Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Cirurgia Bariátrica por Videolaparoscopia: Vantagens e Desvantagens

Atualizado em Abril 2019

A cirurgia bariátrica por videolaparoscopia, ou cirurgia bariátrica laparoscópica, é uma cirurgia de redução do estômago que é realizada com uma técnica moderna, menos invasiva e mais confortável para o paciente.

Nesta cirurgia, o médico realiza a redução do estômago através de 5 a 6 pequenos 'furinhos' no abdômen, por onde introduz os instrumentos necessários colocando inclusive uma microcâmera ligada a um monitor que permite a visualização do estômago e facilita a realização da cirurgia.

Além de ser menos invasiva, este tipo de cirurgia também tem um tempo de recuperação mais rápido, já que é necessário menos tempo para que aconteça a cicatrização das feridas. Já a alimentação continua a ser feita da mesma forma que para outras cirurgias bariátricas clássicas, pois é necessário permitir que o sistema digestivo recupere.

O preço da cirurgia bariátrica por videolaparoscopia varia entre 10.000 e 30.000 reais mas quando realizada pelo SUS é gratuita.

Cirurgia Bariátrica por Videolaparoscopia: Vantagens e Desvantagens

Vantagens e desvantagens

A grande vantagem deste procedimento é o tempo de recuperação, que é mais rápido do que numa cirurgia clássica em que o médico precisa fazer uma corte para chegar até ao estômago. A cicatrização dos tecidos ocorre mais rapidamente e a pessoa consegue se movimentar melhor do que na cirurgia aberta. 

Além disso, também existem um menor risco de infecção, já que as feridas são menores e mais fáceis de cuidar.

Quanto às desvantagens, são poucas, sendo que a mais comum é o acúmulo de ar dentro do abdômen que pode causar inchaço e algum desconforto. Esse ar normalmente é injetado pelo cirurgião para movimentar os instrumentos e observar melhor o local. No entanto, esse ar é reabsorvido pelo corpo, desaparecendo em até 3 dias.

Quem pode fazer

A cirurgia bariátrica por laparoscopia pode ser feita nos mesmos caso em que a cirurgia clássica é indicada. Assim, existe indicação para pessoas com:

  • IMC maior que 40 kg/m², sem perda de peso, mesmo com acompanhamento nutricional adequado e comprovado;
  • IMC maior que 35 kg/m² e presença de doenças crônicas graves como pressão alta, diabetes descontrolada ou colesterol muito alto.

Após aprovação para cirurgia, a pessoa, junto com o médico pode escolher entre 4 modalidades diferentes de cirurgia: banda gástrica; bypass gástrico; desvio duodenal e gastrectomia vertical. Saiba mais detalhes sobre os tipos de cirurgia bariátrica.

Como é a recuperação

Após a cirurgia, é necessário ficar internado no hospital pelo menos entre 2 a 7 dias, para avaliar o surgimento de complicações, como infecção, e para que o sistema digestivo volte a funcionar. Assim, a pessoa só deverá ter alta depois que comece a comer e a ir no banheiro.

Durante as primeiras duas semanas é também importante fazer o curativo dos cortes da cirurgia, indo no hospital ou no posto de saúde, para garantir uma boa cicatrização, reduzir a cicatriz e evitar infecções.

A maior etapa da recuperação se prende com a alimentação, que deve ser iniciada gradualmente ao longo dos dias, iniciando-se com uma dieta líquida, que depois deve passar a pastosa e, finalmente a semi-sólida ou sólida. As orientação nutricionais serão iniciadas no hospital, mas é importante que se faça seguimento com um nutricionista, para adequar o plano alimentar ao longo do tempo e até fazer suplementação, se necessário.

Saiba melhor sobre como deve evoluir a alimentação depois da cirurgia bariátrica.

Possíveis riscos da cirurgia

Os riscos da cirurgia bariátrica laparoscópica são os mesmos que os de uma cirurgia clássica:

  • Infecção dos locais de corte;
  • Sangramento, especialmente no sistema digestivo;
  • Má absorção de vitaminas e nutrientes.

Normalmente essas complicações surgem ainda durante o período de internamento no hospital e, por isso, são identificadas pela equipe médica. Quando isso acontece, pode ser necessário fazer uma nova cirurgia para tentar corrigir o problema.


Bibliografia

  • UCSF. Laparoscopic Gastric Bypass. Link: <bariatric.surgery.ucsf.edu>. Acesso em 26 Abr 2019
  • ASMBS. Bariatric Surgery Procedure. Link: <asmbs.org>. Acesso em 26 Abr 2019
  • SUNDBOM, Magnus. Laparoscopic revolution in bariatric surgery. World Journal of Gastroenterology. Vol.41. 15135-15143, 2014
  • CONITEC. Cirurgia bariátrica por laparoscopia: Relatório de recomendação. 2017. Link: <conitec.gov.br>. Acesso em 26 Abr 2019
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto. Não lhe iremos responder directamente. Se quiser uma resposta clique em Contato.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem