Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Efeitos colaterais dos remédios para a diabetes

Existem diversos tipos de medicamentos para tratar o diabetes, que agem de maneiras diferentes, como por exemplo a Insulina, Metformina, Glibenclamida, Glimepirida e Liraglutida. Entretanto, estes remédios podem causar efeitos colaterais como aumento ou perda de peso, náuseas, diarreia e hipoglicemia, sendo mais comum surgirem no inicio do tratamento.

Embora existam estes possíveis efeitos colaterais, os remédios para tratar o diabetes são fundamentais, pois ajudam a controlar o açúcar no sangue, reduzindo o risco de surgirem complicações, como insuficiência renal, úlceras na pele e cegueira. Por isso, caso apareça algum efeito colateral não se deve parar o tratamento e é fundamental consultar o endocrinologista ou o clínico geral para alterar o tratamento e adequar as doses, se necessário.

Efeitos colaterais dos remédios para a diabetes

É importante lembrar que, para o tratamento correto de qualquer tipo de diabetes, seja tipo 1, 2 ou gestacional, é fundamental fazer uma dieta pobre em açúcares e praticar exercícios físicos diariamente, além do uso dos remédios ou aplicação da insulina segundo as recomendações do médico. Entenda melhor como é feito o tratamento para cada tipo de diabetes.

Efeitos colaterais da insulina

O principal efeito colateral de qualquer tipo de insulina é a hipoglicemia, que é a redução exagerada da glicose. Esta alteração provoca sintomas como tremores, tonturas, fraqueza, transpiração e nervosismo, e é muito perigosa, pois, se não for corrigida rapidamente, pode causar desmaio e até coma. Aprenda a reconhecer os sintomas de hipoglicemia. 

  • O que fazer: quando há suspeita de hipoglicemia, deve-se comer algum alimento que seja fácil e engolir e que contenha açúcar, como um suco de frutas, copo de água com 1 colher de açúcar ou um doce, por exemplo. Se não houver melhora dos sintomas, é importante se dirigir ao pronto-socorro.

A hipoglicemia, geralmente, acontece quando há alguma desregulação do tratamento, que pode ser alteração na dieta que a pessoa estava acostumada, ter ficado muito tempo sem comer, uso de bebidas alcoólicas ou algum exercício ou estresse intenso. 

Assim, para evitar este efeito colateral e manter os níveis de glicose constantes, é fundamental fazer várias pequenas refeições ao longo do dia, ao invés de comer muito e poucas vezes, de preferência com uma dieta orientada por um nutricionista. Se a hipoglicemia for repetitiva, é importante se consultar com o clínico geral ou endocrinologista para ajustar as doses de insulina e evitar este tipo de complicação.

Além disso, é importante saber aplicar a insulina corretamente para evitar que as injeções constantes causem alguma lesão na pele ou tecido adiposo, alteração chamada de lipohipertrofia insulínica. Veja como é o passo a passo para aplicar a insulina corretamente.

Efeitos colaterais dos remédios para a diabetes

Efeitos colaterais dos antidiabéticos orais

Existem vários antidiabéticos orais, sob a forma de comprimidos, para controlar a diabetes tipo 2, que podem ser tomados isoladamente ou em conjunto com outros.

Cada classe de medicamentos hipoglicemiantes age de forma diferente no organismo, podendo causar diversos tipos de efeitos colaterais, que variam com o tipo de medicamento, a dose e a sensibilidade de cada pessoa. Os principais são:

1. Náuseas e diarréia

Este é o principal efeito colateral dos remédios para diabetes, sendo muito sentida pelas pessoas que usam Metformina. Outros medicamentos que também causam esta alteração podem ser a Exenatida, Liraglutida, Vidagliptina ou Acarbose.

  • O que fazer: deve-se consultar o médico para tentar fazer ajustes que diminuam o risco destes efeitos, como tomar a medicação após a alimentação ou preferir remédios com uso noturno, como a Metformina XR, por exemplo. Se os sintomas persistirem, pode ser necessário mudar o tipo de medicamento, com a orientação médica. Comer pequenas refeições, várias vezes ao dia também ajudar a controlar este tipo de sintoma.

2. Hipoglicemia

O risco de açúcar muito baixo é maior nos remédios que estimulam a secreção de insulina pelo pâncreas, como a Glibenclamida, Glimepirida, Gliclazida, Repaglinida e Nateglinida, por exemplo.

  • O que fazer: nunca ficar em jejum ou muito tempo sem comer durante o uso do medicamento, além de seguir uma dieta balanceada e dividida em várias pequenas refeições ao dia, evitando ficar mais de 3 horas sem comer. Consultar-se com o médico para avaliar se há necessidade de ajuste de dose ou modificação do remédio.

3. Excesso de gases

Este tipo de sintoma é sentido por pessoas que usam remédios que atuam diminuindo a absorção de glicose no intestino, como Acarbose e Miglitol, também sendo uma queixa de pessoas que usam a Metformina. 

  • O que fazer: é orientado evitar alimentos com excesso de açúcares, como doces, bolos e pães, ou que produzem muitos gases, como feijão, repolho e ovos, por exemplo, além de ter uma alimentação rica em fibras. 

4. Ganho de peso

Este efeito colateral é comum com o uso da insulina ou os remédios que aumentam a quantidade de insulina no corpo, como Glibenclamida, Glimepirida, Gliclazida, Repaglinida e Nateglinida, ou com aqueles que provocam acúmulo de líquidos e inchaço, como Pioglitasona e Rosiglitasona.

  • O que fazer: deve-se manter uma dieta equilibrida, com poucos carboidratos, gordura e sal, além de se praticar atividade física diária. 

5. Falta de apetite

Este tipo de sintoma pode acontecer com o uso de diversos medicamentos, como a Metformina, mas é mais intenso em pessoas que usam Exenatida ou Liraglutida, também conhecida como Victoza. Por este motivo, é comum haver emagrecimento com o uso destes tipos de remédios.

  • O que fazer: manter uma dieta equilibrada, sem deixar de comer as refeições nos horários programados, divididas em pequenas refeições, várias vezes ao dia.

6. Infecção urinária

O risco aumentado de infecção urinária acontece em uma classe de medicamentos para diabetes que aumenta a eliminação de glicose pela urina, como Dapagliflozina, Empagliflozina, Canagliflozina.

  • O que fazer: beber bastante líquido ao longo do dia, e evitar alimentos com excesso de açúcar. Se esta alteração for persistente, deve-se conversar com o médico para avaliar a necessidade de mudança do medicamento.

É comum que a pessoa com diabetes precise usar mais de um tipo de medicamentos, portanto, nestes casos, o cuidado deve ser redobrado para evitar os efeitos colaterais, tendo atenção para a dose correta, o horário recomendado, além de sempre manter refeições equilibradas. Veja como deve ser a dieta para quem tem diabetes

Mais sobre este assunto:


Carregando
...