
  2. Não pegar sol nas horas de maior calor, entre as 10 horas e as 16 horas.
  3. Ir em lugares com muita sombra e passar o máximo tempo possível fora do sol;
  4. Vestir camisetas que protegem contra os raios solares e usar boné ou chapéu de aba larga;
  5. Comer mais alimentos ricos em betacaroteno, pois protegem a pele dos raios solares e prolongam o bronzeado.

Outra opção, é optar por usar o protetor solar bebível, um suco vitamínico que protege a pele dos danos causados pelos raios solares. Saiba mais em Como funciona o Protetor Solar para Beber

Todos estes cuidados são essenciais, pois ajudam a proteger a pele dos efeitos nocivos causados pelo sol, prevenindo o surgimento de manchas na pele ou câncer.

O que fazer para evitar a alergia ao protetor solar

Para evitar a alergia ao protetor solar, é importante fazer um pequeno teste antes de passar protetor em todo o corpo, sendo por isso recomendado que passe um pouco de protetor atrás das orelhas e que deixe atuar durante 12 horas sem lavar. Após esse tempo, se não tiver nenhuma reação, o protetor pode ser usado sem qualquer problema.

A alergia ao protetor solar é uma alergia que não é muito comum e que afeta na sua maioria bebês e crianças, sendo por isso recomendado que sejam usados apenas protetores solares apropriados para estas idades.

Mais sobre este assunto:


Carregando
...