Parada respiratória: sintomas, causas e o que fazer

Revisão médica: Drª. Ana Luiza Lima
Cardiologista
dezembro 2021

A parada respiratória corresponde à interrupção por mais de 5 minutos das trocas gasosas do organismo, ou seja, não há distribuição de oxigênio para os órgãos do corpo durante esse período, podendo resultar em danos irreversíveis à órgãos vitais, como coração e cérebro, por exemplo.

É comum que como consequência da parada respiratória, exista uma parada cardíaca, caracterizando a parada cardiorrespiratória. Saiba identificar a parada cardiorrespiratória e veja o que fazer.

A parada respiratória é uma emergência médica e, por isso, é indicado que seja feita inicialmente respiração boca a boca, além de acionar o SAMU para que sejam tomadas as medidas necessárias, que pode envolver a desobstrução das vias aéreas ou realização de ventilação mecânica.

Sintomas de parada respiratória

O principal sinal indicativo de parada respiratória é a ausência dos movimentos no tórax de inspiração e expiração. Além disso, outros sinais e sintomas que podem ser indicativos de parada respiratória são:

  • Inconsciência;
  • Rosto arroxeado;
  • Língua e unhas azuladas.
  • Ausência de saída de ar pelas narinas;
  • Imobilidade.

É importante que na presença de sinais e sintomas indicativos de parada respiratória, as medidas de suporte sejam rapidamente iniciadas, que normalmente envolve a realização de respiração artificial, como a respiração boca a boca ou boca-nariz, e o contato com o SAMU para que seja iniciado o tratamento mais adequado.

Principais causas

A parada respiratória pode ser consequência de obstrução das vias respiratórias inferiores ou superiores, devido à perda de tônus muscular, o que faz com que a língua se desloque para a orofaringe e cause obstrução, ou ser devido à presença de sangue, muco vômito ou corpo estranho.

Além disso, a parada respiratória pode ser consequência da inalação de vapores ou gases, efeito adverso de medicamentos, doenças do sistema nervoso, como AVE ou tumor, ou alterações metabólicas, por exemplo.

Essa situação pode também acontecer quando existem alterações nos músculos respiratórios devido a doenças, como miastenia gravis, botulismo ou síndrome de Guillain-Barré, por exemplo.

O que fazer

Para identificar a parada respiratória é preciso chamar pela vítima e verificar se a pessoa está respirando, colocando um ouvido junto do nariz e da boca e olhando em direção ao peito da vítima.

Caso não se sinta ar saindo do nariz e boca, não se ouça respiração e não se veja o peito se movimentando, deve-se chamar imediatamente a ajuda médica e, se possível, iniciar a respiração artificial, que pode ser a respiração boca a boca ou nariz-boca, que é mais indicada no caso das crianças..

Para fazer a respiração boca a boca, é importante colocar a pessoa de deitada barriga para cima, inclinar a cabeça, levantando o queixo, e tampar as narinas da pessoa. Em seguida, deve-se colocar os lábios em torno os lábios da vítima, inspirar naturalmente e, depois, soprar o ar para dentro da boca da pessoa. Veja com mais detalhes como fazer a respiração boca a boca.

Além disso, após a chegada da equipe ou após a chegada da pessoa ao serviço de saúde, podem ser iniciados procedimentos mais adequados para reverter a parada respiratória, que pode envolver a desobstrução das vias aéreas e realização de ventilação mecânica.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Equipe Editorial do Tua Saúde, em dezembro de 2021. Revisão médica por Drª. Ana Luiza Lima - Cardiologista, em fevereiro de 2016.

Bibliografia

  • NASCIMENTO, SILVA A. Aprendendo sobre parada cardíaca e parada respiratória. Disponível em: <http://proedu.rnp.br/bitstream/handle/123456789/588/Aula_02P-COLOR.pdf?sequence=2&isAllowed=y>. Acesso em 15 dez 2021
Revisão médica:
Drª. Ana Luiza Lima
Cardiologista
Médica Cardiologista, formada pela Universidade Federal de Pernambuco, em 2008 com registro profissional nº CRM/PE – 16886.