Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

O que fazer se está perdendo líquido amniótico

Quando se acha que se pode estar perdendo líquido amniótico no primeiro ou segundo trimestre é aconselhado ir imediatadamente ao pronto-socorro ou ao obstetra pois, caso o líquido esteja saindo, pode prejudicar o desenvolvimento e crescimento do bebê.

No entanto, na maioria dos casos, a perda de líquido amniótico é apenas confundida com a perda involuntária de urina que acontece devido ao peso do útero sobre a bexiga. Assim, uma boa forma para saber se se está perdendo líquido amniótico ou urina é colocar um absorvente íntimo na calcinha e observar as características do líquido. Normalmente, a urina é amarelada e apresenta cheiro, enquanto o líquido amniótico é transparente e sem cheiro.

Já quando a perda de líquido acontece após as 36 semanas, normalmente, é sinal de rompimento das membranas e, por isso, deve-se ir para o hospital pois pode estar chegando o momento do parto.

Sintomas da perda de líquido aminótico

Os principais sintomas e sinais de perda de líquido amniótico incluem:

  • Líquido transparente na roupa íntima;
  • Líquido que sai continuamente, mesmo que em pouca quantidade;
  • Diminuição dos movimentos do bebê no útero.

As grávidas com fatores de risco, como hipertensão arterial, diabetes ou lúpus têm maior probabilidade de apresentarem perda de líquido amniótico, devendo fazer consultas mais regulares no consultório do obstetra.

Tratamento para perda de líquido amniótico

O tratamento para perda de líquido aminótico varia de acordo com a idade gestacional, sendo que, quando acontece mais para o final da gestação, e o bebê se encontra bem desenvolvido, o tratamento mais utilizado consiste em antecipar o parto.

Já nos 2 primeiros trimestres de gravidez o tratamento geralmente é feito com avaliações constantes no obstetra para avaliar a quantidade de líquido ao longo da gestação, sendo que quando está ;muito baixo pode ser recomendado aumentar a ingestão de água e manter o repouso.

Veja como tratar o líquido reduzido em: O que fazer em caso de líquido amniótico reduzido.

O que pode causar perda de líquido amniótico

As causas de perda de líquido amniótico nem sempre são conhecidas. No entanto, a grávida pode perder líquido amniótico devido a quadros infecciosos genitais, sendo, por isso, recomendado consultar o obstetra sempre que surgem sintomas como queimação ao urinar, dor genital ou vermelhidão, por exemplo.

Outras causas que podem provocar perda de líquido amniótico ou levar à redução da sua quantidade incluem:

  • Ruptura parcial da bolsa - o líquido amniótico começa vazando por haver um pequeno furo na bolsa. É mais frequente no final da gravidez e normalmente a abertura fecha sozinha;
  • Anomalias do bebê - no início do segundo trimestre, o bebê começa engolindo o líquido amniótico eliminando-o pela urina. Quando há perda de líquido amniótico, os rins do bebê podem não se desenvolver corretamente;
  • Problemas na placenta - a placenta pode não estar produzindo sangue e nutrientes suficientes para o bebê e ele não produz tanta urina, havendo menos líquido amniótico;
  • Medicamentos para a hipertensão arterial, contra o parto prematuro e o ibuprofeno afetam os rins do bebê, diminuindo a quantidade de líquido amniótico;
  • Síndrome de transfusão feto-fetal - em caso de gêmeos idênticos, um pode receber mais sangue e nutrientes que o outro, fazendo com que um tenha menos líquido amniótico que o outro.

Além disso, alguns medicamentos, como o Ibuprofeno ou os remédios para a pressão alta, também podem diminuir a produção de líquido amniótico e, por isso, a grávida deve informar o obstetra antes de tomar qualquer medicamento.

Mais sobre este assunto:


Carregando
...