Granuloma piogênico: o que é, causas e tratamento

dezembro 2021

O granuloma piogênico é uma alteração relativamente comum da pele que provoca o surgimento de uma massa vermelha brilhante com tamanho entre os 2 mm e os 2 cm, chegando raramente até os 5 cm. Em alguns casos, o granuloma piogênico também pode se apresentar com uma coloração mais escura com tons marrom ou azul escuro.

Esta alteração da pele é sempre benigna e surgem com mais frequência na cabeça, nariz, pescoço, peito, mãos e dedos. Na gravidez, é possível que o granuloma piogênico apareça em mucosas, como no interior da boca ou das pálpebras.

É indicado que o dermatologista seja consultado quando o granuloma causa desconforto ou quando surgem sangramento, sendo importante iniciar o tratamento, que pode envolver a realização de curetagem, cauterização, crioterapia ou uso de pomadas, por exemplo.

Como identificar

O granuloma piogênico corresponde a uma massa vermelha ou arroxeada na pele, podendo sangrar quando se toca nela. 

O diagnóstico é feito na maior parte dos casos por um dermatologista apenas pela observação da lesão. No entanto, o médico pode pedir uma biópsia de um pedaço do granuloma para confirmar que não é outro problema maligno que possa estar causando sintomas semelhantes.

Principais causas

Ainda não são conhecidas as verdadeiras causas do granuloma piogênico, no entanto, existem fatores de risco que parecem estar relacionados a maiores chances de ter o problema, como:

  • Pequenas lesões na pele, provocadas pela picada de uma agulha ou insetos;
  • Infecção recente pela bactéria Staphylococcus aureus;
  • Alterações hormonais, especialmente durante a gravidez;

Além disso, o granuloma piogênico é mais comum em crianças ou jovens adultos, embora possam ocorrer em todas as idades, especialmente na mulheres gestantes.

Como é feito o tratamento

O granuloma piogênico só precisa ser tratado quando causa desconforto e/ ou é identificado sangramento, e, nesses casos, as formas de tratamento mais utilizadas são:

  • Curetagem e cauterização: a lesão é raspada com um instrumento chamado cureta e o vaso sanguíneo que a alimentava é queimado;
  • Cirurgia laser: remove a lesão e queima a base para que não sangre;
  • Crioterapia: é aplicado frio na lesão para matar o tecido e fazê-lo cair sozinho;
  • Pomada de imiquimode: é usada especialmente em crianças para eliminar pequenas lesões.

Após o tratamento o granuloma piogênico pode voltar a surgir, pois o vaso sanguíneo que o alimentava ainda se encontra nas camadas mais profundas da pele. Se isso acontecer, é necessário fazer uma pequena cirurgia para retirar um pedaço da pele onde a lesão está crescendo de forma a remover todo o vaso sanguíneo.

Já na gravidez, o granuloma raramente precisa ser tratado, pois tende a desaparecer sozinho após o final da gestação. Dessa forma, o médico pode optar por esperar pelo final da gravidez antes de decidir fazer qualquer tratamento.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Equipe Editorial do Tua Saúde, em dezembro de 2021.

Bibliografia

  • MORAES, Sérgio H. et al. Granuloma piogênico: relato de caso clínico. Revista Gestão & Saúde. Vol.9, n.2. 12-19, 2013
  • AMERICAN OSTEOPATHIC COLLEGE OF DERMATOLOGY. Pyogenic granuloma. Disponível em: <https://www.aocd.org/page/PyogenicGranuloma>. Acesso em 30 dez 2019
Mostrar bibliografia completa
  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ. Granuloma piogênico. 2018. Disponível em: <https://www5.unioeste.br/portalunioeste/images/estomatologia/lesoesfundamentais/pibe/7Nodulos/1GranulomaPiogenico.pdf>. Acesso em 30 dez 2019
Equipe editorial constituída por médicos e profissionais de saúde de diversas áreas como enfermagem, nutrição, fisioterapia, análises clínicas e farmácia.