O que você precisa saber?

O que fazer em caso de afogamento

Em caso de afogamento é necessário chamar um salva-vidas ou bombeiro para retirar a vítima da água e prestar os primeiros socorros assim que chegar em terra seca para retirar a água dos pulmões e restabelecer a respiração.

No entanto, é preciso ter cuidado a retirar a vítima da água para garantir a sua própria segurança, porque se a vítima estiver muito desesperada poderá tentar subir em suas costas, impedindo a sua respiração e você poderá se afogar. Assim, o ideal é só se aproximar da vítima se for um ótimo nadador e se tiver algum objeto que flutue como uma boia, colete ou prancha de surf para que a vítima possa se segurar e ficarem ambos em segurança.

Após retirar a vítima da água é necessário:

O que fazer em caso de afogamento
  • Se a vítima estiver inconsciente e não respirar, começar imediatamente a fazer respiração boca a boca e massagem cardíaca até a vítima voltar a respirar, como mostra a imagem 2;
  • Virar a cabeça e o corpo da vítima para o lado para que ela consiga expelir a água ingerida, como mostra a imagem 3;
  • Tirar a roupa molhada e aquecer a vítima com cobertores ou bolsas quentes;
  • Aguardar a chegada da ambulância e ajuda médica.

A vítima, geralmente, apresenta pulso fraco, perda de consciência e queda de temperatura. Pode ter a pele de cor azulada ou extremamente pálida.

Veja também:

Afogamento secundário

Após um afogamento ou 'quase afogamento' a vítima deve ser vista por médicos num hospital porque a água pode entrar nos pulmões e provocar um afogamento até mesmo 3 dias depois do acidente com a água. Os sinais que podem indicar o afogamento a seco incluem dor no peito, sonolência e dificuldade para respirar. Veja todos os sintomas e o que fazer neste caso em: Sabia que é possível se afogar mesmo sem estar dentro da água? 

O que fazer para evitar o afogamento

Para evitar se afogar é recomendado só nadar ou tomar banho em água rasas e sempre em áreas vigiadas por um bombeiro ou salva-vidas. Também é importante não tentar nadar após se alimentar ou consumir bebidas alcoólicas, nem após ficar muito tempo exposto ao sol, especialmente se estiver com o corpo quente e a temperatura da água estiver muito fria porque favorece as caibras musculares que podem dificultar a movimentação dentro da água, aumentando o risco de se afogar. 

Os bebês e as crianças mesmo que saibam nadar só devem estar na água acompanhado de um adulto que esteja atento a elas e não devem permanecer em praias perigosas, com maré alta ou grandes ondas. Se for passear de barco ou jet ski deve sempre usar um colete salva-vidas completamente cheio e adequado ao seu tamanho. As bóias podem ser úteis, mas as crianças ainda precisam da supervisão de um adulto.

Aprender a nadar é uma boa estratégia para evitar o afogamento, no entanto, o risco de se afogar é maior para pessoas que sabem nadar ou que acham que sabem nadar do que para aquelas que tem tanto medo da água que nem chegam perto dela, e até mesmo pessoas que nadam muito bem podem se afogar devido ao cansaço, caibras, traumatismo craniano dentro da água ou outros problemas de saúde como infarto ou AVC, por exemplo.

E por isso é recomendado tomar todas as medidas de precaução para se proteger do afogamento.

Mais sobre este assunto:
Carregando
...