Picada de abelha ou vespa: o que fazer (e quando ir ao hospital)

novembro 2022

Após uma picada de abelha ou vespa o que se deve fazer é: remover o ferrão, manter o local limpo e aplicar gelo para aliviar a dor e o inchaço.

Se surgirem sintomas como dificuldade para respirar, inchaço do rosto, formigamento ou dor abdominal, deve-se ir ao hospital, já que podem indicar uma reação alérgica grave, que precisa ser tratada adequadamente.

Embora a maioria das picadas de abelha e vespa possam ser cuidadas em casa, se existir suspeita de uma situação grave é recomendado procurar uma emergência.

O que fazer em caso de picada

Em caso de picada de abelha ou vespa deve-se:

  1. Remover o ferrão com a ajuda de uma pinça ou agulha, caso o ferrão ainda esteja na pele (vespas geralmente não deixam o ferrão);
  2. Lavar a região afetada com água fria e sabão;
  3. Passar um antisséptico na pele, como iodopovidona, por exemplo;
  4. Aplicar uma pedrinha de gelo enrolada em papel toalha ou pano para reduzir o inchaço e aliviar a dor;
  5. Passar uma pomada para picada de inseto na região afetada e deixar secar sem cobrir a pele.

Caso surjam outros sintomas como piora da vermelhidão, sensação de falta de ar, inchaço do rosto ou pressão baixa, é recomendado procurar uma emergência, já que esses sintomas podem ser indicativos de anafilaxia, uma alergia grave. Saiba identificar outros sintomas da anafilaxia.

Como desinchar a picada

Para reduzir o inchaço da picada mais rapidamente pode-se aplicar gelo na região, envolvido por um pano limpo, várias vezes ao dia, por cerca de 15 minutos. Além disso, também ajuda dormir com o local da picada um pouco mais elevado que o resto do corpo.

Nos casos mais graves, o médico pode também indicar uso de corticoides, como prednisona ou prednisolona, e anti-histamínicos, como loratadina ou desloratadina, para diminuir o inchaço e outros sintomas, como vermelhidão e coceira. Conheça os principais medicamentos anti-histamínicos.

Quando ir ao médico

É recomendado procurar uma emergência em caso de: 

  • Piora da vermelhidão, coceira e inchaço no local da picada;
  • Dificuldade para respirar ou para engolir a saliva;
  • Falta de ar;
  • Inchaço do rosto, boca ou garganta;
  • Sensação de desmaio ou tonturas;
  • Formigamento na cabeça, axila ou virilha;
  • Dor no abdome;
  • Náusea ou vômitos;
  • Diarreia.

Estes sintomas podem ocorrer cerca de 30 minutos após o evento e geralmente são sinais de uma reação alérgica mais grave, sendo recomendado procurar uma emergência para que o tratamento apropriado possa ser iniciado assim que possível.

Esta informação foi útil?

Atualizado e revisto clinicamente por Manuel Reis - Enfermeiro, em novembro de 2022.

Bibliografia

  • STATPEARLS. Hymenoptera Stings. 2022. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK518972/>. Acesso em 10 ago 2022
  • SMALLHEER, Benjamin A. Bee and wasp stings: reactions and anaphylaxis. Crit Care Nurs Clin North Am. Vol.25, n.2. 151-164, 2013
Mostrar bibliografia completa
  • WARRELL, David A. Venomous Bites, Stings, and Poisoning: An Update. Infect Dis Clin North Am. Vol.33, n.1. 17-38, 2019
  • INTERPREV. Manual de Formação: Primeiros Socorros Âmbito Laboral. 2015. Acesso em 02 abr 2019
  • AAD. How to treat a bee sting. Disponível em: <https://www.aad.org/public/skin-hair-nails/injured-skin/bug-bites-and-stings/how-to-treat-a-bee-sting>. Acesso em 02 abr 2019
  • MINISTRY OF HEALTH NEW ZEALAND. Bee and wasp stings. Disponível em: <https://www.health.govt.nz/your-health/conditions-and-treatments/accidents-and-injuries/bites-and-stings/bee-and-wasp-stings>. Acesso em 02 abr 2019
Revisão clínica:
Manuel Reis
Enfermeiro
Pós-graduado em fitoterapia clínica e formado pela Escola Superior de Enfermagem do Porto, em 2013. Membro nº 79026 da Ordem dos Enfermeiros.