Translucência nucal: o que é, para que serve, como é feita e resultado

Revisão médica: Drª. Sheila Sedicias
Ginecologista
agosto 2022

A translucência nucal é um exame realizado por meio do ultrassom que mede a quantidade de líquido na nuca do feto no final do primeiro trimestre da gravidez e que quando alterado indica um maior risco de malformações ou alterações genéticas, como onfalocele e a síndrome de Down.

Embora valores de translucência nucal superiores a 3.0 mm geralmente sejam considerados alterados, outros exames como a biópsia de vilo corial e a amniocentese podem ser indicados para confirmar o diagnóstico de alterações genéticas e malformações.

Assim, em caso de alteração na translucência nucal, é importante consultar um obstetra para uma avaliação detalhada e indicação dos exames mais adequados para confirmar o diagnóstico. 

Para que serve o exame

O exame de translucência nucal serve para indicar o risco de alterações genéticas e malformações como: 

  • Síndrome de Down;
  • Malformações cardíacas;
  • Síndrome de Patau;
  • Hérnia diafragmática;
  • Síndrome de Edward;
  • Síndrome de Noonan.

No entanto, para confirmar a presença de alterações no bebê, o obstetra pode indicar outros exames como a amniocentese ou biópsia de vilo corial. Veja o que é a amniocentese e como é feita.

Quando fazer a translucência nucal

O exame de translucência nucal deve ser feito entre as 11 e 13 semanas e 6 dias de gestação, quando o feto tem entre 45 a 84 mm. Conheça outros exames indicados no primeiro trimestre de gravidez.

Como é feito o exame

A translucência nucal é feita durante a realização do ultrassom comum da gravidez, em que são observadas as características e desenvolvimento do bebê e é feita a sua medição da cabeça até a nádega. Em seguida, é feita a verificação da quantidade de líquido presente na nuca através do mesmo método.

Valores de referência da translucência nucal

Medidas de translucência nucal superiores a 3.0 mm ou ao percentil 99 geralmente são consideradas anormais e podem indicar um maior risco de alterações genéticas ou malformações, no entanto, os valores de referência podem variar. Por isso, é importante que o resultado do exame seja avaliado pelo obstetra.

O que significa o resultado

O resultado da translucência nucal geralmente é considerado normal quando menos que 3.0 mm de líquido na nuca do feto é identificado por meio do ultrassom, e alterado quando um valor igual ou maior que este é encontrado.

No entanto, um resultado alterado indica apenas um risco maior de alterações genéticas e malformações e, por isso, é importante consultar um obstetra para uma avaliação e confirmar a presença das alterações. Neste caso, podem ser indicados exames como dosagem de hCG e alfa-fetoproteína ou amniocentese, que é feita a partir da coleta de uma amostra do líquido amniótico. 

Além da translucência nucal, a idade da mãe e o histórico familiar de alterações cromossômicas ou doenças genéticas também são importantes para avaliar o risco do bebê apresentar alguma alteração.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Jonathan Panoeiro - Neuropediatra, em agosto de 2022. Revisão médica por Drª. Sheila Sedicias - Ginecologista, em abril de 2019.

Bibliografia

  • CARLSON, Laura M; VORA, Neat L. Prenatal Diagnosis. Obstet Gynecol Clin North Am. Vol.44, n.2. 245–256, 2017
  • KELLEY, Joanne et al. Increased nuchal translucency after low‐risk noninvasive prenatal testing: What should we tell prospective parents?. Prenatal Diagnosis. Vol.41, n.10. 1305-1315, 2021
Mostrar bibliografia completa
  • STATPEARLS. Prenatal Genetic Screening. 2022. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK557702/>. Acesso em 08 ago 2022
Revisão médica:
Drª. Sheila Sedicias
Ginecologista
Médica mastologista e ginecologista formada pela Universidade Federal de Pernambuco, em 2008 com registro profissional no CRM PE 17459.