Histeria: o que é, sintomas e tratamento

A histeria é um termo que se refere a um conjunto de transtornos psiquiátricos que, de acordo com a sua origem, pode ser chamado de transtorno de somatização, desordem de conversão, transtorno dissociativo e personalidade múltipla, que compartilham sintomas que normalmente se manifestam em casos de extrema ansiedade, em que a pessoa tem dificuldade para controlar suas emoções e a forma como reage a elas.

Atualmente, o termo histeria tem sido pouco utilizado, uma vez que pode causar confusão no momento do diagnóstico, além de poder resultar em preconceito, o que pode agravar ainda mais os sintomas apresentados pela pessoa. O tratamento para a histeria deve ser feita com terapia com o objetivo de fazer com que a pessoa consiga controlar melhor os seus sentimentos e sentir-se relaxada, melhorando a sua qualidade de vida.

Histeria: o que é, sintomas e tratamento

Sintomas de histeria

Os sintomas de histeria costumam surgir mais facilmente durante períodos de estresse e ansiedade, sendo os principais:

  • Irritação fácil;
  • Insônia;
  • Dependência emocional;
  • Câimbras e sensação de peso nos braços e pernas;
  • Paralisias e dificuldade para movimentar os membros;
  • Aumento dos batimentos cardíacos;
  • Inchaço do pescoço;
  • Sensação de falta de ar;
  • Dor de cabeça frequente;
  • Desmaio;
  • Amnésia;
  • Tremores;
  • Tiques nervosos;
  • Sensação de bola na garganta;
  • Movimentos musculares violentos;
  • Ansiedade;
  • Alucinação;
  • Depressão.

Estes sintomas, assim como os traços de personalidade, embora sejam mais comuns em mulheres, também podem afetar homens que sofrem de ansiedade constante. Normalmente, os sintomas surgem em crises, que podem durar entre algumas horas, dias ou semanas.

Outras características comuns da personalidade da pessoa que sofre com histeria são a falta de vontade própria, necessidade excessiva de sentir amor e simpatia extrema, que pode variar com instabilidade emocional.

Principais causas

Os sintomas da histeria, na maioria dos casos, começam quando uma grande carga de afeto e de emoção fica reprimida, levando a um grande sentimento de culpa e ansiedade. Além disso, alguns fatores hereditários também podem estar envolvidos, uma vez que este distúrbio é mais comum dentro da mesma família.

A histeria também é mais frequente em pessoas que cresceram ou vivem em um ambiente familiar instável e de grande tensão, pois prejudica a capacidade para lidar com as emoções. Em casos mais raros, os sintomas de histeria podem surgir após a morte de alguém muito próximo.

Como é feito o tratamento

O tratamento para histeria tem como objetivo promover a qualidade de vida por meio do controle dos sintomas. Assim, os tratamentos mais frequentemente indicados são:

  • Psicoterapia, que é feita no consultório do psicólogo através de conversas que ajudam o paciente a encontrar formas de aliviar o estresse e a ansiedade sem desenvolver sintomas;
  • Fisioterapia, que ajuda a aliviar as consequências de alguns sintomas da histeria, como diminuição da força muscular devido a paralisias frequentes;
  • Remédios para ansiedade: alguns remédios como Alprazolam e Pregabalina podem ser prescritos por um psiquiatra para ajudar a aliviar a sensação constante de ansiedade, evitando crises de estresse que podem levar ao surgimento de sintomas de histeria.

Todas estas técnicas podem ser utilizadas em separado ou em combinação umas com as outras, dependendo dos sintomas do paciente e dos resultados alcançados.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • REINERT, Ana Puala P.; RÊGO, Rafisa M. L.; PIRES, Rômulo Cesar R.; SILVA, Vanalda C. Transtornos somatoformes (manifestações histéricas) em mulheres atendidas em hospital psiquiátrico de São Luís, Maranhão. Psicologia em Pesquisa. Vol 10. 2 ed; 93-101, 2016
  • ÁVILA, Lazslo Antônio; TERRA, João Ricardo. Histeria e somatização: o que mudou?. J Bras Psiquiatr. Vol 59. 4 ed; 333-340, 2010
Mais sobre este assunto: