Febre noturna (só à noite): principais causas e o que fazer

Revisão médica: Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
março 2022

A febre é um sintoma muito comum que geralmente surge quando existe alguma inflamação ou infecção no organismo, estando, por isso, associada a quase todos os tipos de alteração do estado de saúde, desde as situações mais simples, como gripes ou amigdalites, até às mais graves como lúpus, HIV ou câncer, por exemplo.

Geralmente, a febre é mais facilmente sentida durante o dia quando se está acordado, já que é acompanhada de outros sintomas como dor de cabeça intensa ou dores musculares generalizadas, no entanto, também existem vários casos em que a febre pode piorar durante a noite, fazendo com que se acorde com a produção excessiva de suor.

Independente do momento em que surge, a febre deve ser sempre avaliada por um clínico geral, especialmente quando é persistente e dura mais de 3 dias, não melhorando através de técnicas naturais como colocar panos molhados na testa ou usar remédios caseiros, como o chá de macela ou eucalipto, por exemplo. Confira algumas formas naturais de baixar a febre.

Principais causas

A febre é uma resposta natural do organismo, podendo acontecer como consequência de diversas situações, sendo as principais:

  • Infecção por vírus, como é o caso da gripe, resfriado e COVID-19;
  • Infecção por bactérias;
  • Durante a crise de doenças autoimunes, como artrite reumatoide e doença de Crohn;
  • Como consequência do uso de alguns medicamentos que podem levar à diminuição do funcionamento do sistema imune;
  • Após a aplicação de vacinas.

É importante que a causa da febre seja identificada, pois assim é possível iniciar o tratamento mais adequado, caso haja necessidade. Conheça mais sobre as causas de febre.

O que fazer

Para aliviar a febre, é importante que seja identificada a causa. No caso das infecções, é importante que seja iniciado o tratamento para combater o agente infeccioso, podendo ser indicado pelo médico o uso de antibióticos ou antivirais. Além disso, é comum que seja indicado o uso de anti-inflamatórios e/ ou antipiréticos. Além disso, é interessante ficar um ambiente com muita ventilação, usar roupas leves, ficar em repouso e tomar banho com água morna. Saiba mais sobre o que fazer para baixar a febre.

Quando a febre noturna pode ser grave

A febre noturna raramente é sinal de um problema grave, sendo que, mesmo quando não tem uma causa aparente, é mais frequente que esteja sendo provocada por fatores ambientais como aumento da temperatura do quarto ou uso excessivo de roupas, que acabam aumentando o metabolismo do organismo.

No entanto, existem algumas doenças que podem ter como único sintoma o surgimento de febre noturna, todas as noites. Alguns exemplos são:

  • Doença de Lyme;
  • HIV;
  • Tuberculose;
  • Hepatite;
  • Lúpus.

Alguns tipos de câncer também podem ter como primeiro sintoma a febre noturna, mas geralmente são acompanhados de perda de peso que não pode ser justificada com alterações da dieta ou do padrão de exercício físico.

Porque a febre aumenta durante a noite

Na maioria dos casos, a febre surge ou piora durante a noite devido ao ciclo natural de funcionamento do hipotálamo. O hipotálamo é a parte do cérebro responsável por produzir hormônios que regulam a temperatura corporal e, normalmente, está mais ativo durante a noite, podendo provocar um aumento da temperatura quando se está dormindo.

Além disso, devido ao funcionamento normal do metabolismo, também é comum que a temperatura do corpo vá aumentando ligeiramente ao longo do dia, sendo maior à noite e provocando até excesso de suor. Conheça quais as 8 principais causas de suor noturno.

Dessa forma, ter febre durante a noite raramente é um sinal de algum problema grave, principalmente se estiver associada a outros sintomas que possam indicar uma infecção. No entanto, sempre que dura mais de 3 dias é importante ir ao clínico geral para identificar se é necessário tomar alguma medicação específica, como antibióticos, ou fazer exames que ajudem a identificar a causa correta.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Manuel Reis - Enfermeiro, em março de 2022. Revisão médica por Dr.ª Clarisse Bezerra - Médica de Saúde Familiar, em novembro de 2019.
Revisão médica:
Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
Formada em Medicina pelo Centro Universitário Christus e especialista em Saúde da Família pela Universidade Estácio de Sá. Registro CRM-CE nº 16976.