Insulina: o que é, para que serve e quando tomar

Revisão clínica: Manuel Reis
Enfermeiro
junho 2022

A insulina é um hormônio responsável pelo transporte da glicose que está no sangue para o interior das células para que seja usada como fonte de energia para o organismo. A insulina é produzida pelas células beta do pâncreas e o principal estímulo para a sua produção é o aumento da quantidade de açúcar circulante no sangue após as refeições.

Quando a produção deste hormônio é insuficiente ou ausente, como no diabetes, o açúcar não consegue ser levado para o interior das células e, por isso, acaba se acumulando no sangue e na urina, provocando complicações como retinopatia, insuficiência renal, ferimentos que não cicatrizam e até favorecendo o AVC, por exemplo.

É importante que o endocrinologista seja consultado caso exista suspeita de qualquer alteração relacionada com os níveis de insulina, pois assim é possível que seja feita uma avaliação e seja indicada a realização de exames de sangue para confirmar se há algum problema relacionado com a produção de insulina e, assim, ser possível indicar o tratamento mais adequado, caso haja necessidade.

Para que serve a insulina

A insulina serve para:

  • Diminuir a quantidade de açúcar circulante no sangue proveniente da digestão dos alimentos, permitindo que a glicose entre nas células do organismo para ser usada como fonte de energia;
  • Promover o armazenamento da glicose no fígado, na forma de glicogênio hepático, e no tecido adiposo na forma de triglicerídeos, já que ajuda a captar a glicose em excesso que está na circulação;
  • Regular o metabolismo dos carboidratos, gorduras e proteínas.

Ao mesmo tempo em que a insulina atua promovendo a diminuição da quantidade de açúcar circulante, há aumento da produção de outro hormônio, o glucagon. O glucagon possui ação contrária à insulina, de forma que atua liberando a glicose que está armazenada na gordura, fígado e músculos para o sangue, para que o corpo utilize quando os níveis de açúcar estão muito baixos, como durante um período de jejum, por exemplo.

A ação destes 2 hormônios, insulina e glucagon, é muito importante para equilibrar a quantidade de glicose no sangue, impedindo que fique em excesso ou em falta, pois ambas as situações trazem complicações ruins ao organismo.

Tipos de insulina

O pâncreas produz insulina de 2 tipos:

  • Basal: é a secreção de forma contínua da insulina, para manter um mínimo constante ao longo do dia;
  • Bolus ou pulsátil: é quando o pâncreas libera grandes quantidades de uma vez, após cada alimentação, impedindo assim, que o açúcar dos alimentos se acumule no sangue. 

É por esse motivo que, quando a pessoa precisa utilizar insulina sintética para tratar a diabetes, também é importante usar esses dois tipos: uma que deve ser injetada uma vez por dia, e outra que deve ser injetada sempre depois das refeições. Veja mais sobre os tipos de insulina sintética.

Quando é preciso tomar insulina

É necessário utilizar insulina sintética nas situações em que o corpo não consegue produzi-la nas quantidades necessárias, como acontece no diabetes tipo 1 ou diabetes tipo 2 graves. A insulina sintética dos medicamentos imita a secreção de insulina do corpo ao longo do dia, tanto a basal como a pulsátil, por isso existem vários tipos, que se diferenciam pela rapidez com que agem sobre a glicose do sangue. Entenda melhor quando é necessário o iniciar o uso da insulina.

É importante que a insulina seja indicada pelo endocrinologista e seja seguido o esquema prescrito pelo médico, que poderá depender da condição de saúde da pessoa.

Onde aplicar a insulina

A insulina injetável deve ser aplicada no tecido adiposo debaixo da pele através de uma seringa ou canetas especiais para essa finalidade, podendo ser administrada no abdômen, braços ou músculos. Veja mais sobre como aplicar a insulina.

No caso da bomba de insulina, que é um dispositivo que é colocado na pele, é possível programar o tipo de insulina a ser administrada, que pode ser tanto basal quanto pulsátil, de acordo com as necessidades de cada pessoa.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Equipe Editorial do Tua Saúde, em junho de 2022. Revisão clínica por Manuel Reis - Enfermeiro, em junho de 2022.

Bibliografia

  • RAHMAN Saidur, et al. Role of Insulin in Health and Disease: An Update. International Journal of Molecular Sciences. 22. 12; 1-19, 2021
  • CDC. Tipos de insulina. Disponível em: <https://www.cdc.gov/diabetes/spanish/basics/type-1-types-of-insulin.html>. Acesso em 29 jun 2022
Mostrar bibliografia completa
  • AMERICAN DIABETES ASSOCIATION. Understanding Insulin Resistance. Disponível em: <https://www.diabetes.org/healthy-living/medication-treatments/insulin-resistance>. Acesso em 29 jun 2022
  • PAT, James; MCFADDEN, Roger. Understanding the processes behind the regulation of blood glucose. Diabetes Knowledge. Vol.100. 56-58, 2004
  • GUPTA, Anuradha; SHARMA, Malini; SHARMA, Jyoti. A Role of Insulin in different types of Diabetes. Int.J.Curr.Microbiol.App.Sci. Vol.1. 58-77, 2015
Revisão clínica:
Manuel Reis
Enfermeiro
Pós-graduado em fitoterapia clínica e formado pela Escola Superior de Enfermagem do Porto, em 2013. Membro nº 79026 da Ordem dos Enfermeiros.