Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.

QI: o que é, para que serve e como aumentar

O QI, ou quociente de inteligência, é uma escala que ajuda a avaliar, e comparar, a habilidade de diferentes pessoas em algumas áreas do pensamento, como matemática básica, raciocínio ou lógica, por exemplo.

O valor de QI pode ser obtido através da realização de testes que avaliam apenas uma dessas áreas ou várias. Isso significa que, o valor obtido num determinado teste de QI não é considerado uma medida absoluta da inteligência, servindo apenas para comparar as pessoas que fizeram esse mesmo teste e que avaliaram as mesmas áreas do pensamento.

Teste online de QI

Faça o nosso teste online de QI, baseado no teste de matrizes de Raven, que pode ser feito por adultos e crianças com mais dos 12 anos:

40:00
Questão: 1/40

Teste o seu QI agora!

Começar o teste
Imagem ilustrativa do questionário
Imagem ilustrativa da questão
Idade:
  • Tenho mais de 22 anos
  • Entre 20 e 21 anos
  • 19 anos
  • 18 anos
  • Entre 15 e 16 anos
  • Entre 13 e 14 anos
  • 12 anos
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Selecione a resposta:
Anterior Próxima

Este é um dos testes de QI mais completos, que avalia várias áreas cerebrais através de um processo de pensamento conhecido como "raciocínio abstrato".

Para que serve o QI

A principal vantagem de saber o QI consiste em perceber o grau de facilidade que a pessoa tem para aprender coisas novas ou para desempenhar uma determinada função. Isto é, pessoas com um QI mais alto geralmente precisam de menos informação para aprender algo novo ou são mais adequadas para desempenhar uma função, enquanto pessoas com um QI menor precisam de mais tempo e de informação mais detalhada.

A avaliação do QI pode, por isso, ser uma boa ferramenta para aplicar nas crianças, já que fornece dados importantes para saber quais são as crianças que precisam de maior atenção durante o processo de aprendizado, por exemplo.

O QI também pode ser aplicado em adultos e geralmente é feito para avaliar a capacidade de cada pessoa dentro de um grupo, de forma a identificar aquelas que apresentam habilidades de pensamento mais adequadas para realizar uma determinada tarefa.

QI ajuda a prever o sucesso?

Embora o QI seja muitas vezes visto como uma forma de avaliar a capacidade de sucesso de alguém, a verdade é que o QI não é o único preditor do sucesso. Isso porque pessoas bem sucedidas precisam de outras capacidades que não são avaliadas com os testes de QI, como ambição, persistência ou sentido de oportunidade.

Além disso, uma pessoa que tenha um QI elevado para lógica, por exemplo, pode não ter sucesso se precisar realizar tarefas relacionadas a outras áreas do pensamento. É por esse motivo que os testes de QI devem ser sempre adaptados de acordo com as habilidades que se pretende avaliar.

Como medir o QI

O valor de QI é medido através de testes que apresentam um conjunto de perguntas e que permitem avaliar diferentes áreas do pensamento. Existem testes que podem avaliar apenas uma habilidade do pensamento, enquanto outros avaliam várias. Quanto mais áreas forem incluídas no teste, maiores são as chances de obter um resultado próximo da verdadeira capacidade mental de cada pessoa.

Porém, não existe um teste que seja 100% capaz de avaliar a inteligência de alguém, já que se tornaria extremamente extenso e demorado. Além disso, seria praticamente impossível que um só teste tivesse em consideração todos os fatores que podem acabar influenciando o resultado e que não estão diretamente relacionados com o processo de pensamento.

É possível aumentar o QI?

O valor de QI avaliado por este teste está dependente do raciocínio abstrato de cada pessoa. Assim, para aumentar o QI é preciso estimular e treinar esse tipo de raciocínio. Algumas tarefas que podem ajudar são:

  • Praticar cálculo mental, ou seja, sem ajuda de calculadora;
  • Participar em debates e discussões;
  • Estudar novos temas;
  • Procurar por falhas de lógica em filmes, seriados ou livros.

Embora o QI esteja muito relacionado com questões genéticas, existem vários estudos que indicam que também pode ser influenciado pelo estilo de vida de cada pessoa. Por exemplo, ter um emprego desafiador, estudar novos temas ou praticar artes, como música ou pintura, podem ajudar a ter um QI mais elevado.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • KOVACS, Kristof; CONWAY, Andrew R. A.. What Is IQ? Life Beyond “General Intelligence”. Association for Psychological Science. 1-6, 2019
  • SCIENCE NEWS FOR STUDENTS. What is IQ — and how much does it matter?. Disponível em: <https://www.sciencenewsforstudents.org/article/what-iq-and-how-much-does-it-matter>. Acesso em 19 Nov 2020
  • MAKHARIA, Archita et al.. Effect of environmental factors on intelligence quotient of children. Indian Psychiatry Journal. Vol.25, n.2. 189-194, 2016
Mais sobre este assunto:

Ajuda
Carregando
...