Tiaprida: para tratamento de psicoses

A Tiaprida é uma substância antipsicótica que bloqueia a ação do neurotransmissor dopamina, melhorando sintomas de agitação psicomotora e, sendo por isso, muito utilizada no tratamento de esquizofrenia e outras psicoses.

Além disso, pode ainda ser usada para tratar pacientes alcoólatras que apresentam inquietação durante a fase de abstinência.

Este medicamento pode ser comprado nas farmácias convencionais com o nome comercial de Tiapridal, sob apresentação de receita médica.

Tiaprida: para tratamento de psicoses

Preço

O preço da Tiaprida é de aproximadamente 20 reais, no entanto o valor pode variar de acordo com a forma de apresentação e o local de compra do medicamento.

Para que serve

Este remédio está indicado no tratamento de:

  • Esquizofrenia e outras psicoses;
  • Perturbações do comportamento em pacientes com demência ou abstinência alcoólica;
  • Movimentos musculares anormais ou involuntários;
  • Estados de agitação e agressividade.

No entanto, este medicamento também pode ser usado para outros problemas, desde que orientado por um médico.

Como tomar

A dose e o esquema de tratamento da Tiaprida devem ser sempre receitados por um médico, dependendo da gravidade e do tipo de problema a tratar. Porém, as recomendações gerais indicam:

  • Estados de agitação e agressividade: 200 a 300 mg por dia;
  • Pertubações de comportamento e casos de demência: 200 a 400 mg diariamente;
  • Abstinência alcoólica: 300 a 400 mg por dia, durante 1 a 2 meses;
  • Movimentos musculares anormais: 150 a 400 mg por dia.

Geralmente, a dose é iniciada com 50 mg de Tiaprida 2 vezes ao dia e aumentada gradualmente até atingir a quantidade necessária para controlar os sintomas.

Possíveis efeitos colaterais

Alguns dos efeitos colaterais mais comuns incluem tonturas, vertigens, dores de cabeça, tremores, espasmos musculares, sonolência, insônia, agitação, cansaço excessivo e perda de apetite, por exemplo.

Quem não deve usar

A tiaprida não deve ser usada em associação com levodopa, pacientes com feocromocitoma, pessoas com hipersensibilidade à substância ativa, nem em pessoas com tumores prolactino dependentes, como glândula pituitária ou câncer de mama.

Além disso, deve ser usada apenas com orientação do médico em pacientes com Parkinson, insuficiência renal e em mulheres grávidas ou a amamentar.

Esta informação foi útil?
Mais sobre este assunto: