Cortisol baixo: sintomas, causas e o que fazer

setembro 2022

O cortisol quando está baixo pode ter vários efeitos negativos no corpo, como fadiga, perda do apetite, hipoglicemia e anemia. As causas para o cortisol baixo podem ser a disfunção das glândulas adrenais por depressão crônica, inflamação, infecção ou tumor, por exemplo.

Outra causa importante de cortisol baixo é a suspensão abrupta do uso de algum corticoide que se esteja usando, como prednisona ou dexametasona. Para tratar este problema, deve-se resolver a causa, pelo tratamento da depressão ou do tumor, por exemplo, e se o cortisol estiver muito baixo, repor os níveis deste hormônio com o uso de corticoides, como a hidrocortisona, prescrita pelo endocrinologista. 

O cortisol é um hormônio produzido pelas glândulas suprarrenais, que tem efeitos importantes no corpo, como regulação do metabolismo, diminuir a inflamação e contribuir par ao funcionamento do sistema imunológico. Conheça mais sobre o cortisol e valores de referência.

Sintomas do cortisol baixo

Os principais sintomas de cortisol baixo são:

  • Fadiga e falta de energia, por prejudicar a atividade e contração dos músculos;
  • Falta de apetite, pois o cortisol pode regular a fome;
  • Dor nos músculos e articulações, por causar fraqueza e sensibilidade nestes locais;
  • Febre baixa, pois aumenta a atividade inflamatória do corpo;
  • Anemia e infecções frequentes, pois prejudica a formação de células do sangue e o funcionamento do sistema imune;
  • Hipoglicemia, porque dificulta a liberação de açúcar no sangue pelo fígado;
  • Pressão baixa, por causar dificuldade em manter líquidos e regular a pressão nos vasos e coração.

Em mulheres grávidas, o cortisol baixo, se não for tratado, pode causar dificuldades no desenvolvimento de órgãos do bebê, como pulmões, olhos, pele e cérebro. Por isto, se houver a presença destes sintomas na gravidez, deve-se informar ao obstetra, para que seja feito o diagnóstico e iniciado o tratamento adequado.

A disfunção das glândulas supra-renais também podem causar a síndrome de Addison, que é caracterizada por, além da queda do cortisol, de outros minerais e hormônios andrógenos. Conheça mais sobre a doença de Addison.

Principais causas

A queda do cortisol pode acontecer por disfunção da glândula suprarrenal, que pode acontecer por inflamação, infecção, sangramento ou infiltração por tumores, ou pelo câncer cerebral. Outra causa comum de queda deste hormônio é a retirada abrupta de medicamentos com corticoides, como prednisona e dexametasona, por exemplo, pois o uso prolongado destes medicamentos inibe a produção do cortisol pelo corpo. 

A depressão também é uma importante causa deste problema, pois a falta de serotonina que acontece na depressão crônica causa a redução dos níveis de cortisol.

O cortisol baixo pode também acontecer devido ao uso de medicamentos corticoides por muito tempo e parada brusca.

O cortisol baixo é detectado por exames que quantificam este hormônio no sangue, na urina ou na saliva, e são solicitados pelo clínico geral. Saiba mais sobre como é feito o exame do cortisol

Como tratar

O tratamento do cortisol baixo, quando grave, é feito com a reposição deste hormônio, através de medicamentos corticoides, como prednisona ou hidrocortisona, por exemplo, prescritos pelo endocrinologista. A causa da queda deste hormônio também deve ser resolvida, pela retirada do tumor, inflamação ou infecção que está causando a disfunção da glândula suprarrenal.

Casos de cortisol baixo por depressão e estresse crônicos podem ser tratados com a realização de psicoterapia e uso de medicamentos antidepressivos, prescritos pelo clínico geral ou psiquiatra. Uma importante forma natural para melhorar a depressão é a realização de atividades físicas e o consumo de alimentos que ajudam na produção de serotonina, como queijo, amendoim, castanhas, e banana, por exemplo. Veja mais sobre os alimentos que aumentam a serotonina

Esta informação foi útil?

Atualizado por Marcela Lemos - Biomédica, em setembro de 2022. Revisão médica por Dr. Arthur Frazão - Oftalmologista, em fevereiro de 2016.

Bibliografia

  • Miguel A. Aguirre, M. Diagnóstico y Manejo de la Insuficiencia Ad. Protocolo del Servicio de Endocrinología del Instituto Autónomo Hospital Universitario de Los Andes. 2013
Revisão médica:
Dr. Arthur Frazão
Clínico geral
Médico generalista, especialista em Oftalmologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, em 2008, com registro profissional no CRM/PE 16878