6 remédios caseiros para memória (e como preparar)

Revisão clínica: Manuel Reis
Enfermeiro
fevereiro 2022

Alguns remédios caseiros como o chá de Ginkgo biloba ou de açafrão, são ótimas opções naturais para melhorar a saúde cerebral e manter a memória. Estes chás possuem substâncias antioxidantes, estimulantes e neuroprotetoras que ajudam a prevenir os danos dos radicais livres nos neurônios, além de melhorar a circulação sanguínea no cérebro, o que melhora a memória e concentração.

Os remédios caseiros podem ser utilizados por quem deseja manter o cérebro saudável ao longo do envelhecimento, mas também podem ser usados para completar o tratamento médico, nos casos em que a perda de memória é causada por outras condições, como ansiedade, depressão ou estresse. Nesses casos, o importante é sempre avisar o médico antes de iniciar seu uso. Confira as principais causas de perda de memória e seu tratamento.

Além dos remédios caseiros para memória, é importante consumir alimentos ricos em ômega 3, vitamina B6 e B12, como salmão, fígado ou abacate, porque ajudam a proteger as células cerebrais garantindo o bom funcionamento do cérebro. Veja os principais alimentos bons para a memória.

Algumas opções de remédios caseiros para memória são:

1. Chá de Ginkgo biloba

O chá de Ginkgo biloba é rico em flavonóides e ginkgolídeos, com ação antioxidante e vasodilatadora, que ajudam a melhorar a circulação sanguínea no cérebro, reduzir a viscosidade sanguínea e diminuir os danos causados pelos radicais livres nos neurônios.

Ingredientes

  • 1 colher (de sopa) de folhas secas de Ginkgo biloba;
  • 1 xícara de água.

Modo de preparo

Ferver as folhas secas de Ginkgo biloba com a água durante 1 minuto. Deixar descansar por 5 minutos e beber de 3 a 4 xícaras por dia. 

O chá de Ginkgo biloba não deve ser usado por crianças com menos de 12 anos, mulheres grávidas ou em amamentação ou por pessoas com elevado risco de hemorragia ou com algum sangramento ativo.

Outra forma de consumir o Ginkgo biloba é utilizar o suplemento na forma de cápsulas que podem ser comprado em farmácias ou drogarias. Veja como tomar o suplemento de Ginkgo biloba.

2. Chá de alecrim

O chá de alecrim, preparado com a planta medicinal Rosmarinus officinalis, é rico em substâncias como ácido rosmarínico, ácido carnósico e óleos essenciais, com propriedades anti-inflamatórias, antioxidantes e neuroprotetoras, que podem ajudar a melhorar a memória, aumentar a concentração, a rapidez de pensamento e a capacidade de aprendizado.

Além disso, devido às suas propriedades, esse chá pode auxiliar no tratamento de algumas condições que podem afetar a memória, como depressão, estresse, ansiedade ou doença de Alzheimer, por exemplo. No entanto, ainda são necessários mais estudos que comprovem essa eficácia.

Ingredientes

  • 1 colher (de chá) de folhas frescas de alecrim;
  • 250 mL de água fervente.

Modo de preparo

Adicionar as folhas de alecrim, à água fervente, tampar e deixar repousar por 5 a 10 minutos. Coar, deixar amornar e tomar de 3 a 4 vezes por dia.

O chá de alecrim não deve ser consumido por crianças com menos de 5 anos, mulheres grávidas ou em amamentação, ou por pessoas que tenham doenças no fígado, pois esse chá pode piorar os sintomas e a doença.

Além disso, o chá de alecrim pode interagir com alguns medicamentos, como anticoagulantes, diuréticos, lítio e medicamentos para diabetes ou para regular a pressão arterial, e, por isso, caso se esteja fazendo uso de algum desses medicamentos é importante consultar o médico antes de tomar o chá.

3. Chá de açafrão

O chá de açafrão possui propriedades antioxidantes que ajudam a reduzir os danos causados pelos radicais livres nos neurônios, além de aumentar os níveis de acetilcolina, um neurotransmissor importante para a memória.

Além disso, o açafrão tem propriedades anti-inflamatórias que reduzem a produção de substâncias inflamatórias e tóxicas para os neurônios, o que pode ajudar a melhorar a memória. Entretanto, ainda são necessários mais estudos que comprovem esse benefício. Veja outros benefícios do açafrão para a saúde

Ingredientes

  • 100 mg 1 colher (de chá) de filamentos de açafrão;
  • 500 mL de água fervente.

Modo de preparo

Adicionar os filamentos do açafrão na água fervente. Tampar e deixar repousar por 5 a 10 minutos. Coar, esperar amornar e beber 1 xícara do chá de açafrão, 1 vez por dia.

Como o chá de açafrão tem um sabor ligeiramente amargo, pode-se adicionar outros ingredientes, como canela, gengibre ou mel, para disfarçar o sabor amargo e tornar mais agradável o seu consumo.

O chá de açafrão não deve ser usado por mulheres em período de amamentação ou grávidas, já que pode promover as contrações do útero, aumentando o risco de aborto ou hemorragia. 

4. Chá de catuaba

O chá de catuaba é rica em alcalóides com ação antioxidante, estimulante e vasodilatadora, que ajudam a melhor a comunicação entre o s neurônios e a circulação sanguínea no cérebro, sendo uma boa opção de remédio caseiro para memória.

Além disso, devido suas propriedades estimulantes, a catuaba ajuda a combater o cansaço mental e a dificuldade de raciocínio e atenção.

Ingredientes

  • 2 colheres (sopa) de casca de catuaba;
  • ½ litro de água.

Modo de preparo

Colocar os ingredientes numa panela e deixar ferver por alguns minutos. Em seguida, apagar o fogo e deixar esfriar. Beber 1 xícara desse chá até 2 vezes ao dia.

O chá de catuaba não deve ser usado por grávidas, crianças menores de 12 anos e pessoas com glaucoma ou problemas cardíacos.

5. Chá de ginseng

O chá de ginseng, preparado com a planta medicinal Panax ginseng, é rico em ginecosídeos, alcalóides e polifenóis, com ação antioxidante, que protegem os neurônios dos danos causados pelos radicais livres, melhorando o funcionamento cerebral, a memória e a concentração.

Além disso, o ginseng aumenta o fluxo sanguíneo cerebral, melhorando o transporte de oxigênio para as células, além de ter ação energizante combatendo o cansaço físico e mental que podem prejudicar a memória e a cognição.

Ingredientes

  • 2 g ou 1 colher (de sopa) de ginseng em pó;
  • 300 mL de água.

Modo de preparo

Adicionar o pó de ginseng na água e ferver. Em seguida, desligar o fogo, deixar repousar por cerca de 10 minutos, esperar amornar e beber. Este chá pode ser bebido de 3 a 4 vezes por dia.

A dose máxima de ginseng é de 5 g a 8 g por dia, desta forma, não deve-se ultrapassar a quantidade de 4 xícaras por dia, pois pode causar efeitos colaterais como agitação, irritabilidade, confusão mental e insônia.

O chá de ginseng não deve ser usado por crianças com menos de 12 anos de idade, em caso de gravidez ou amamentação, por pessoas que estejam tomando remédios para depressão, contra diabetes, se tiver doença cardíaca ou asma.

6. Chá verde

Alguns estudos [1,2,3] mostram que o chá verde, feito da planta Camellia sinensis, possui compostos fenólicos na sua composição, especialmente  epigalocatequina, que tem propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes, que ajudam a melhorar o funcionamento cerebral, aumentando a interação entre diferentes áreas no cérebro, resultando em uma melhor capacidade de memória e atenção. 

O chá verde pode ser utilizado na forma de chá, infusão ou extrato natural, e deve ser utilizado com orientação médica pois o uso em excesso pode prejudicar o fígado.

Ingredientes

  • 1 colher (de chá) de folhas de chá verde ou 1 sachê de chá verde;
  • 1 xícara de água fervente.

Modo de preparo

Adicionar as folhas ou o sachê de chá verde na xícara com água fervente e deixar repousar por 10 minutos. Coar ou retirar o sachê e beber em seguida. Este chá pode ser consumido de 3 a 4 vezes ao dia, ou conforme orientação médica.

O chá verde não deve ser consumido por crianças, mulheres grávidas ou que estejam amamentando, por pessoas que têm insônia, hipertireoidismo, gastrite ou hipertensão arterial. Além disso, por conter cafeína na sua composição, deve-se evitar tomar este chá no fim do dia ou em quantidade superior à recomendada.

Assista também o vídeo a seguir com dicas de alimentos que ajudam a melhorar a memória:

Esta informação foi útil?

Atualizado e revisto clinicamente por Manuel Reis - Enfermeiro, em fevereiro de 2022.

Bibliografia

  • SCHMIDT, A.; et al. Green tea extract enhances parieto-frontal connectivity during working memory processing. Psychopharmacology. 231. 3879–3888; 2014
  • LIU, Y.; et al. The Effects of Green Tea Extract on Working Memory in Healthy Women. J Nutr Health Aging. 22. 3; 446-450, 2018
Mostrar bibliografia completa
  • KAUR, t.; et al. Effects of green tea extract on learning, memory, behavior and acetylcholinesterase activity in young and old male rats. Brain and Cognition. 67. 1; 25-30, 2008
  • LEONE, S.; et al. Phytotherapic use of the Crocus sativus L. (Saffron) and its potential applications: A brief overview. Phytotherapy Research. 1-12, 2018
  • FEREIDOONI, F.; et al. Protective effects of ginseng on memory and learning and prevention of hippocampal oxidative damage in streptozotocin-induced Alzheimer's in a rat model. Neurology, Psychiatry and Brain Research. 37. 116-122, 2020
  • FIELD, B. H.; VADNAL, R. Ginkgo biloba and Memory: An Overview. Nutr Neurosci. 1. 4; 255-67, 1998
  • NEMATOLAHI, P.; et al. Effects of Rosmarinus officinalis L. on memory performance, anxiety, depression, and sleep quality in university students: A randomized clinical trial. Complementary Therapies in Clinical Practice. 30. 24-28, 2018
Revisão clínica:
Manuel Reis
Enfermeiro
Pós-graduado em fitoterapia clínica e formado pela Escola Superior de Enfermagem do Porto, em 2013. Membro nº 79026 da Ordem dos Enfermeiros.

Tuasaude no Youtube

  • 7 Dicas para Aumentar a Capacidade do Cérebro

    01:41 | 296617 visualizações