Herpes labial na gravidez: sintomas e tratamento

novembro 2022

A herpes labial na gravidez não passa para o bebê e não prejudica a sua saúde, mas deve ser tratada logo que surgir para evitar que o vírus passe para a região íntima da mulher, causando a herpes genital, um tipo mais grave da doença que pode contaminar o bebê.

O tratamento deve ser feito sob a orientação do médico, que pode indicar o uso de medicamentos antivirais.

A herpes labial na gravidez é normal, pois ocorre um enfraquecimento do sistema imune da gestante que leva ao aparecimento da ferida da herpes na boca, a qual pode coçar e doer. Conheça mais sobre a herpes labial.

Sintomas de herpes labial na gravidez

Os principais sintomas de herpes labial na gravidez são:

  • Aparecimento de pequena ferida no lábio;
  • Coceira e vermelhidão em uma parte do lábio;
  • Dor para movimentar a boca;
  • Aparecimento de bolha no lábio, em alguns casos.

É possível saber que os sintomas de herpes labial vão surgir cerca de 2 dias antes do aparecimento das feridas, já que pode ser notado formigamento, coceira e vermelhidão na boca.

Como é feito o tratamento

O tratamento da herpes labial na gravidez pode ser feito com pomadas antivirais ou medicamentos antivirais orais, como Aciclovir, Valaciclovir ou Famciclovir, por exemplo, sob indicação do obstetra que acompanha a gravidez, pois não há consenso do uso destes medicamentos na gestação.

Porém, a gestante pode recorrer a um tratamento alternativo, sob orientação do médico, para herpes labial com extrato de própolis para aliviar a inflamação e cicatrizar a ferida, colocando 2 a 3 gotas na ferida até ela desaparecer, pois o extrato de própolis tem propriedades anti-inflamatórias, cicatrizantes e antivirais.

Também é importante lembrar que se a gestante estiver com uma ferida da herpes labial após o parto, deve evitar beijar o bebê e lavar sempre as mãos antes de tocar nele para evitar a transmissão do vírus.

Grávida pode tomar aciclovir?

A grávida pode tomar aciclovir para tratamento do herpes desde que recomendado pelo médico e quando os benefícios superam os possíveis riscos para o bebê.

Em estudos realizados com o aciclovir, não foram verificados efeitos teratogênicos ou mutagênicos, ou seja, não possui capacidade de interferir no desenvolvimento do bebê, no entanto é fundamental que o uso seja feito conforme orientação médica, pois a dosagem e tempo de uso pode variar de acordo com a idade gestacional e saúde geral da mulher.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Marcela Lemos - Biomédica, em novembro de 2022. Revisão médica por Drª. Sheila Sedicias - Ginecologista, em fevereiro de 2016.

Bibliografia

  • BVS. Qual a conduta para lesões herpéticas genitais na gestação no caso de primoinfecção ou recidivante?. Disponível em: <https://aps-repo.bvs.br/aps/qual-a-conduta-para-lesoes-herpeticas-genitais-na-gestacao-no-caso-de-primoinfeccao-ou-recidivante/>. Acesso em 01 jul 2022
Revisão médica:
Drª. Sheila Sedicias
Ginecologista
Médica mastologista e ginecologista formada pela Universidade Federal de Pernambuco, em 2008 com registro profissional no CRM PE 17459.