Somos REDE D'OR
icon de informação icon de telefone 3003-3230
Número disponível apenas em território brasileiro, com custo de chamada local.

Granuloma piogênico: o que é, sintomas, causas e tratamento

dezembro 2022

O granuloma piogênico é uma alteração da pele em que há o aparecimento de uma massa vermelha brilhante com tamanho entre os 2 mm e os 2 cm, chegando raramente até os 5 cm. Em alguns casos, o granuloma piogênico também pode se apresentar com uma coloração mais escura com tons marrom ou azul escuro.

Esta alteração da pele é sempre benigna e surgem com mais frequência na cabeça, nariz, pescoço, peito, mãos e dedos. Na gravidez, é possível que o granuloma piogênico apareça em mucosas, como no interior da boca ou das pálpebras.

É indicado que o dermatologista seja consultado quando o granuloma causa desconforto ou quando surgem sangramento, sendo importante iniciar o tratamento, que pode envolver a realização de curetagem, cauterização, crioterapia ou uso de pomadas, por exemplo.

Imagem ilustrativa número 1

Sintoma de granuloma piogênico

O principal sintoma de granuloma piogênico é o aparecimento de uma massa vermelha ou roxa na pele, que pode estar presa ou não à pele e pode sangrar quando é tocada. Essa massa pode aparecer em qualquer área do corpo, podendo ser identificada no dedo, nariz, olhos, boca, pálpebras, pescoço e peito, por exemplo.

Como é feito o diagnóstico

O diagnóstico do granuloma piogênico deve ser feito pelo dermatologista por meio da observação das características da lesão. No caso do granuloma aparecer na boca, o dentista pode ser consultado. 

Além da observação das características da massa, pode ser solicitada a realização de uma biópsia de um pedaço do granuloma para confirmar que não é outro problema maligno que possa estar causando sintomas semelhantes.

Principais causas

Ainda não são conhecidas as causas do granuloma piogênico, no entanto, existem alguns fatores que parecem estar relacionados a maiores chances de ter o problema, como:

  • Pequenas lesões na pele, provocadas pela picada de uma agulha ou insetos;
  • Infecção recente pela bactéria Staphylococcus aureus;
  • Alterações hormonais, especialmente durante a gravidez;

Além disso, o granuloma piogênico é mais comum em crianças ou jovens adultos, embora possam ocorrer em todas as idades, especialmente na mulheres gestantes.

Como é feito o tratamento

O granuloma piogênico só precisa ser tratado quando causa desconforto e/ ou é identificado sangramento, e, nesses casos, as formas de tratamento mais utilizadas são:

  • Curetagem e cauterização: a lesão é raspada com um instrumento chamado cureta e o vaso sanguíneo que a alimentava é queimado;
  • Cirurgia laser: remove a lesão e queima a base para que não sangre;
  • Crioterapia: é aplicado frio na lesão para matar o tecido e fazê-lo cair sozinho;
  • Pomada de imiquimode: é usada especialmente em crianças para eliminar pequenas lesões.

Após o tratamento o granuloma piogênico pode voltar a surgir, pois o vaso sanguíneo que o alimentava ainda se encontra nas camadas mais profundas da pele. Se isso acontecer, é necessário fazer uma pequena cirurgia para retirar um pedaço da pele onde a lesão está crescendo de forma a remover todo o vaso sanguíneo.

Já na gravidez, o granuloma raramente precisa ser tratado, pois tende a desaparecer sozinho após o final da gestação. Dessa forma, o médico pode optar por esperar pelo final da gravidez antes de decidir fazer qualquer tratamento.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Marcela Lemos - Biomédica, em dezembro de 2022.

Bibliografia

  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE DERMATOLOGIA. Granuloma Piogênico. Disponível em: <https://www.sbd.org.br/doencas/granuloma-piogenico-2/>. Acesso em 27 dez 2022
  • MORAES, Sérgio H. et al. Granuloma piogênico: relato de caso clínico. Revista Gestão & Saúde. Vol.9, n.2. 12-19, 2013
Mostrar bibliografia completa
  • AMERICAN OSTEOPATHIC COLLEGE OF DERMATOLOGY. Pyogenic granuloma. Disponível em: <https://www.aocd.org/page/PyogenicGranuloma>. Acesso em 30 dez 2019
  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ. Granuloma piogênico. 2018. Disponível em: <https://www5.unioeste.br/portalunioeste/images/estomatologia/lesoesfundamentais/pibe/7Nodulos/1GranulomaPiogenico.pdf>. Acesso em 30 dez 2019
Equipe editorial constituída por médicos e profissionais de saúde de diversas áreas como enfermagem, nutrição, fisioterapia, análises clínicas e farmácia.