Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Osteossarcoma: principais sintomas e tratamento

O osteossarcoma é um tipo de tumor maligno que cresce no osso e é mais frequente em crianças e adolescentes, com maior chance de sintomas mais graves entre os 20 e 30 anos. Os ossos mais acometidos são os que estão presentes nas pernas, joelhos ou ombro, porém pode aparecer em qualquer outro osso do corpo e facilmente sofre metástase, ou seja, o tumor pode ser espalhado para outros tecidos e órgãos.

De acordo com a velocidade de crescimento do tumor, o osteossarcoma pode ser classificado em:

  • Alto grau: em que o tumor possui crescimento muito rápido e inclui osteossarcoma osteoblástico ou osteossarcoma condroblástico;
  • Grau intermédio: tem desenvolvimento rápido e inclui o osteossarcoma periosteal, por exemplo;
  • Baixo grau: cresce de forma lenta e, por isso, é de difícil diagnóstico e inclui o osteossarcoma parosteal e o intramedular.

Quanto mais rápido for o crescimento, maior a gravidade dos sintomas e maior a probabilidade de se espalhar para outros locais do corpo. Por isso, é importante que o diagnóstico seja feito o mais rápido possível pelo ortopedista através de exames de imagem.

Osteossarcoma: principais sintomas e tratamento

Sintomas do osteossarcoma

Os sintomas de osteossarcoma podem variar de uma pessoa para outra, mas no geral os principais sintomas são:

  • Dor no osso ou na articulação, que pode agravar à noite;
  • Inchaço no local;
  • Vermelhidão e calor;
  • Nódulo perto de uma articulação;
  • Limitação da movimentação da articulação comprometida.

Além disso, como há maior fragilidade dos ossos, a pessoa pode ter fraturas frequentes que podem acontecer como resultado de uma atividade normal do dia-a-dia.

O diagnóstico do osteossarcoma deve ser feito pelo ortopedista através de exames de imagem que possam identificar o tumor e a sua extensão. Assim, pode ser recomendado pelo médico a realização de raio-X, tomografia de tórax, ressonância magnética e cintilografia óssea. Além disso, caso seja verificada qualquer alteração nos exames, o médico pode solicitar a realização de uma biópsia para verificar se a alteração é benigna ou maligna e, assim, definir o melhor tratamento.

A ocorrência do osteossarcoma normalmente está relacionada com fatores genéticos, havendo maior risco de ter a doença as pessoas que possuem familiares ou são portadores de doenças genéticas, como a síndrome de Li-Fraumeni, doença de Paget, retinoblastoma hereditário e osteogênese imperfeita, por exemplo.

Como é o tratamento

O tratamento para osteossarcoma envolve a realização de quimioterapia e cirurgia. Como o tumor tende a se espalhar rapidamente para outras partes do corpo, normalmente é realizada quimioterapia antes da cirurgia com o objetivo de tomar o tamanho do tumor, tornando mais fácil a sua retirada completa durante a cirurgia.

Porém, quando após a cirurgia o osteossarcoma não fica curado, ou existem metástases, pode ser necessário utilizar, novamente, a quimioterapia para eliminar totalmente o tumor. Nos casos mais graves, pode ser recomendado amputar a região afetada, para impedir que o tumor se espalhe para órgãos vitais, como os pulmões.


Bibliografia

Gostou do que leu?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto. Não lhe iremos responder directamente. Se quiser uma resposta clique em Contato.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem