Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Hérnia abdominal: sintomas, como é feita a cirurgia e causas

Atualizado em Setembro 2019

A hérnia abdominal é caracterizada por uma abaulamento de algum órgão da barriga para fora do corpo que, geralmente, não causa sintomas, mas pode provocar dor, inchaço e vermelhidão no local, especialmente quando há um encarceramento ou torção dos órgãos que estão dentro da hérnia.

Esta hérnia pode aparecer em pessoas de qualquer idade por enfraquecimento genético da parede que cobre o abdômen, ou após a realização de algum esforço, como tossir ou levantar um peso excessivo, sendo, por isso, mais comum na virilha e no umbigo, ou até mesmo após uma cirurgia naquele local.

O tratamento para a hérnia abdominal é feito através de uma cirurgia para recolocar aquela parte do órgão por trás dos músculos abdominais. A cirurgia é simples, sem a necessidade de anestesia geral e, geralmente, a pessoa permanece no hospital por apenas 1 dia.

Hérnia abdominal: sintomas, como é feita a cirurgia e causas

Principais sintomas

A presença de uma hérnia abdominal é notada devido à existência de um inchaço ou um caroço na região da barriga, principalmente na região acima do umbigo, dentro do umbigo e na virilha. Este inchaço é formado quando o conteúdo da barriga, geralmente intestino, consegue ultrapassar o músculo da barriga, formando um saco herniário.

Geralmente, o conteúdo do saco herniário pode entrar e sair livremente, sem causar sintomas, ou causar um pequeno incômodo. Entretanto, quando o orifício da passagem dos órgãos fica mais estreito, acontece a chamada hérnia encarcerada ou estrangulada, que pode apresentar sintomas, como:

  • Dor forte no local da hérnia ou no abdômen;
  • Inchaço e vermelhidão no local da hérnia;
  • Náuseas e vômitos.

Esta condição é grave, e deve ser tratada com cirurgia o mais rápido possível, devido ao risco de faltar circulação de sangue para os órgãos, havendo risco de inflamação, perfuração e infecção, que é a necrose.

Possíveis complicações da hérnia abdominal

Apesar da maioria das hérnias serem solucionadas penas por meio da manipulação da hérnia para a cavidade abdominal, em alguns casos isso não é possível, podendo resultar em complicações. Uma das principais complicações é o estrangulamento de algum órgão da região abdominal, na maioria das vezes intestino, havendo diminuição da circulação de sangue para o local, podendo resultar em necrose.

Além do estrangulamento, pode haver também obstrução intestinal, em que o conteúdo intestinal não consegue passar pela região da hérnia, podendo causar cãibras e vômitos, além de constipação intestinal.

Cirurgia para hérnia abdominal

O principal tratamento para as hérnias é a cirurgia, entretanto, em alguns casos, podem regredir sozinhas, como no caso de hérnias pequenas ou de hérnias no bebê, principalmente a umbilical.

A cirurgia é realizada em centro cirúrgico, com anestesia local ou raquidiana, e pode ser feita com a abertura do abdômen ou por videolaparoscopia, em um procedimento que dura cerca de 1 hora. Assim, os órgãos são empurrados e reintroduzidos no interior do abdômen, e a abertura é fechada com sutura.

Em alguns casos em que os músculos da barriga estão muito enfraquecidos, pode ser necessária a colocação de uma tela para reforçar a proteção.

Como é a recuperação

O pós operatório da cirurgia de hérnia abdominal acontece, normalmente, com uma rápida recuperação, e em 1 a 2 dias já se tem alta do hospital. As recomendações são:

  • Uso de medicamento analgésicos ou anti-inflamatórios para a dor, prescritos pelo médico;
  • Não realizar esforços como dirigir ou carregar peso por 7 a 10 dias;
  • Retornar à consulta de reavaliação com o cirurgião em 7 dias;
  • Realizar atividades físicas mais intensas, como esportes, após 1 mês.

Na maioria da vezes, a hérnia fica curada com a cirurgia e, por isso, existe um risco muito pequeno de retornar.

O que causa a hérnia abdominal

A hérnia acontece quando há algum enfraquecimento do tecido da barriga, que pode ser genético, ou que pode surgir após um aumento da pressão dentro da barriga, como acontece após um esforço, devido à obesidade ou à gravidez, por exemplo.

Os principais tipos de hérnia abdominal são:

  • Inguinal, na região da virilha, que é o tipo mais comum. Saiba como identificar e tratar uma hérnia inguinal;
  • Epigástrica, que fica acima do umbigo, no local da junção entre os músculos do abdômen. Saiba mais sobre a hérnia epigástrica;
  • Umbilical, é a mais comum em bebês, e, geralmente, regride sem precisar de cirurgia nos primeiros anos de vida. Veja o que fazer em caso de hérnia umbilical;
  • Incisional, acontece no local de alguma cirurgia antiga, devido ao enfraquecimento do local onde foi feita a sutura.

Para diagnosticar a hérnia abdominal, o médico pode fazer um exame físico que avalia o inchaço da bariga, mas a confirmação é feita por um exame de ultrassom do abdômen.


Bibliografia

  • AHMEDALENAZI, Abdulmajeed et al. Prevalence, risk factors and character of abdominal hernia in Arar City, Northern Saudi Arabia in 2017. Electron Physician. Vol 09. 7 ed; 4806-4811, 2017
  • NEWS MEDICAL. Hernia Complications. Link: <www.news-medical.net>. Acesso em 10 Set 2019
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto. Não lhe iremos responder directamente. Se quiser uma resposta clique em Contato.

Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem