Hérnia abdominal: o que é, sintomas, causas, tipos e tratamento

agosto 2022
  1. Sintomas
  2. Causas
  3. Tipos
  4. Tratamento

A hérnia abdominal é uma saliência ou um caroço na região da barriga, principalmente na região acima do umbigo, dentro do umbigo ou na virilha, devido a uma fragilidade dos músculos abdominais, fazendo com que uma parte do intestino ou de outro órgão do abdômen consiga atravessar o músculo, se acumulando entre os músculos e pele.

Geralmente, a hérnia abdominal, não causa sintomas, podendo a saliência aparecer quando se faz força na região abdominal, como ao rir, levantar peso, tossir ou evacuar, por exemplo. No entanto, podem surgir sintomas como dor, inchaço e vermelhidão no local, especialmente quando há um estrangulamento ou torção dos órgãos que estão dentro da hérnia.

O tratamento da hérnia abdominal é feito pelo cirurgião geral através de uma cirurgia para recolocar aquela parte do órgão por trás dos músculos abdominais. A cirurgia é simples, sem a necessidade de anestesia geral e, geralmente, a pessoa permanece no hospital por apenas um dia.

Sintomas de hérnia abdominal

Os principais sintomas de hérnia abdominal são:

  • Saliência ou um caroço dentro ou acima do umbigo, ou na virilha, que geralmente fica maior ao fazer esforços abdominais;
  • Dor ou desconforto no local da hérnia;
  • Dor abdominal;
  • Inchaço e vermelhidão no local da hérnia;
  • Náuseas;
  • Prisão de ventre.

Além disso, em casos mais graves ou quando ocorre um estrangulamento dos tecidos localizados na hérnia, podem surgir sintomas como alteração na cor da pele em volta da hérnia, que pode ficar vermelha, roxa ou escura, vômitos, febre, inchaço, dor ou sensibilidade no abdômen. Nesse caso, deve-se procurar o atendimento médico imediatamente ou o pronto socorro mais próximo para tratamento imediato.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico da hérnia abdominal é feito pelo clínico geral, no caso de adultos, ou pediatra, no caso de bebês e crianças, através do exame físico, ao observar a saliência dentro, acima ou ao redor do umbigo, ou na virilha, e avaliação dos sintomas, permitindo identificar o tipo de hérnia abdominal. 

Além disso, quando a hérnia abdominal é de difícil diagnóstico clínico, o médico pode solicitar exames de imagem, como ultrassom abdominal, ressonância magnética ou tomografia computadorizada. Esses exames também podem ser solicitados para avaliar complicações da hérnia abdominal. 

Possíveis causas

A hérnia abdominal é causada por um enfraquecimento dos músculos da barriga, fazendo que uma parte do intestino, tecido gorduroso ou fluidos, consiga passar pela abertura do músculo, e se acumular entre os músculos e pele, formando a saliência.

Alguns fatores podem contribuir para o surgimento da hérnia abdominal, como:

  • Fatores genéticos;
  • Histórico anterior de hérnia;
  • Histórico familiar de hérnia;
  • Obesidade ou sobrepeso;
  • Tosse crônica;
  • Fazer muita força para defecar;
  • Levantamento de pesos na academia ou no trabalho;
  • Carregar bolsas muito pesadas frequentemente;
  • Gravidez múltipla ou várias gravidezes em um curto espaço de tempo;
  • Lesões ou traumas na região abdominal;
  • Ascite, que é o acúmulo de líquido na cavidade abdominal;
  • Cirurgia anterior na região abdominal;
  • Diálise peritoneal para o tratamento de insuficiência renal.

A hérnia abdominal pode surgir em bebês ou crianças, sendo mais comum a hérnia umbilical, mas também pode ocorrer em adultos, como a hérnia inguinal, epigástrica, umbilical e incisional, por exemplo. 

Tipos de hérnia abdominal

Os principais tipos de hérnia abdominal são:

O tipo de hérnia abdominal é identificado pelo médico durante a avaliação dos sintomas e da localização da hérnia. Veja também outros tipos de hérnia

Como é feito o tratamento

O principal tratamento da hérnia abdominal é a cirurgia, entretanto, em alguns casos, podem regredir sozinhas, como no caso de hérnias pequenas ou de hérnias no bebê, principalmente a umbilical.

A cirurgia é realizada em centro cirúrgico, com anestesia local ou raquidiana, e pode ser feita com a abertura do abdômen ou por videolaparoscopia, em um procedimento que dura cerca de 1 hora. Assim, os órgãos são empurrados e reintroduzidos no interior do abdômen, e a abertura é fechada com sutura.

Quando os músculos da barriga estão muito enfraquecidos, pode ser necessária a colocação de uma tela para reforçar a proteção e reduzir as chances de formação de uma nova hérnia.

Como é a recuperação

O pós-operatório da cirurgia de hérnia abdominal acontece, normalmente, com uma rápida recuperação, e em 1 a 2 dias já se tem alta do hospital. As recomendações são:

  • Uso de medicamento analgésicos ou anti-inflamatórios para a dor, prescritos pelo médico;
  • Não realizar esforços como dirigir ou carregar peso por 7 a 10 dias;
  • Retornar à consulta de reavaliação com o cirurgião em 7 dias;
  • Realizar atividades físicas mais intensas, como esportes, após 1 mês.

Na maioria da vezes, a hérnia fica curada com a cirurgia e, por isso, existe um risco muito pequeno de retornar.

Possíveis complicações 

Uma das principais complicações da hérnia abdominal é o estrangulamento de algum órgão da região do abdômen, na maioria das vezes intestino, havendo diminuição da circulação de sangue para o local, podendo resultar em necrose, que é a morte dos tecidos. Nesse caso, a cirurgia deve ser feita imediatamente, pois é uma situação grave que pode colocar a vida em risco.

Além do estrangulamento, pode haver também obstrução intestinal, em que o conteúdo intestinal não consegue passar pela região da hérnia, podendo causar náuseas e vômitos, além de constipação intestinal.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Flávia Costa - Farmacêutica, em agosto de 2022. Revisão médica por Dr.ª Clarisse Bezerra - Médica de Saúde Familiar, em fevereiro de 2020.

Bibliografia

  • LIVINGSTON, E. H. What Is an Abdominal Wall Hernia?. JAMA. 316. 15; 1610, 2016
  • THEODOROU, C. M.; et al. Traumatic Abdominal Wall Hernia in Children: A Systematic Review. J Surg Res. 262. 181-189, 2021
Mostrar bibliografia completa
  • SCHLOSSER, K. A.; et al. The impact of weight change on intra-abdominal and hernia volumes. Surgery. 167. 5; 876-882, 2020
  • KOCKERLING, F.; et al. The reality of general surgery training and increased complexity of abdominal wall hernia surgery. Hernia. 23. 6; 1081-1091, 2019
  • BILEZIKIAN; J. A.; et al. Clinical Application of the Measurement of Abdominal Wall Tension in Hernia Repair. Surg Technol Int. 35. 129-134, 2019
  • AHMEDALENAZI, Abdulmajeed et al. Prevalence, risk factors and character of abdominal hernia in Arar City, Northern Saudi Arabia in 2017. Electron Physician. Vol 09. 7 ed; 4806-4811, 2017
Revisão médica:
Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
Formada em Medicina pelo Centro Universitário Christus e especialista em Saúde da Família pela Universidade Estácio de Sá. Registro CRM-CE nº 16976.