Tremor essencial: o que é, sintomas, tratamento e diferença de Parkinson

O tremor essencial é uma alteração do sistema nervoso que causa o surgimento de tremores em qualquer parte do corpo, especialmente nas mãos e braços, quando se está a tentar fazer tarefas simples como utilizar um copo, escovar os dentes ou amarrar o cardaço, por exemplo.

Geralmente, este tipo de tremor não é um problema grave pois não é provocado por nenhuma outra doença, embora possa ser muitas vezes confundido com a doença de Parkinson, devido a seus sintomas semelhantes.

O tremor essencial não tem cura, uma vez que não são conhecidas suas causas específicas, no entanto os tremores podem ser controlados com o uso de alguns remédios, receitados pelo neurologista, ou por sessões fisioterapia para fortalecer os músculos.

Tremor essencial: o que é, sintomas, tratamento e diferença de Parkinson

Como identificar os sintomas

O tremor essencial pode acontecer em qualquer idade, no entanto é mais frequente em pessoas de meia idade, entre 40 e 50 anos. Os tremores são rítmicos e acontecem durante a realização de um movimento. Os primeiros sinais podem atingir apenas um dos lados do corpo mas, ao longo do tempo, é comum evoluir para os dois lados.

É mais comum de ser verificado o tremor nas mãos, braços, cabeça e pernas, mas também pode ser verificado na voz. Apesar de não ser considerado grave, o tremor essencial por trazer consequências para a qualidade de vida da pessoa, uma vez que pode interferir no convívio social ou no trabalho, por exemplo.

Qual a diferença para a doença de Parkinson?

A doença de Parkinson é uma das principais doenças neurológicas em que são verificados tremores, no entanto, diferentemente do tremor essencial, o tremor do Parkinson tende a surgir mesmo quando a pessoa está em repouso. Além disso, o Parkinson também provoca muitas outras alterações como mudança na postura, diminuição da velocidade dos movimentos e rigidez muscular, por exemplo.

Por outro lado, no tremor essencial os tremores acontecem quando a pessoa inicia o movimento, não provoca alterações no corpo e é mais comum de ser observada nas mãos, cabeça e voz.

A melhor forma de garantir que o tremor não se trata da doença de Parkinson é consultar um neurologista para fazer os exames necessários e diagnosticar a doença, iniciando o tratamento adequado. Veja como identificar o Parkinson.

Como é feito o tratamento

O tratamento para tremor essencial deve ser orientado por um neurologista e, normalmente, só é iniciado quando os tremores impedem a realização das tarefas diárias. Os tratamentos mais utilizados incluem:

  • Remédios para pressão alta, como propranolol, que ajudam a reduzir o surgimento de tremores;
  • Remédios para epilepsia, como Primidona, que aliviam os tremores quando os remédios para pressão alta não apresentam efeito;
  • Remédios ansiolíticos, como Clonazepam, que permitem aliviar os tremores que são agravados por situações de estresse e ansiedade;

​​​​​​Além disso, pode-se fazer injeção de botox em algumas raízes nervosas, com alivio dos tremores, quando a ação das medicações e o controle do estresse não são suficientes para reduzir os sintomas.

Quando é necessária fisioterapia

A fisioterapia está recomendada para todos os casos de tremor essencial, mas especialmente para os casos mais graves, em que os tremores dificultam a realização de algumas atividades diárias, como comer, apertar o cardaço dos sapatos ou pentear o cabelo, por exemplo.

Nas sessões de fisioterapia, o terapeuta, além de fazer exercícios para fortalecer os músculos, ainda ensina e treina diferentes técnicas para realizar as atividades que se tem dificuldade, podendo utilizar diferentes equipamentos adaptados.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • Vanderci Borges; Henrique Ballalai Ferraz. Tremores. Revista de Neurociencias. vol. 14, n.1. p. 43-47, 2006. Disponivel em:
  • Adolfo Vasconcelos de Albuquerque. Tremor Essencial. Revista de Neurociencias. Vol. 18, n.3. p. 401-405, 2010. Disponivel em:
Mais sobre este assunto: