Esclerose óssea: o que é, causas e como é o tratamento

Atualizado em março 2024

A esclerose óssea é uma condição caracterizada pelo endurecimento ou aumento anormal da densidade do osso, podendo, somente em alguns casos, causar dor na região, dificuldade para movimentar as articulações ou inchaço.

A esclerose óssea geralmente é causada por situações como hemangiomas, osteoma, osteossarcoma, excesso de vitamina D, fraturas por estresse, hipotireoidismo e hiperparatireoidismo ou doença de Paget, por exemplo.

Como normalmente a pessoa com esclerose óssea não apresenta sintomas ou sinais, o diagnóstico dessa condição geralmente é feito através de radiografias solicitadas pelo médico para avaliar outras condições.

Imagem ilustrativa número 1

Principais causas

As principais causas de esclerose óssea são:

  • Hemangiomas;
  • Doença de Paget;
  • Fraturas;
  • Hepatite C;
  • Osteoma;
  • Alterações endócrinas, como hipotireoidismo e hiperparatireoidismo;
  • Excesso de vitamina D;
  • Tumores, como osteosarcoma, câncer de mama ou próstata.

Além disso, a esclerose óssea também pode ser causada pela osteopetrose, uma doença causada pelo desequilíbrio das células responsáveis pela formação e quebra do osso, promovendo o aumento da densidade óssea e causando sintomas como ossos quebradiços, dificuldade para ouvir e alteração no desenvolvimento neuronal, por exemplo.

Tipos de esclerose óssea

Conforme a localização dessa condição, os principais tipos de esclerose óssea são:

  • Esclerose óssea subcondral: As alterações podem ser encontradas nas articulações de joelhos, quadris, mãos, pés ou coluna vertebral;
  • Esclerose óssea sacroilíaca: Localizada na região do osso sacro e do ilíaco, que fazem parte do quadril;
  • Esclerose óssea dental: É a esclerose localizada geralmente entre os dentes molares ou pré-molares;

Além disso, a esclerose óssea também pode ser encontrada na região da mandíbula, ou maxilar.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico da esclerose óssea geralmente é feito pelo ortopedista ou clínico geral, através de radiografias solicitadas para avaliar outras causas. Isso porque a esclerose óssea pode não causar sintomas ou sinais.

Se deseja consultar um especialista, marque uma consulta com o ortopedista mais perto de você:

Cuidar da sua saúde nunca foi tão fácil!

Marque uma consulta com nossos Ortopedistas e receba o cuidado personalizado que você merece.

Marcar consulta

Disponível em: São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Pernambuco, Bahia, Maranhão, Pará, Paraná, Sergipe e Ceará.

Foto de uma doutora e um doutor de braços cruzados esperando você para atender

Para confirmar o diagnóstico, o médico pode solicitar a ressonância magnética e a tomografia computadorizada, para ajudar a descartar outras condições que também podem causar alterações ósseas, como acromegalia, osteoporose e osteíte.

Como é feito o tratamento

O tratamento da esclerose óssea é feito com o objetivo de tratar as causas dessa condição e inclui o uso de medicamentos, sessões de fisioterapia e transplante de medula óssea.

1. Medicamentos

Em casos de esclerose óssea causada pela doença de Paget, o médico pode prescrever o uso de medicamentos analgésicos ou anti-inflamatórios para aliviar a dor.

Já em casos de esclerose óssea provocada por osteopetrose, uma forma grave de esclerose óssea, o tratamento pode envolver a administração de injeções de interferon gama, para reduzir a atividade dos osteoclastos, ingestão de prednisona e calcitriol, por exemplo.

2. Fisioterapia

Sessões de fisioterapia podem ser indicadas para casos de doença de Paget e osteopetrose, para melhorar a qualidade de vida da pessoa, ajudando a prevenir fraturas nos ossos.

A fisioterapia poderá incluir exercícios de alongamento e fortalecimento muscular, com aparelhos como ondas curtas, infravermelho, ultrassom e TENS, e exercícios físicos.

Leia também: TENS: o que é, para que serve e como é feito tuasaude.com/fisioterapia-tens

3. Transplante de medula óssea

O transplante de medula óssea é o tratamento mais indicado para osteopetrose, para equilibrar o funcionamento das células responsáveis pela formação e destruição dos ossos, combatendo essa condição.

Leia também: Transplante de medula: o que é, quando fazer e como é feito tuasaude.com/transplante-de-medula