7 principais sintomas de herpes genital

Julho 2020

O herpes genital é uma Infecção Sexualmente Transmissível (IST), anteriormente conhecida como Doença Sexualmente Transmissíveis, ou apenas DST, que é transmitida através da relação sexual desprotegida ao entrar em contato direto com o líquido liberado pelas bolhas formadas pelo vírus do Herpes encontradas na região genital da pessoa infectada, levando ao surgimento de sintomas como ardência, coceira, dor e desconforto na região genital.

Porém, antes das bolhas surgirem em alguns casos é possível identificar se vai ter algum episódio de herpes, pois surgem muitas vezes sintomas de aviso como infeção urinária com desconforto, ardência ou dor ao urinar ou coceira leve e sensibilidade em alguns locais da região genital. Estes sintomas de aviso, nem sempre acontecem, mas podem surgir horas ou mesmo dias antes das bolhas se formarem.

Clique para ver a imagem nítida
Herpes genital no homem

Principais Sintomas

Os sintomas de herpes genital surgem entre 10 a 15 dias após a relação sexual desprotegida com uma pessoa portadora do vírus. Os principais sintomas da doença são:

  1. Aparecimento de bolhas na região genital, que se rompem e são origem a pequenas feridas;
  2. Coceira e desconforto;
  3. Vermelhidão na região;
  4. Ardor ao urinar caso as bolhas estejam perto da uretra;
  5. Dor;
  6. Ardor e dor ao defecar, caso as bolhas estejam próximas do ânus;
  7. Ínguas na virilha;

Além destes sintomas, podem surgir outros sintomas mais gerais semelhantes aos da gripe como febre baixa, calafrios, dor de cabeça, mal estar geral, perda de apetite, dor muscular e cansaço, sendo estes mais comuns no primeiro episódio de herpes genital ou naqueles mais severos onde as bolhas surgem em grande quantidade, dispensando por grande parte da região dos genitais.

As feridas do herpes genital, além de poderem surgir no pênis e na na vulva, também podem surgir na vagina, região perianal ou ânus, uretra ou mesmo no colo do útero.

Como é feito o tratamento

O tratamento do herpes genital deve ser feito de acordo com a orientação do ginecologista, urologista ou clínico geral, sendo recomendo o uso de medicamentos antivirais como Aciclovir ou Valaciclovir em comprimidos ou pomadas, para aliviar os sintomas, prevenir complicações, diminuir a taxa de replicação do vírus no corpo e, consequentemente, diminuir o risco de transmissão para outras pessoas.

Além disso, como as bolhas do herpes na região genital podem ser bem dolorosas, para ajudar a passar pelo episódio o médico pode também recomendar a utilização de pomadas ou géis anestésicos locais, como Lidocaína ou Xilocaína, que ajudam a hidratar a pele e anestesiar a zona afetada, aliviando assim a dor e desconforto. Entenda como é feito o tratamento para herpes genital.

Como o vírus não consegue ser completamente eliminado do organismo, é importante que a pessoa lave bem as mãos, não fure as bolhas e use camisinha em todas as relações sexuais, pois assim é possível evitar a contaminação de outras pessoas.

Diagnóstico do Herpes Genital

O diagnóstico do herpes genital é feito pelo médico através da avaliação dos sintomas apresentados, sendo sugestivo de herpes o aparecimento de bolhas e feridas que coçam e doem na região genital. Para que seja confirmado o diagnóstico, o médico pode solicitar a realização de sorologia para identificação do vírus ou raspagem da ferida para que seja analisada em laboratório. Saiba mais sobre o herpes genital.

Informação do autor
Drª. Sheila Sedicias
Ginecologista

Médica mastologista e ginecologista formada pela Universidade Federal de Pernambuco, em 2008 com registro profissional no CRM PE 17459.

Bibliografia >

  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE INFECTOLOGIA. Herpes Simples. Disponível em: <https://www.infectologia.org.br/pg/985/herpes-simples>. Acesso em 28 Jun 2019
  • DIVE - DIRETORIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA. Herpes Genital. Disponível em: <http://www.dive.sc.gov.br/index.php/d-a/item/herpes-genital>. Acesso em 28 Jun 2019
  • PENELLO, Angelo M. et al. Herpes Genital. J bras Doenças Sex Transm. Vol.22(2). 64-72, 2010
Esta informação foi útil?   

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Fechar
Obrigado pela sua mensagem.
Enviamos para si um email por favor siga as instruções que nele lhe enviamos para que possamos responder à sua questão.

Artigos Relacionados

Populares de Vida Íntima