Ter glicose 150 é normal?

“Meu marido fez um teste de glicose e deu 150. Ele está diabético ou está normal?”

Dr. Leonardo Grossi

Endocrinologista

CRM 823120-RJ

Rio de Janeiro

Gostaria de uma consulta com este profissional?
Marcar consulta

Ter 150 de glicose é normal, se o teste de glicemia tiver sido feito pouco tempo após comer. Porém, se 150 for o valor da glicemia em jejum, isso pode indicar diabetes. Isso porque a glicose, que é nossa principal fonte de energia, tem que ser mais baixa quando estamos em jejum e aumentar depois que comemos.

Caso tenha alguma dúvida ou suspeita de diabetes é recomendado que consulte um endocrinologista.

De acordo com o valor de glicose, a pessoa é considerada diabética quando:

  • A glicemia em jejum for maior ou igual a 126 mg/dL (em pelo menos 2 testes). Os valores menores que 100 são normais e os que ficam entre 100 e 125 são considerados pré-diabetes. O exame de glicemia de jejum é o mais usado para saber se a pessoa está com diabetes;

  • A glicemia for maior ou igual a 200 mg/dL 2 horas após um exame com sobrecarga de glicose (a pessoa toma um líquido muito doce 2 horas antes de colher o sangue para medir a glicemia). Os valores menores que 140 são normais. Valores entre 140 e 199 são considerados pré-diabetes.

Somente o médico pode pedir exames de laboratório para avaliar se a glicose e outros parâmetros importantes para a sua saúde estão normais. Além disso, somente o médico pode indicar um tratamento, se for necessário.

70% dos leitores acham este conteúdo útil (44 avaliações nos últimos 12 meses)
  • Iremos publicar sua pergunta de forma anônima.
  • Faça uma pergunta clara, curta e sem incluir dados pessoais.
  • Não peça um diagnóstico ou 2ª opinião sobre tratamentos que já esteja realizando.
Iremos utilizá-lo para o notificar sobre a resposta. O seu email nunca será publicado online.
Marque consulta com um Endocrinologista perto de você!

Atendemos mais de 150 convênios em 9 estados do Brasil*.

Marcar Consulta

Disponível em: São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Pernambuco, Bahia, Maranhão, Pará, Paraná, Sergipe e Ceará.