Somos REDE D'OR
icon de informação icon de telefone 3003-3230
Número disponível apenas em território brasileiro, com custo de chamada local.

Menstruação na gravidez: principais causas e o que fazer

Revisão médica: Drª. Sheila Sedicias
Ginecologista
janeiro 2023

Não é normal haver menstruação durante a gravidez porque o ciclo menstrual é interrompido durante a gestação. Assim, não existe descamação do revestimento interno do útero, que é necessário para o adequado desenvolvimento do bebê. 

Dessa forma, a perda de sangue durante a gravidez não é referente à menstruação, mas é na verdade um sangramento, que deve ser sempre avaliado pelo obstetra já que pode colocar a vida do bebê em risco.

Em caso de menstruação durante a gravidez é importante ir ao médico para realizar exames que possam identificar as possíveis alterações, como gravidez ectópica ou descolamento da placenta, que podem causar este sangramento.

Imagem ilustrativa número 2

Principais causas do sangramento na gravidez

O sangramento durante a gravidez pode ter diferentes causas dependendo do tempo de gestação.

As causas mais comuns de sangramento durante a gravidez são:

Tempo de gestaçãoCausas comuns de sangramento
Primeiro trimestre - 1 a 13 semanas

Concepção;

Descolamento ovular;

Gravidez ectópica;

Descolamento da placenta;

Aborto espontâneo.

Segundo trimestre - 14 a 27 semanas

Inflamação no útero;

Ferimento no útero causado pelo contato íntimo;

Placenta prévia;

Placenta acreta;

Aborto espontâneo.

Terceiro trimestre - 28 a 41 semanas

Placenta prévia;

Descolamento da placenta;

Sangramento após o contato íntimo;

Início do trabalho de parto.

Também pode haver um pequeno sangramento vaginal após a realização de exames como toque, ultrassonografia transvaginal e amniocentese, e após fazer exercícios.

Grávida pode menstruar até quantos meses?

A mulher grávida não menstrua, uma vez que não ocorre ovulação e descamação do endométrio, que é a camada interna do útero, o que provoca a descida da menstruação.

No entanto, logo no início da gravidez, pode ocorrer um pequeno sangramento, que é comum nos primeiros 15 dias após a concepção, devido a implantação do embrião no endométrio, e, neste caso, o sangramento é rosado ou amarronzado, dura cerca de 2 a 3 dias, e pode provocar cólicas iguais às da menstruação. 

Assim, uma mulher que esteja grávida de 2 semanas, mas que ainda não fez o teste de gravidez, pode achar que está menstruando, quando na verdade já está grávida. Veja quais são os primeiros sintomas de gravidez e como confirmar a gravidez.

É possível menstruar com fluxo intenso e estar gravida?

Não é possível menstruar com fluxo intenso e estar grávida, no entanto, podem ocorrer sangramentos que podem ser confundidos com menstruação. 

Nesses casos, deve-se procurar atendimento com o obstetra imediatamente, para avaliar a causa do sangramento e iniciar o tratamento mais adequado.

O que fazer em caso de sangramento

Em caso de sangramento na gravidez, em qualquer fase da gestação, deve-se ficar de repouso evitando qualquer tipo de esforço e ir ao médico o quanto antes para que ele possa examinar e se preciso, realizar exames como o ultrassom para identificar a causa do sangramento.

Na maior parte das vezes um pequeno sangramento que acontece esporadicamente em qualquer fase da gravidez não é grave e não coloca a vida da mãe e do bebê em risco, no entanto deve-se ir imediatamente ao hospital quando houver:

  • Sangramento frequente, sendo preciso utilizar mais que um protetor diário de calcinha por dia;
  • Perda de sangue vermelho vivo em qualquer fase da gravidez;
  • Sangramento com ou sem coágulos e forte dor abdominal;
  • Sangramento, perda de líquido e febre.

Nos últimos 3 meses de gravidez, é frequente que a mulher apresente sangramento após o contato íntimo, uma vez que o canal de parto se torna mais sensível, sangrando com facilidade. Neste caso a mulher só deve ir ao hospital se o sangramento continuar por mais de 1 hora.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Marcela Lemos - Biomédica, em janeiro de 2023. Revisão médica por Drª. Sheila Sedicias - Ginecologista, em fevereiro de 2016.

Bibliografia

  • FEDERAÇÃO BRASILEIRA DAS ASSOCIAÇÕES DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA. Sangramento Uterino Anormal. 2017. Disponível em: <https://www.febrasgo.org.br/media/k2/attachments/11-SANGRAMENTO_UTERINO_ANORMAL.pdf>. Acesso em 27 nov 2019
  • Peixoto, Alberto Borges et al.. The impact of first-trimester intrauterine hematoma on adverse perinatal outcomes. Ultrasonography (Seoul, Korea) . 37. 4; 330-336., 2018
Mostrar bibliografia completa
  • Hendriks E, MacNaughton H, MacKenzie MC.. First Trimester Bleeding: Evaluation and Management.. American family physician . 99. 3; 166-174., 2019
  • FEBRASGO. Sangramento Uterino Anormal. 2017. Disponível em: <https://www.febrasgo.org.br/media/k2/attachments/11-SANGRAMENTO_UTERINO_ANORMAL.pdf>. Acesso em 24 jul 2020
Revisão médica:
Drª. Sheila Sedicias
Ginecologista
Médica mastologista e ginecologista formada pela Universidade Federal de Pernambuco, em 2008 com registro profissional no CRM PE 17459.