Primeiros socorros para afogamento

Durante o afogamento a função respiratória fica prejudicada devido a entrada de água pelo nariz e boca. Se não houver resgate rapidamente, pode acontecer obstrução das vias respiratórias e consequentemente, ocorre o acúmulo de água nos pulmões, colocando a vida em risco. 

Algumas medidas podem ser feitas para salvar uma pessoa que esteja se afogando, sendo que é necessário, primeiramente, garantir a própria segurança e verificar se o local não oferece riscos ao socorrista. Caso alguma pessoa esteja se afogando é importante seguir os passos:

  1. Reconhecer o afogamento, observando se a pessoa está com os braços estendidos, lutando para não ficar debaixo da água, pois muitas vezes, por causa do desespero a pessoa nem sempre consegue gritar ou chamar por ajuda;
  2. Pedir ajuda para outra pessoa que esteja próxima ao local, para que ambas possam seguir com o socorro;
  3. Ligar imediatamente para a ambulância dos bombeiros no 193, caso não seja possível, deve-se ligar para SAMU no 192;
  4. Fornecer algum material flutuante para a pessoa que esteja se afogando, com auxílio de garrafas de plástico, pranchas de surf e materiais de isopor ou de espumas;
  5. Tentar realizar o socorro sem entrar na água. Caso a pessoa se encontre a menos de 4 metros de distância, é possível estender um galho ou cabo de vassoura, entretanto, se a vítima tiver entre 4 e 10 metros de distância, pode-se jogar uma boia com uma corda, segurando na extremidade oposta. Porém, se a vítima estiver bem próxima, é importante oferecer sempre o pé ao invés da mão, pois com o nervosismo, a vítima pode puxar a outra pessoa para dentro da água;
  6. Apenas entrar na água se souber nadar;
  7. Caso a pessoa seja retirada da água, é importante verificar a respiração, durante 10 segundos, observando os movimentos do tórax, ouvindo o som do ar saindo pelo nariz e sentindo o ar que sai pelo nariz. Se estiver respirando, é importante deixar a pessoa deitada de lado até que os bombeiros ou o SAMU cheguem ao local;
  8. Verificar se a pessoa tem batimentos cardíacos, colocando os dedos indicador e médio no pulso da pessoa ou na artéria carótida no pescoço, e contando as pulsações durante 10 segundos. O normal é que a pessoa tenha 10 a 16 pulsações em 10 segundos, ou 60 a 100 batimentos cardíacos por minuto.

A ausência de respiração significa que a pessoa ficou muito tempo submersa, e pode apresentar hipoxemia, que é uma diminuição do oxigênio do sangue, e pode ser observada através de sintomas como pele arroxeada ou azulada, perda de consciência e sofrer uma parada cardiorrespiratória. 

O que fazer se a pessoa não estiver respirando

Se a pessoa estiver inconsciente e não estiver respirando, antes da equipe de socorro chegar no local, é preciso iniciar a massagem cardíaca:

  1. Deitar a pessoa no chão com a barriga para cima;
  2. Posicionar as mãos sobre o peito da vítima, entrelaçando os dedos e mantendo os braços esticados, como mostra a figura abaixo;
  3. Empurrar as mãos com força contra o peito, utilizando o peso do próprio corpo, e fazer 2 compressões por segundo, ou seja, 100 a 120 compressões por minuto, até a chegada do serviço de resgate. É importante deixar que o tórax do paciente volte a posição normal entre cada empurrão;
  4. Fazer 2 respirações boca-a-boca, com máscara de bolso, a cada 30 massagens cardíacas;
  5. É preciso manter as manobras de reanimação, até que chegue a ambulância.
Primeiros socorros para afogamento

No caso de crianças, deve-se utilizar apenas uma mão para fazer a massagem cardíaca, posicionando sobre o peito da criança, apenas a palma de uma mão, com os dedos levantados, fazendo 2 compressões por segundo e 2 respirações boca a boca a cada 15 compressões. 

É importante ter atenção à maneira correta de realizar as compressões. Saiba como fazer a massagem cardíaca corretamente.

Cuidados ao tentar salvar alguém dentro de água

Depois de auxiliar a vítima de afogamento com apoio de materiais flutuantes pode-se tentar retirá-la da água, no entanto, isso só deve ser feito se o socorrista souber nadar e tiver segurança em relação ao local. Outros cuidados precisam ser considerados em caso de salvamento na água, como:

  1. Avisar outras pessoas que será feita a tentativa de salvamento;
  2. Retirar roupas e sapatos que possam pesar na água;
  3. Levar outro material de flutuação como prancha ou boia;
  4. Não chegar muito próximo a vítima, pois a pessoa pode agarrar e puxar para o fundo da água;
  5. Somente retirar a pessoa se houver força suficiente;
  6. Manter a calma, chamando sempre por ajuda. 

Estes cuidados são importantes para que o socorrista também não se afogue e é sempre necessário manter alguém do lado de fora apontando as direções e chamando em voz alta. 

O que fazer se você estiver se afogando

Caso aconteça um afogamento com você é necessário manter a calma, pois lutar contra a correnteza ou se debater provoca desgaste muscular, fraqueza e câimbras. Também é importante tentar flutuar, acenar por socorro e só gritar quando alguém puder ouvir, porque pode entrar mais água pela boca.

Se o afogamento for no mar, pode-se deixar levar para o alto mar, fora do alcance da arrebentação e evitar nadar contra a correnteza. Já se o afogamento acontecer em rios ou enchentes, é importante ficar com os braços abertos, tentar flutuar e buscar alcançar a margem nadando a favor da correnteza. 

Como evitar o afogamento

Algumas medidas simples podem evitar que aconteça algum tipo de afogamento, como nadar ou tomar banho em locais que se saiba a profundidade, que não tenham correnteza e que sejam vigiados por bombeiros ou salva-vidas.

Também é importante não tentar nadar logo após se alimentar ou consumir bebidas alcoólicas, nem após ficar muito tempo exposto ao sol, especialmente se estiver com o corpo quente e a temperatura da água estiver muito fria, pois isso pode causar câimbras, dificultando a movimentação dentro da água. 

As crianças e bebês estão mais susceptíveis ao afogamento, por isso são necessários alguns cuidados adicionais, como não deixá-los sozinhos perto ou dentro de banheiras, baldes cheios de águas, piscinas, rios ou mar, assim como, evitar acesso ao banheiro, colocando fechaduras nas portas.

As crianças menores de 3 anos devem sempre estar com boias quando estão dentro de uma piscina, rios ou mar e, se possível, para prevenir afogamento destas crianças pode-se instalar cercas em volta da piscina e matriculá-las em aulas de natação.

Além disso, para prevenir o afogamento é necessário usar colete salva-vidas em passeios de barco ou jet ski e evitar ficar próximo a bombas de piscinas, pois elas podem sugar o cabelo ou prender o corpo de uma pessoa.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE SALVAMENTO AQUÁTICO. Afogamentos. 2019. Disponível em: <http://www.sobrasa.org/new_sobrasa/arquivos/baixar/Manual_de_emergencias_aquaticas.pdf>. Acesso em 21 Nov 2019
  • AMERICAN ACADEMY OF PEDIATRICS. Updates Recommendations to Prevent Drowning in Children. 2019. Disponível em: <https://www.aap.org/en-us/about-the-aap/aap-press-room/Pages/AAP-Updates-Recommendations-to-Prevent-Drowning-in-Children.aspx>. Acesso em 21 Nov 2019
  • CORPO DE BOMBEIROS MILITAR. – GOIÂNIA. Manual operacional de bombeiros : guarda-vidas. 2017. Disponível em: <https://www.bombeiros.go.gov.br/wp-content/uploads/2017/07/MANUAL-GUARDA-VIDAS-2017.pdf>. Acesso em 21 Nov 2019
  • SZPILMAN, DAVID. Diretriz de Ressuscitação afogamento. 2017. Disponível em: <http://www.szpilman.com/new_szpilman/szpilman/ARTIGOS/afogamento_szpilman_diretriz_17.pdf>. Acesso em 21 Nov 2019
  • ASSOCIACIÓN ESPAÑOLA DE PEDIATRÍA. Primeros Auxilios. Disponível em: <https://www.aeped.es/sites/default/files/documentos/capitulo_5_0.pdf>. Acesso em 02 Ago 2021
Mais sobre este assunto: