Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.

Hernia epigástrica: o que é, sintomas, causas e tratamento

A hérnia epigástrica é caracterizada por uma espécie de buraco, que se forma devido ao enfraquecimento do músculo da parede abdominal, acima do umbigo, permitindo a saída de tecidos para fora dessa abertura, como o tecido gorduroso ou mesmo parte do intestino, formando-se uma saliência que se torna visível na parte de fora da barriga.

Geralmente, a hernia epigástrica não causa outros sintomas, no entanto, em alguns casos, pode-se sentir dor ou desconforto na região, como quando a pessoa tosse ou levanta pesos, por exemplo.

O tratamento consiste na realização de uma cirurgia, em que se reintroduzem os tecidos na cavidade abdominal, podendo também ser colocada uma tela para fortalecer a parede abdominal.

Hernia epigástrica: o que é, sintomas, causas e tratamento

Sintomas de hérnia epigástrica

Na maior parte dos casos, a hérnia epigástrica é assintomática, notando-se apenas um inchaço na região acima do umbigo. No entanto, em alguns casos, pode ocorrer dor e desconforto na região, principalmente ao tossir ou ao levantar pesos, por exemplo.

Além disso, se a hérnia aumentar de tamanho, pode ocorrer a saída do intestino para fora da parede abdominal. Como consequência, pode ocorrer uma obstrução ou estrangulamento do intestino, que gera sintomas como prisão de ventre, vômitos e diarreia, sendo que, nesses casos, é necessário fazer cirurgia para correção.

Possíveis causas

A hérnia epigástrica é causada por um enfraquecimento dos músculos da parede abdominal, o que pode acontecer devido a alguns fatores como excesso de peso, fazer trabalhos pesados ou  grandes esforços, por exemplo. 

Como é feito o tratamento

Na maior parte dos casos, a hérnia epigástrica deve ser tratada quando existem sintomas, sendo assim possível prevenir complicações.

A cirurgia pode ser realizada com anestesia local, quando é pequena, ou geral e consiste na reintrodução e reposição dos tecidos salientes na cavidade abdominal, podendo ser feita por laparoscopia. Em seguida, o médico sutura a abertura, podendo ainda colocar uma tela na região quando a hérnia tem grande volume, de forma a fortalecer a parede abdominal e evitar que a hérnia se forme novamente.

Geralmente, a recuperação da cirurgia é rápida e bem sucedida, e a pessoa tem alta cerca de um ou dois dias depois. Durante o período de recuperação, a pessoa deve evitar fazer esforços e realizar atividades intensas. O médico pode ainda receitar remédios analgésicos e anti-inflamatórios para aliviar a dor pós-operatória.

Efeitos colaterais da cirurgia

Geralmente a cirurgia é bem tolerada, causando apenas uma ligeira dor e hematomas na região da incisão. No entanto, embora seja raro, pode ocorrer infecção na região e, em cerca de 1 a 5% dos casos, a hernia pode surgir novamente.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • SOUSA, MV et. al.. Hérnia Epigástrica: incidência no Hospital Florianópolis. Arquivos Catarinenses de Medicina. 34. 2; 38-40, 2005
  • ROYAL UNITED HOSPITAL BATH - NHS. Epigastric Hernia Repair. Disponível em: <https://www.ruh.nhs.uk/patients/services/upper_gi/documents/epigastric_hernia4.pdf>. Acesso em 12 Set 2019
Mais sobre este assunto:

Carregando
...