Mandíbula ou maxilar estalando: causas e o que fazer

A mandíbula estalando normalmente acontece devido a uma disfunção das articulações temporomandibulares, que são responsáveis por fazer a ligação entre o maxilar e o esqueleto, e que permitem que a pessoa possa falar, mastigar e bocejar, por exemplo.

Esta situação pode ocorrer em pessoas que têm como hábito mastigar chicletes, roer as unhas, apertar a mandíbula ou morder o lábio e a bochecha, por exemplo, porque são hábitos que vão causando o desgaste das articulações.

No entanto, o maxilar estalando pode ser causado por problemas mais graves, como bruxismo, artrite ou uma infecção oral, por exemplo. Assim, se o maxilar estalando for acompanhado de dor, deve-se consultar o médico assim que possível, porque pode estar a ser causado por um problema de saúde mais grave.

Mandíbula ou maxilar estalando: causas e o que fazer

1. Bruxismo

O bruxismo consiste no ato inconsciente de apertar ou ranger os dentes durante o sono ou mesmo no dia-a-dia, o que pode acontecer devido ao estresse, ansiedade, uso de alguns medicamentos antidepressivos e problemas respiratórios, como ronco ou apneia do sono.

Assim, os dentes estão sempre sendo apertados, é comum que exista dor na articulação da mandíbula, que pode também estalar, além de também ser frequentemente observado o desgaste nos dentes. Saiba como identificar o bruxismo.

O que fazer: O bruxismo não tem cura, no entanto é possível aliviar a pressão exercida na articulação da mandíbula e prevenir as alterações nos dentes ao usar uma placa de proteção dentária durante a noite, que deve ser recomendado pelo dentista. Nos casos mais graves, pode ser indicado o uso de relaxantes musculares e ansiolíticos por um curto período de tempo.

2. Artrite

A artrite é uma doença que pode causar danos na cartilagem da articulação temporomandibular e, essa perda de cartilagem, pode impedir que os movimentos da mandíbula se realizem corretamente, resultando nos estalos.

O que fazer: Nesse caso, é importante consultar o médico para que sejam feitos exames que indiquem a gravidade da artrite e, assim, possa ser indicado o tratamento mais adequado, que pode envolver o uso de medicamentos, realização de sessões de fisioterapia e, em casos mais graves, cirurgia. Confira mais detalhes do tratamento para artrite.

3. Lesões na mandíbula

Em caso de lesão da mandíbula, como um impacto forte, um acidente de carro ou uma queda, por exemplo, pode ocorrer quebra do osso ou deslocamento da mandíbula, que pode ficar estalando e ser acompanhada por outros sintomas, como inchaço, sangramento, dormência e dor no local da lesão.

O que fazer: O tratamento para as lesões na mandíbula pode variar muito, já que depende do tipo de lesão que ocorreu, podendo ser indicada a realização de imobilização ou de cirurgia para reconstruir a mandíbula, reposicionar a mandíbula ou fixar as estruturas que são responsáveis pela sustentação desse osso.

4. Má oclusão dentária

A má oclusão dentária caracteriza-se numa alteração no mecanismo de encaixe dos dentes superiores com os dentes inferiores quando a boca é fechada, o que pode causar danos nos dentes, gengivas, ossos, músculos e articulações, incluindo na articulação temporomandibular. Conheça mais sobre a má oclusão dentária.

O que fazer: Geralmente, o tratamento consiste no uso de aparelhos ortodônticos para alinhar os dentes e, em casos mais graves quando o uso do aparelho não é suficiente, pode ser necessária a realização de uma cirurgia para alterar a forma dos ossos do rosto.

5. Infecção

Infecções nas glândulas salivares podem também causar disfunção das articulações temporomandibulares e dor e estalos no maxilar, além de outros sintomas como dificuldade para abrir a boca, presença de pus na boca, dor na região, mau sabor na boca e inchaço do rosto e do pescoço.

O que fazer: É importante que o dentista seja consultado para que possa ser identificada a causa da infecção e, assim, ser iniciado o tratamento mais adequado, que pode envolver o uso de antibióticos, quando existem sinais indicativos de infecção bacteriana, e/ ou uso de medicamentos analgésicos ou anti-inflamatórios.

6. Câncer

Embora seja muito raro, o maxilar estalando pode ser indicativo de câncer em regiões da boca, como lábios, língua, bochecha, gengiva ou regiões circundantes, uma vez que a presença desses tipos de tumor podem interferir com o movimento do maxilar.

Geralmente, quando a causa do maxilar estalando é um câncer, podem estar presentes outros sintomas, como inchaço na região, perda de dentes ou dificuldade para usar dentaduras, presença de uma massa crescendo na boca, inchaço no pescoço e uma acentuada perda de peso.

O que fazer: É fundamental que o médico seja consultado para que sejam realizados exames que permitam chegar ao diagnóstico do câncer. Após a confirmação, é possível iniciar o tratamento mais adequado, que pode variar de acordo com a localização do tumor e sua extensão, podendo ser indicada a realização de cirurgia, quimio e/ou radioterapia.

Esta informação foi útil?
Mais sobre este assunto: