Cólica intestinal: sintomas, causas e como aliviar

Outubro 2021

A cólica intestinal é uma condição relativamente comum que acontece devido a contrações ou espasmos na musculatura dos intestinos, que podem ocorrer no pé da barriga, do lado direito ou esquerdo, gerando dor ou desconforto, e normalmente ocorre devido a excesso de gases, diarréia ou prisão de ventre.

Além disso, a cólica intestinal pode ser causada por intolerância alimentar, ou até mesmo por infecções no intestino, como a gastroenterite, ou doenças inflamatórias intestinais ou apendicite, por exemplo, e pode ser acompanhada de outros sintomas como náuseas, vômitos, sangue nas fezes ou cansaço excessivo.

A cólica intestinal pode desaparecer sem precisar de tratamento, sendo apenas aconselhado repousar, evitar comer alimentos gordurosos ou ricos em açúcar e beber muita água. No entanto, quando a cólica intestinal é muito intensa ou se mantém por mais de 2 dias, é recomendado procurar um clínico geral ou gastroenterologista para identificar a causa e iniciar o tratamento adequado.

Cólica intestinal: sintomas, causas e como aliviar

Principais sintomas

Os sintomas da cólica intestinal podem acontecer de forma leve a intensa, no pé da barriga, ou do lado direito ou esquerdo, causando dor ou desconforto, e pode ser acompanhada de outros sintomas como:

  • Excesso de gases;
  • Náuseas;
  • Vômitos;
  • Barriga inchada;
  • Cansaço excessivo;
  • Diarréia;
  • Muco ou sangue nas fezes;
  • Febre;
  • Perda de peso.

No caso da pessoa apresentar esses sintomas, é aconselhado consultar o gastroenterologista ou clínico geral para avaliar os sintomas, investigar a causa e iniciar o tratamento mais adequado. 

Possíveis causas

A cólica intestinal é normalmente causada por diarréia, prisão de ventre, excesso de gases ou intolerância alimentar à lactose ou glúten, por exemplo, ou até mesmo pelo consumo excessivo de alimentos que produzem gases como repolho, feijão ou refrigerantes.

No entanto, a cólica intestinal também pode ser causada por condições mais graves como infecção intestinal por vírus, bactérias ou parasitas, doença de Crohn, síndrome do intestino irritável, diverticulite, diverticulose, obstrução intestinal ou apendicite, por exemplo. 

Como aliviar

A cólica intestinal leve pode ser aliviada com medidas simples ou mudanças de hábito de vida como:

  • Repousar;
  • Manter hidratação oral com água ou soro caseiro, feito em casa ou comprado pronto na farmácia;
  • Usar bolsa de água quente na barriga;
  • Tomar um chá de camomila ou chá de hortelã-pimenta para ajudar a eliminar os gases intestinais. Veja outras opções de chás para gases e como preparar;
  • Evitar alimentos gordurosos ou ricos em açúcar;
  • Evitar alimentos que aumentam a produção de gases, como brócolis, repolho, feijão ou refrigerantes. Confira a lista completa de alimentos que causam gases

Além disso, nos casos de intolerância alimentar à lactose ou glúten, deve-se evitar o alimento associado com a intolerância, entretanto, em alguns casos é possível fazer a reposição da enzima em falta, conforme orientação do médico ou do nutricionista. 

Nos casos de cólica moderada ou intensa, que não melhora em 2 dias, ou que se inicia de forma repentina, deve-se consultar o clínico geral ou gastroenterologista para fazer o tratamento de acordo com o que causou a cólica intestinal, incluindo remédios antibióticos, probióticos ou antidepressivos, por exemplo.

Além disso, o médico pode indicar remédios para ajudar a aliviar a dor e desconforto, como antiespasmódicos ou analgésicos.

Quando ir ao médico

É importante buscar ajuda médica se a cólica intestinal não melhorar em 2 dias ou for intensa ou acompanhada de outros sintomas como:

  • Dor abdominal forte;
  • Febre igual ou superior a 38ºC;
  • Sangue nas fezes;
  • Vômitos persistentes.

É importante observar se a cólica intestinal ocorre somente do lado direito da barriga, pois pode indicar apendicite, que precisa de tratamento imediato, sendo indicado procurar o hospital ou o pronto socorro mais próximo. Saiba identificar os sintomas de apendicite

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • PARTTY, A.; RAUTAVA, S.; KALLIOMAKI, M. Probiotics on Pediatric Functional Gastrointestinal Disorders. Nutrients. 10. 12; 1836, 2018
  • INDRIO, F.; et al. Preventing and Treating Colic. Adv Exp Med Biol. 1125. 49-56, 2019
  • CHEY, William D.; et al. Irritable Bowel Syndrome A Clinical Review. JAMA. 313. 9; 949-958, 2015
  • SZILAGYI, A.; ISHAYEK, N. Lactose Intolerance, Dairy Avoidance, and Treatment Options. Nutrients. 10. 12; 1994, 2018
  • VEAUTHIER, B.; HORNECKER, J. R. Crohn's Disease: Diagnosis and Management. Am Fam Physician. 98. 11; 661-669, 2018
  • GRAVES, N. S. Acute gastroenteritis. Prim Care. 40. 3; 727-41, 2013
  • STRATE, L. L.; MORRIS, A. M. Epidemiology, Pathophysiology, and Treatment of Diverticulitis. Gastroenterology. 156. 5; 1282-1298.e1, 2019
  • KUPCINSKAS, J.; et al. Pathogenesis of Diverticulosis and Diverticular Disease. J Gastrointestin Liver Dis. 28. 4; 7-10, 2019
  • BHANGU, A.; et al. Acute appendicitis: modern understanding of pathogenesis, diagnosis, and management. Lancet. 386. 10000; 1278-1287, 2015
Mais sobre este assunto: