Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Principais sintomas de pressão baixa na gravidez e como tratar

A pressão baixa na gravidez é uma alteração muito comum, especialmente no início da gravidez, devido às alterações hormonais que provocam o relaxamento dos vasos sanguíneos, fazendo com que a pressão diminua.

Embora não seja grave, como ter a pressão alta durante a gravidez, a diminuição acentuada da pressão pode causar grande desconforto para a grávida durante o dia e, até, provocar sintomas como desmaios e quedas, que podem colocar o bebê e a gestante em risco.

Para tentar manter a pressão mais regulada, deve-se evitar mudanças bruscas de posição, bebidas como álcool, refrigerantes e café, assim como comer em intervalos regulares e evitar ambientes muito quentes, por exemplo.

Principais sintomas de pressão baixa na gravidez e como tratar

Quais os sintomas de pressão baixa na gravidez

A pressão baixa na gravidez pode causar sintomas como sensação de fraqueza, visão embaçada, tonturas, dores de cabeça e em casos mais graves, sensação de desmaio. 

Confira ainda um ótimo remédio caseiro para pressão baixa, que pode ser usado durante a gravidez.

Possíveis riscos da pressão baixa

O principal risco da pressão baixa na gravidez é o desmaio, que pode resultar numa queda, podendo causar traumatismo na grávida. Normalmente, esse traumatismo é leve e não causa mais do que um pequeno susto, mas se o desmaio acontecer num local onde a queda possa ser mais grave, como numa escada, por exemplo, pode colocar em risco a vida da gestante e do bebê. Veja como controlar a pressão arterial na gravidez.

A pressão baixa na gravidez deixa de ser frequente quando o volume de sangue aumenta e o organismo da grávida começa a se adaptar, com uma maior quantidade de sangue. Só nessa fase a pressão tende a voltar ao normal, sendo necessário, portanto, todo o cuidado e atenção, especialmente quando a mulher for sair sozinha.

O que fazer em caso de sensação de desmaio

Em caso de pressão baixa na gravidez, a gestante pode começar a se sentir fraca, com visão embaçada, tonta e com dores de cabeça. Neste caso, algumas coisas que se podem fazer são:

  • Sentar, respirar fundo e inclinar o corpo para a frente, levando a cabeça em direção aos joelhos por alguns minutos;
  • Deitar numa posição confortável e elevar as pernas, se possível, para ajudar a normalizar o fluxo sanguíneo;
  • Ingerir algo com sal, como bolacha de água e sal, por exemplo.

Caso os sintomas de pressão baixa persistam por mais de 15 minutos ou surjam com muita frequência, é recomendado ir ao hospital ou entrar em contato com o obstetra.

Principais sintomas de pressão baixa na gravidez e como tratar

Porque a pressão diminui na gravidez

No primeiro trimestre da gestação, quando a placenta é formada, ocorre um aumento da necessidade de sangue, necessário para suprir a circulação sanguínea da mãe, da placenta e do pequeno embrião. Nesta fase inicial, o organismo da mulher ainda não teve tempo suficiente para essa adaptação e não consegue suprir a quantidade extra de sangue necessário, podendo causar a pressão baixa em determinadas circunstâncias.

Além disso, as alterações hormonais, que acontecem durante a gestação, também fazem com que os vasos sanguíneos fiquem mais relaxados, de forma a que o sangue consiga chegar mais rápido à placenta. Quando isso acontece, o sangue circula mais livremente e a pressão arterial diminui.

Como evitar a pressão baixa na gravidez

Para tentar manter a pressão bem regulada e evitar a diminuição acentuada da pressão, algumas medidas podem ser tomadas, como:

  • Ter sempre algo salgado na bolsa, como bolachas de sal ou frutos secos, para não ficar muito tempo sem energia;
  • Ingerir cerca de 2 litros de água ao longo do dia e em pequenas quantidades, de forma a evitar a desidratação e a diminuição da pressão;
  • Confirmar com o obstetra se algum dos medicamentos que a grávida está usando tem efeitos sobre a pressão arterial;
  • Evitar permanecer por longos períodos em ambientes muito quentes e úmidos;
  • Evitar consumir bebidas alcoólicas, refrigerantes e café, para diminuir as chances de desidratação;
  • Praticar exercícios físicos leves regularmente, pois possuem efeitos benéficos para a circulação sanguínea e a pressão arterial;
  • Evitar mudanças bruscas de posição como levantar muito rápido, por exemplo.

Se as crises de pressão baixa forem frequentes, a grávida deve procurar um médico para avaliação clínica, pois apesar de não ser comum, a pressão baixa pode ser sinal de alguma doença que necessita ser investigada e tratada, antes que coloque a gravidez em risco.

Gostou do que leu?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...