Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

O que é Leucorreia e como Tratar

A leucorreia é o nome que se dá ao corrimento vaginal, que pode ser crônico ou agudo, podendo também provocar coceira e irritação genital. Seu tratamento é feito com o uso antibióticos ou antifúngicos em dose única ou durante 7 ou 10 dias dependendo de cada situação.

A secreção vaginal fisiológica, sendo considerada normal é transparente ou levemente esbranquiçada, mas quando existem vírus, fungos ou bactérias, na região genital feminina, a secreção vaginal se torna amarelada, esverdeada ou acinzentada. 

O fluxo vaginal ou corrimento pode ser causando por diversas doenças do aparelho reprodutor, como a inflamação dos ovários ou do útero, candidíase ou mesmo uma simples alergia, por isso um diagnóstico bem feito é o método ideal para identificar e tratar sua causa de forma eficiente.

O que é Leucorreia e como Tratar

Como identificar 

O ginecologista é o médico indicado para avaliar o corrimento vaginal, ele poderá fazer o diagnóstico ao observar o órgão genital, a calcinha, ao avaliar o pH da vagina e se necessário poderá solicitar o papanicolau para maiores esclarecimentos.

Normalmente a cor, a espessura e outros sintomas presentes ajudam o médico a identificar qual o micro-organismo envolvido e qual o tratamento adequado em cada caso. Saiba o que quer dizer cada cor do corrimento vaginal e como é feito seu tratamento.  

Tratamento para leucorreia

Seu tratamento pode ser feito com o uso de medicamentos antifúngicos ou antibióticos, receitados pelo ginecologista, como:

  • 150 mg de Fluconazol por semana, durante 1 a 12 semanas;
  • 2g de Metronidazol em dose única ou 2 comprimidos de 500 mg durante 7 dias consecutivos;
  • 1g de Azitromicina em dose única ou
  • 1g Ciprofloxacina em dose única.

As infecções podem ser causadas pelo contato íntimo desprotegido e por isso o tratamento dos parceiros são recomendados para o tratamento alcançar resultados.

Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...