Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Como é o tratamento para HPV na gravidez e riscos para o bebê

O HPV na gravidez é uma infecção sexualmente transmissível cujos sintomas podem ser manifestados durante a gestação devido às alterações hormonais, baixa da imunidade e aumento da vascularização na região, que são típicos desse período. Assim, caso a mulher tenha tido contato com o vírus, é possível que seja verificada a presença de verrugas genitais que podem ser grandes ou pequenas, além de também poder variar em quantidade de acordo com o estado geral de saúde da mulher.

Apesar de não ser muito frequente, o bebê pode ser contaminado pelo HPV no momento do parto, principalmente quando a mulher apresenta verrugas genitais grandes ou em muita quantidade. Caso haja a contaminação, o bebê pode desenvolver algumas verrugas na região dos olhos, boca, laringe e região genital, no entanto isso é raro.

Como é o tratamento para HPV na gravidez e riscos para o bebê

Como tratar o HPV na gravidez

O tratamento para o HPV na gravidez deve ser feito até a 34ª semana de gravidez, de acordo com a orientação do obstetra, isso porque é importante promover a cicatrização das verrugas antes do parto para evitar a transmissão do vírus para o bebê. Assim, pode ser recomendado pelo médico a realização de:

  • Aplicação de ácido tricloroacético: serve para dissolver as verrugas e deve ser feito 1 vez por semana, durante 4 semanas;
  • Eletrocauterização: utiliza uma corrente elétrica para remover verrugas isoladas na pele e, por isso, é feito com anestesia local;
  • Crioterapia: aplicação de frio para congelar as verrugas com nitrogênio líquido, fazendo com que a lesão caia em alguns dias.

Estes tratamentos podem provocar dor, que geralmente é tolerada, e devem ser feitos no consultório do ginecologista, podendo a gestante regressar a casa sem cuidados especiais.

Como fica o parto em caso de HPV

Normalmente, o HPV não é contraindicação para o parto normal, mas quando as verrugas genitais são muito grandes pode ser indicada cesárea ou cirurgia para retirar as verrugas.

Apesar de haver risco da mãe transmitir o vírus do HPV para o bebê durante o parto, não é comum o bebê ficar contaminado. No entanto, quando o bebê fica contaminado, ele pode apresentar verrugas na boca, garganta, olhos ou região genital.

Riscos do HPV na gravidez

Os riscos do HPV na gravidez estão relacionados com o fato da mãe poder transmitir o vírus para o bebê durante o parto. No entanto, isto não é comum e mesmo que o bebê contraia HPV na hora do parto, na maioria das vezes, não chega a manifestar a doença. Contudo, quando o bebê é contaminado, pode desenvolver verrugas na região oral, genital, ocular e laríngea, que devem ser devidamente tratadas.

Após o nascimento do bebê, é aconselhado que a mulher seja novamente examinada para verificar a existência ou não do vírus HPV e continuar o tratamento, se assim for necessário. É importante ainda que a mulher saiba que o tratamento para o HPV no pós-parto não impede a amamentação, pois não passa para o leite materno.

Sinais de melhora do HPV

Os sinais de melhora do HPV na gravidez são a diminuição do tamanho e número de verrugas, enquanto os sinais de piora são o aumento do número de verrugas, do seu tamanho e das regiões afetadas, sendo recomendado consultar o médico para adequar o tratamento.

Veja como o HPV tem cura.

Entenda melhor e de forma simples o que é e como tratar esta doença assistindo ao vídeo a seguir:

Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Publicidade
Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem