Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Por que meu filho não gosta de falar?

Se o seu filho não gosta de falar tanto como as outras crianças da mesma idade ele pode ter algum problema de fala ou comunicação devido a pequenas alterações nos músculos da fala, não sendo necessariamente sinal de problemas mais graves como autismo, por exemplo.

Além disso, problemas de audição ou outras situações como ser filho único ou o filho mais novo também podem criar barreiras no desenvolvimento da capacidade para falar. Desta forma, é recomendado consultar um fonoaudiólogo para identificar a possível razão desta dificuldade.

Geralmente, é esperado que as crianças comecem a pronunciar as primeiras palavras por volta dos 18 meses, mas pode demorar até aos 6 anos para que consigam falar corretamente, uma vez que não existe uma idade correta para o desenvolvimento completo da linguagem.

Saiba mais em: Quando seu filho deve começar a falar.

O que fazer para tratar problemas de fala na infância

A melhor forma de tratar a criança com problemas de fala na infância é consultar um fonoaudiólogo para identificar o problema e iniciar tratamento adequado . No entanto, uma grande parte dos problemas de fala na infância podem ser melhorados com algumas dicas importantes, que incluem:

  • Evitar tratar a criança como um bebê, pois a crianças tendem a comportar-se de acordo com o que os pais esperam dela;
  • Não dizer as palavras de forma errada, como 'bibi' em vez de 'carro', porque a criança imita os sons feitos pelos adultos e não dá o nome certo aos objetos;
  • Evitar exigir acima das capacidades da criança, pois pode tornar a criança insegura sobre o seu desenvolvimento, podendo prejudicar sua aprendizagem;
  • Não culpar a criança pelos erros na fala, como 'não entendi nada do que disseste' ou 'fala direito', pois é normal que no desenvolvimento da fala surjam erros. Nestes casos é recomendado dizer apenas 'Repete, não entendi ' de forma calma e suave, como se estivesse falando com um amigo adulto, por exemplo;
  • Incentivar a criança a falar, porque ela precisa sentir que existe um ambiente onde pode errar sem ser julgada;
  • Evitar pedir para a criança repetir várias vezes a mesma palavra, pois pode criar uma imagem negativa de si mesma, levando a criança a evitar comunicar.

Porém, os pais e professores devem receber orientações do pediatra e do fonoaudiólogo para saber qual a melhor forma de lidar com a criança em cada etapa do desenvolvimento da fala, evitando prejudicar o seu desenvolvimento normal, mesmo que mais lento que as outras crianças.

Principais problemas da fala na infância

Os principais problemas da fala na infância estão relacionados com a troca, omissão ou distorção de sons e, por isso, incluem a gagueira, linguagem desordenada, dislalia ou apraxia, por exemplo.

1. Gagueira

A gagueira é um problema de fala que interfere com a fluidez do discurso da criança, sendo comum a repetição excessiva da primeira parte da palavra, como em 'cla-cla-cla-claro', ou de um único som, como no caso de 'co-o-o-o-mida', por exemplo. Porém, a gagueira, é muito comum até os 3 anos de idade, só devendo ser tratada como problema após essa idade.

2. Fala desordenada

As crianças com fala desordenada apresentam dificuldade em falar de forma compreensível e, por isso, apresentam muita dificuldade em exprimir o que estão a pensar. Nestes casos é frequente o surgimento de alterações repentinas no ritmo da linguagem, como pausas inesperadas misturadas com aumento da velocidade da fala.

3. Dislalia

A dislalia é um problema de fala caracterizado pela presença de vários erros de linguagem durante a fala da criança, podendo incluir trocas de letras em uma palavra, como 'calo' em vez de 'carro', omissão de sons, como 'omi' no lugar de 'comi', ou acréscimo de sílabas de uma palavra, como 'jananela' ao invés de 'janela'. Veja mais sobre esta doença aqui.

4. Apraxia

A apraxia surge quando a criança tem dificuldade produzir ou imitar os sons de forma adequada, não conseguindo repetir palavras mais simples, dizem 'té' quando lhe é pedido para falar 'pá', por exemplo. Isto, normalmente, acontece quando a criança não consegue movimentar adequadamente os músculos ou as estruturas necessárias para falar, como no caso de língua presa.

Devido às diferentes alterações na fala da criança e à dificuldade em identificar verdadeiros problema de fala é aconselhado consultar um fonoaudiólogo sempre que existir alguma suspeita, pois é o profissional mais adequado para identificar corretamente o problema.

Assim, é normal que na mesma família existam crianças que começam a falar perto do 1 ano e meio quando outras só começam a falar após os 3 ou 4 anos e, por isso, os pais não devem comparar o desenvolvimento da fala de um filho com o irmão mais velho, por exemplo, pois pode causar situações de ansiedade desnecessária e agravar o desenvolvimento da criança.

Quando ir no pediatra

É recomendado consultar um fonoaudiólogo quando a criança:

  • Gagueja frequentemente após os 4 anos;
  • Não produz qualquer tipo de sons, mesmo quando brinca sozinha;
  • Não compreende o que lhe é dito;
  • Nasceu com algum problema congênito na audição ou na boca, como língua presa ou lábio leporino, por exemplo.

Nestes casos o médico irá avaliar o historial da criança e observar o seu comportamento de forma a identificar quais os problema presentes na sua forma de comunicar, selecionando o tratamento mais adequado e orientando os pais sobre qual a melhor forma de se relacionar com a criança, de forma a solucionar o mais rapidamente o problema.

Veja como saber se seu filho tem um problema de audição que possa dificultar a fala em:

Mais sobre este assunto:
Carregando
...