Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Stent

Stent é um pequeno tubo feito de uma malha de metal perfurado e expansível, que é colocado dentro de uma artéria, com objetivo de mantê-la aberta, evitando assim a diminuição do fluxo sanguíneo por entupimento.

Para que serve

O stent serve para abrir vasos que apresentam seu diâmetro reduzido, melhorando o fluxo de sangue e a quantidade de oxigênio que chega aos órgãos.

Geralmente, os Stents são utilizados nos casos de pacientes que apresentem doança coronariana como Infarto Agudo do Miocárdio ou angina Instável ou até mesmo, em casos de isquemia silenciosa, onde o paciente descobre que apresenta um vaso entupido através dos exames de check up. Esses stents são indicados em casos de lesões obstrutivas de mais de 70%. Podem ser também utilizados em outros locais como:

  • Artérias carótidas, coronárias e ilíacas;
  • Dutos biliares;
  • Esôfago;
  • Cólon;
  • Traqueia;
  • Pâncreas;
  • Duodeno;
  • Uretra.

Tipos de Stent

Os tipos de stents variam de acordo com a sua estrutura e a sua composição.

De acordo com estrutura, eles podem ser:

  • Stent farmacológico: são revestidos com medicamentos que serão lentamente liberados na artéria a fim de reduzir a formação de trombos em seu interior;
  • Stent revestido: previnem áreas enfraquecidas de se curvarem. Muito útil nos aneurismas;
  • Stent radioativo: emitem pequenas doses de radiação no vaso sanguíneo para reduzir o risco de acúmulo de tecido cicatricial;
  • Stent bioativo: são revestidos por substâncias naturais ou sintéticas;
  • Stent biodegradável: se dissolvem com o tempo, tendo a vantagem de poderem ser submetidos à ressonância magnética após serem dissolvidos.

De acordo com a estrutura, eles podem ser:

  • Stent em espiral: são flexíveis porém menos fortes;
  • Stent de bobina: são mais flexíveis, podendo se adaptar às curvas dos vasos sanguíneos;
  • Stent de malha: é uma mistura dos stents bobina e stents em espiral.

É importante realçar que o stent pode causar reestenose, quando ocorre novamente o estreitamento da artéria, sendo necessário, em alguns casos, o implante de outro stent dentro do stent que fechou.

Mais sobre este assunto:


Carregando
...