Taquicardia: o que é, sintomas, causas e tratamento

agosto 2022
  1. Sintomas
  2. Tipos
  3. Diagnóstico
  4. Calculadora da frequência cardíaca
  5. Causas
  6. Tratamento

A taquicardia é o aumento da frequência cardíaca acima dos 100 batimentos por minuto, o que faz com que não exista bombeamento de sangue rico em oxigênio em quantidade satisfatória para o resto do corpo, causando sintomas como falta de ar, tontura, sensação de coração batendo muito rápido e cansaço, por exemplo.

O aumento da frequência cardíaca pode acontecer em situações normais do dia a dia, como durante a prática de atividade física intensa, após a ingestão de estimulantes, como cafeína ou guaraná, após um susto ou em situações de medo e estresse. No entanto, a taquicardia pode acontecer também como consequência de infecção, anemia, alterações na tireoide, coração ou pulmão, por exemplo.

Dessa forma, caso a taquicardia seja frequente e esteja associado a outros sintomas, é importante que o cardiologista seja consultado para que seja identificada a causa da taquicardia e, assim, seja iniciado o tratamento mais adequado, que pode envolver o uso de medicamentos ou cirurgia, nos casos mais graves.

Sintomas de taquicardia

Os principais sintomas de taquicardia são:

  • Sensação de coração batendo muito rápido, mesmo em repouso;
  • Tonturas e vertigens;
  • Sensação de desmaio;
  • Palpitações cardíacas;
  • Falta de ar e cansaço.

Normalmente os sintomas de taquicardia melhoram ao longo do tempo, no entanto caso sejam frequentes ou surjam outros sintomas como tosse seca e persistente, inchaço nas pernas e suor frio, por exemplo, é importante que o cardiologista seja consultado para que seja possível identificar a causa da taquicardia. Confira outros sintomas que podem indicar problemas cardíacos.

Tipos de taquicardia

A taquicardia pode ser classificada em alguns tipos, sendo os principais:

  • Taquicardia sinusal: é a que se origina no nó sinusal, que são células específicas do coração, responsáveis por gerarem o estímulo elétrico do coração;
  • Taquicardia ventricular: é a que se origina no ventrículo, que é a parte de baixo do coração;
  • Taquicardia atrial: é a que se origina no átrio, que se localiza na parte de cima do coração.

Apesar de existirem vários tipos de taquicardia, todas causam sintomas semelhantes, sendo, por isso, necessário realizar os exames indicados pelo cardiologista para identificar o tipo de taquicardia e, assim, ser possível iniciar o tratamento mais adequado.

Como é feito o diagnóstico

O diagnóstico da taquicardia é feito pelo cardiologista por meio da avaliação dos sintomas e da realização de alguns exames que avaliam dos batimentos e o funcionamento do coração. Assim, pode ser indicada a realização do eletrocardiograma, que avaliar o ritmo cardíaco, e o exame HOLTER de 24h, que avalia o ritmo do coração ao longo do dia.

O ecocardiograma pode ajudar na avaliação da estrutura e função do coração, que podem estar relacionados com a causa da alteração do batimento cardíaco. A ressonância pode ser também indicada em alguns casos para avaliar as áreas de fibrose, assim como o estudo eletrofisiológico para mapear as áreas de arritmia. Conheça mais sobre os exames que avaliam o coração.

Como saber a frequência cardíaca

Caso queira saber se a frequência cardíaca está normal, insira seus dados na calculadora a seguir:

Erro
anos
Erro
bpm
Erro

Principais causas

A taquicardia pode ser uma resposta normal do organismo a situações como:

  • Dor intensa;
  • Estresse ou ansiedade;
  • Ataques de pânico ou fobias;
  • Exercício físico intenso;
  • Emoções fortes, como susto, sensação de felicidade ou medo intenso;
  • Efeito secundário de alimentos ou bebidas, como chá, café, álcool ou chocolate;
  • Consumo de bebidas energéticas;
  • Uso de tabaco.

Apesar de ser frequentemente associada a situações normais do dia a dia, a taquicardia pode também ser sinal de doenças, podendo acontecer devido a:

  • Hipertireoidismo;
  • Pneumonia;
  • Insuficiência cardíaca;
  • Tromboembolismo pulmonar;
  • Aterosclerose;
  • Doenças inflamatórias ou degenerativas do coração;
  • Doença pulmonar crônica;
  • Ataque cardíaco.

Dessa forma, é fundamental consultar o médico quando a taquicardia é frequente ou está associada a outros sintomas, como dor no peito, formigamento do braço e dificuldade para respirar, por exemplo. Conheça outras situações que podem alterar a frequência cardíaca.

Como é feito o tratamento

O tratamento da taquicardia deve ser indicado pelo cardiologista e pode variar de acordo com o tipo de taquicardia e causa. Nos casos em que a taquicardia acontece como consequência de doenças sistêmicas, deve-se tratar, primeiramente, a causa.

Em alguns casos e tipos de taquicardia, pode ser necessário o uso de medicação antiarritmica, como a Amiodarona e a Propafenona, ou de medicação para controlar a frequência cardíaca, como os betabloqueadores (Atenolol, Metoprolol, Bisoprolol e Carvedilol), betabloqueadores dos canais de cálcio (Verapamil e Diltiazem) ou digitálicos (Digoxina).

Em alguns casos, pode ser necessária a realização de um procedimento conhecido como ablação ou queimagem do foco da arritmia.

Nos casos em que a taquicardia acontece devido a situações normais, como estresse, susto ou medo, por exemplo, é recomendado respirar fundo e colocar água fria no rosto, por exemplo, pois ajuda a acalmar e regular a frequência cardíaca. Além disso, tomar um chá com propriedades calmantes também pode ser uma boa opção para aliviar os sintomas de taquicardia nessas situações. Confira outras dicas para controlar a taquicardia.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Karla S. Leal - Nutricionista, em agosto de 2022. Revisão médica por Drª. Ana Luiza Lima - Cardiologista, em junho de 2022.

Bibliografia

  • HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA FACUDADE DE MEDICINA DE RIBEIRÃO PRETO. Taquiarritmias na Sala de Urgência. Disponível em: <https://www.hcrp.usp.br/revistaqualidade/uploads/Artigos/200/200.pdf>. Acesso em 07 jun 2021
  • TALLO, Fernando S.; JUNIOR, Roberto M.; VENDRAME, Letícia S. et al. Taquicardias supraventriculares na sala de emergência: uma revisão para o clínico. Rev Bras Clin Med. Vol 10. 6 ed; 508-512, 2012
Revisão médica:
Drª. Ana Luiza Lima
Cardiologista
Médica Cardiologista, formada pela Universidade Federal de Pernambuco, em 2008 com registro profissional nº CRM/PE – 16886. 

Tuasaude no Youtube

  • PNEUMONIA: os sintomas que você tem que conhecer

    08:37 | 14093 visualizações
  • Ansiedade ou infarto: como diferenciar os sintomas

    04:34 | 163315 visualizações