Como curar a Bulimia sem engordar

O tratamento para bulimia que é a compulsão por alimentos e seguida de vômito deve envolver o paciente e sua família, incluindo psicoterapia, terapias de grupo, uso de medicamentos e reeducação alimentar orientada por um nutricionista, porque o maior medo e resistência ao tratamento é o medo de engordar a sensação de não conseguir parar de comer.

No início da bulimia, especialmente quando o paciente não se sente doente e acredita que induzir o vômito pode ajuda-lo a emagrecer, ele tenta esconder os sinais da doença e não consegue ver o mal que pode causar até que o vômito fique fora de controle impedindo inclusive que ele faça uma refeição inteira sem vomitar.

Por isso, importante que amigos e familiares estejam atentos aos sinais de alterações no comportamento alimentar no início do distúrbio, porque o tratamento para bulimia pode demorar semanas até fazer com que o paciente estabeleça uma relação mais saudável com os alimentos e a longo prazo é possível atingir a cura da doença.

Como curar a Bulimia sem engordar

A cura da bulimia, muitas vezes, exige um tratamento que envolve  a toma de anidepressivos, psicólogos e nutricionista.

Psicoterapia

O tratamento com Terapia Cognitiva Comportamental é a principal maneira de avaliar os sentimentos e aprender a pensar de outra maneira para enfrentar situações e sentimentos que possam estar relacionados à alimentação.

Além disso, as sessões de terapia também ser voltadas para entender as relações pessoais do paciente ou momentos difíceis como perdas de entes queridos ou grandes mudanças na vida pessoal ou profissional, com a finalidade de fortalecer os relacionamentos familiares e com amigos, que poderão dar apoio para superar a bulimia.

Porém, muitas vezes cuidados extras são necessários quando o paciente com bulimia apresenta sinais de propensão ao suicídio ou automutilação, podendo ser necessário ficar internado para prevenir maiores danos ao próprio corpo.

Medicamentos

O médico também pode prescrever medicamentos antidepressivos, como a Fluoxetina, para ajudar no controle emocional da doença.

Após 2 a 10 semanas de uso da medicação, é importante voltar ao médico para avaliar os efeitos do medicamento e ajustar a dose dada, lembrando que os antidepressivos estão contraindicados em casos de epilepsia, problemas no coração, rins ou fígado.

Acompanhamento nutricional

O acompanhamento nutricional é feito de forma a esclarecer dúvidas sobre alimentação e calorias dos alimentos, mostrando como fazer escolhas alimentares saudáveis para favorecer o controle ou a perda de peso sem colocar a saúde em risco, porque normalmente quem tem bulimia mantem um peso dentro do normal ou ligeiramente acima do seu peso ideal.

Assim, um plano alimentar é elaborado pelo nutricionista para fornecer todos os nutrientes essenciais ao bom funcionamento do organismo, respeitando as preferências e estilo de vida do pacientee calorias suficiente para não haver ganho de peso.

O tratamento da bulimia deve envolver profissionais de saúde, e forma a evitar complicações da bulimia quando a doença não é logo controlada.

Mais sobre este assunto: