Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Como funcionam os remédios para atrasar a puberdade

Os remédios que atrasam a puberdade são substâncias que influenciam o funcionamento da hipófise, impedindo a liberação de LH e FSH, dois hormônios muito importantes para o desenvolvimento sexual das crianças.

Na maioria das vezes, estes medicamentos são usados em casos de puberdade precoce, para atrasar o processo e permitir que a criança se desenvolva no mesmo ritmo de seus amigos. No entanto, também podem ser usados em casos de disforia de gênero, na qual a criança não se sente feliz com o gênero que nasceu, dando mais tempo para que explore o seu gênero antes de tomar uma decisão drástica e definitiva como a mudança de sexo, por exemplo.

Como funcionam os remédios para atrasar a puberdade

Como funcionam os medicamentos

Estes remédios impedem que a hipófise produza dois hormônios, conhecidos como LH e FSH, que são responsáveis por estimular, nos meninos, os testículos a produzir testosterona e, nas meninas, os ovários a produzir estrogênios:

  • Testosterona: é o principal hormônio sexual masculino, que é produzido desde aproximadamente os 11 anos de idade até aos 18, e que tem o papel de provocar o crescimento de pêlos, desenvolvimento do pênis e alterações na voz;
  • Estrogênio: é conhecido como o hormônio feminino que começa a ser produzido em maior quantidade por volta dos 10 anos, para estimular o crescimento das mamas, distribuir o acúmulo de gordura para criar uma forma corporal mais feminina e iniciar o ciclo menstrual.

Assim, ao diminuir a quantidade destes hormônios sexuais no corpo, estes medicamentos são capazes de atrasar todas as alterações típicas da puberdade, impedindo que o processo aconteça.

Quais os medicamentos mais utilizados

Um dos remédios mais utilizados é a Leuprolida, também conhecida Leuprorrelina, que é administrada em forma de injeção, mensalmente ou a cada 3 meses. No entanto, outra opção, é a Histrelina, que geralmente é administrada como um implante colocado debaixo da pele por até 12 meses.

Quando este remédios são interrompidos, a produção de hormônios volta ao normal e o processo de puberdade é iniciado rapidamente.

Possíveis efeitos colaterais

Por afetar a produção de hormônios, este tipo de medicamentos pode ter alguns efeitos colaterais no organismo como provocar alterações bruscas do humor, dores nas articulações, sensação de falta de ar, tonturas, dor de cabeça, fraqueza e dor generalizada.

Mais sobre este assunto:


Carregando
...