Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Hemangioma no fígado (hepático): o que é, sintomas e como tratar

O hemangioma no fígado é um pequeno nódulo formado por um emaranhado de vasos sanguíneos, que, normalmente, é benigno, não evoluindo para câncer e não provocando sintomas. As causas do hemangioma no fígado não são conhecidas, no entanto, este problema é mais comum em mulheres com idade entre os 30 e os 50 anos, que já estiveram grávidas ou que fazem reposição hormonal.

Geralmente, o hemangioma no fígado não é grave, sendo descoberto durante exames de diagnóstico a outros problemas, como ultrassom abdominal ou tomografia computadorizada. 

Na maioria dos casos, o hemangioma não necessita de tratamento, desaparecendo sozinho e sem apresentar ameaças para a saúde do paciente. Entretanto, há situações em que pode crescer muito ou apresentar risco de sangramento, o que pode ser perigoso, por isso, o hepatologista poderá indicar uma cirurgia. 

Hemangioma no fígado (hepático): o que é, sintomas e como tratar

Possíveis sintomas

Os sintomas do hemangioma podem incluir:

  • Dor ou desconforto no lado direito do abdômen;
  • Náuseas e vômitos;
  • Distensão abdominal;
  • Sensação de saciedade após comer pouca comida;
  • Perda de apetite.

Estes sintomas são raros e, normalmente, surgem apenas quando o hemangioma tem um tamanho superior a 5 cm, sendo recomendado consultar um hepatologista para fazer uma avaliação adequada.

Os exames e a análise do hepatologista irão observar a necessidade de realizar o tratamento ou apenas observar, além de diferenciar que o nódulo não se trata de um câncer no fígado. Confira quais são os sinais que indicam câncer no fígado

Como confirmar

O hemangioma do fígado é detectado através de exames de imagem do abdômen, como ultrassom, tomografia computadorizada ou ressonância magnética.

Esses exames também são úteis para diferenciar o hemangioma de outros tipos de lesões hepáticas, como tumores malignos ou o cisto do fígado, que é um acúmulo de líquido neste órgão. Para entender as diferenças, confira mais detalhes sobre o que é o cisto no fígado

Tomografia do hemangioma no fígado
Tomografia do hemangioma no fígado
Hemangioma no fígado
Hemangioma no fígado

Como é feito o tratamento

O tratamento para hemangioma no fígado deve ser orientado por um hepatologista, mas normalmente só é feito quando o paciente apresenta sintomas como dor abdominal ou vômitos constantes, quando há dúvidas de que o hemangioma possa ser um tumor maligno ou quando há risco de rompimento dos vasos com sangramento.

Normalmente, o tratamento mais utilizado para o hemangioma no fígado é a cirurgia para retirada do nódulo ou da parte afetada do fígado, porém, nos casos mais graves, também pode ser necessária radioterapia ou transplante hepático.

Quando o paciente não precisa de tratamento para hemangioma no fígado, é recomendado fazer a vigilância do problema, pelo menos, 1 vez ano no hepatologista.

Dieta para hemangioma hepático

Não existe um tipo de dieta específico para o hemangioma hepático, no entanto, pode-se ter alguns cuidados com a alimentação para manter a saúde do fígado, como:

  • Evitar o consumo excessivo de alimentos ricos em gordura, açúcar e sal;
  • Incluir 3 a 5 porções de frutas e vegetais na alimentação diária;
  • Aumentar o consumo de alimentos ricos em fibras, como os cereais integrais;
  • Preferir as carnes magras, como frango, peixe ou peru;
  • Evitar o consumo de bebidas alcoólicas;
  • Aumentar o consumo de água, entre 2 a 2,5 litros por dia.

O ideal sempre é consultar um nutricionista para adaptar a dieta as necessidades individuais, especialmente se existir outra doença associada. Veja com maior detalhes como deve ser a dieta para limpar o fígado e mantê-lo saudável.

Bibliografia >

  • AMERICAN LIVER FOUNDATION. Liver Disease Diets. Disponível em: <https://liverfoundation.org/for-patients/about-the-liver/health-wellness/nutrition/>. Acesso em 07 Abr 2020
  • Machado, M.M. et al.. Hemangiomas hepáticos: aspectos ultra-sonográficos e clínicos. Radiol Bras 2006;39(6):441–446. Disponível em:
  • COELHO, Júlio Cezar Uili. et al. INDICAÇÃO E TRATAMENTO DOS TUMORES BENIGNOS DO FÍGADO. ABCD Arq Bras Cir Dig 2011;24(4): 318-323.
  • Associação Europeia para o Estudo do Fígado (EASL). Normas de Orientação Clínica da EASL sobre a abordagem dos tumores hepáticos benignos. Journal of Hepatology 2016 vol. 65 p. 386–398.
  • RECOMENDAÇÕES DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE HEPATOLOGIA - SBH. Diagnostico e tratamento de nódulos hepáticos benignos. Disponível em: <http://sbhepatologia.org.br/pdf/recomendacoes_nodulos_hepaticos_2.pdf>. Acesso em 13 Abr 2020
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Publicidade
Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem