Embolia gordurosa: o que é, causas, sintomas e tratamento

Julho 2021

A embolia gordurosa acontece quando algum vasos sanguíneo fica obstruído por gotículas de gordura, o que geralmente acontece após fraturas de ossos longos, como os ossos das pernas, coxas ou quadril, mas que também podem surgir no pós operatório de cirurgias ortopédicas ou procedimentos estéticos, como a lipoaspiração, por exemplo. 

As gotículas de gordura podem se espalhar pelas veias e artérias do organismo, sendo levadas pela corrente sanguínea e podendo atingir variados locais e órgãos do corpo. Normalmente, a embolia só causa danos sérios quando acontece em grande quantidade ou quando os órgão afetados são:

  • Pulmões: são os principais órgãos atingidos, podendo provocar falta de ar e baixa oxigenação do sangue. Entenda mais sobre como acontece e outras causas da embolia pulmonar;
  • Cérebro: provoca alterações típicas de AVC, como perda da força, alteração do caminhar, alterações da visão e dificuldade na fala, por exemplo;
  • Pele: ocorre uma inflamação que provoca lesões avermelhadas e tendência ao sangramento.

Entretanto outros órgãos como rins, retina, baço ou fígado, por exemplo, também podem ser atingidos e ter a sua função comprometida. 

Embolia gordurosa: o que é, causas, sintomas e tratamento

Principais causas

A embolia gordurosa pode ser provocada por situações como:

  • Fratura de ossos, como fêmur, tíbia e bacia, após um acidente automobilístico ou queda;
  • Cirurgias ortopédicas, como artroplastia do joelho ou quadril;
  • Cirurgia plásticas, como lipoaspiração ou realização de preenchimentos com gordura.

A embolia gordurosa também pode acontecer sem um motivo claro, de forma espontânea, o que é mais raro. Algumas das pessoas com maior risco são portadores de infecções generalizadas, pessoas com crise de anemia falciforme, pancreatites, diabetes, esteatose hepática, em uso prolongado de corticóides ou com queimaduras extensas.

Possíveis sintomas

Geralmente, a embolia gordurosa atinge pequenos vasos da circulação, por isso nem sempre causa sintomas, exceto quando ocorre uma embolia maciça, ou seja, quando atinge muitos vasos sanguíneos a ponto de comprometer a circulação e o funcionamento dos órgãos. Alguns dos sintomas que podem surgir incluem falta de ar, dor de cabeça, alterações da visão ou da fala, fraqueza, sonolência, perda da consciência e coma, além de lesões na pele.

O diagnóstico da embolia é feito pela avaliação clínica do médico, e alguns exames podem ajudar a demonstrar as áreas de lesões dos órgãos pela falta de fluxo de sangue, como a ressonância magnética.

Quando acontece a síndrome da embolia gordurosa

A embolia gordurosa pode ser chamada de síndrome da embolia gordurosa quando é grave e atinge de forma simultânea os pulmões, o cérebro, a coagulação do sangue e a pele, provocando um quadro muito sério que inclui dificuldade para respirar, alterações cerebrais e lesões avermelhadas da pele.

Apenas cerca de 1% dos casos de embolia gordurosa desenvolvem esta síndrome, que é tão grave pois, além da obstrução dos vasos pelas gotículas de gordura, também desencadeia reações químicas na circulação que produzem uma intensa reação inflamatória no organismo.

Como é feito o tratamento 

Apesar de não haver um tratamento específico para curar a embolia gordurosa, existem medidas utilizadas pelo médico capazes de controlar os sintomas e facilitar a recuperação. Em alguns casos, esta monitorização pode ser feita em ambiente de UTI, até que haja melhora e estabilização do quadro clínico. 

Algumas opções utilizadas pelo médico incluem o uso catéter ou máscara de oxigênio, além da monitorização contínua dos sinais vitais. Se necessário, pode ser feita hidratação na veia com soro, assim como utilizados medicamentos para regular a pressão arterial.

Além disso, alguns médicos podem tentar o uso de medicamentos corticóides como tentativa de diminuir a reação inflamatória da doença. 

Esta informação foi útil?
Mais sobre este assunto: