Candidíase mamária: o que é, sintomas e tratamento

Atualizado em dezembro 2023

A candidíase mamária é uma infecção causada pelo fungo Candida albicans que causa sintomas como vermelhidão e dor no mamilho, ferida no bico do peito com cicatrização mais difícil, coceira no local e aparecimento de fissuras na pele, em alguns casos.

O fungo Candida albicans pode ser encontrado naturalmente na pele, sem causar qualquer sintoma. No entanto, pode proliferar como consequência da amamentação, alterações hormonais ou diabetes descompensada, por exemplo. Veja mais sobre a candidíase na pele.

O tratamento para candidíase mamária deve ser feito sob orientação do mastologista ou dermatologista, que poderá indicar o uso de medicamentos em forma de pomada ou comprimido para ajudar a combater o fungo e, assim aliviar os sintomas.

Imagem ilustrativa número 2

Sintomas de candidíase na mama

Os principais sintomas de candidíase mamária são:

  • Dor no bico da mama;
  • Pequena ferida no bico do peito com dificuldade de cicatrização;
  • Uma parte do mamilo pode estar esbranquiçado;
  • O mamilo afetado pode estar brilhante;
  • Sensação de ardência no mamilo; 
  • Coceira e vermelhidão na mama, incluindo a parte de baixo;
  • Aparecimento de fissura na pele, em alguns casos.

A candidíase mamária é considerada um tipo de candidíase sistêmica e nem sempre todos os sintomas estão presentes ao mesmo tempo, mas a dor em sensação de fisgada e a pequena ferida estão presentes em todos os casos.

Como é feito o diagnóstico

O diagnóstico de candidíase mamária pode ser feito pelo dermatologista ou mastologista a partir da avaliação dos sinais e sintomas apresentados pela pessoa. Normalmente não é necessário fazer exames específicos, mas o médico pode fazer uma pequena raspagem do local para confirmar o fungo responsável e o seu perfil de sensibilidade e resistência.

Marque uma consulta com o dermatologista mais próximo para avaliar os sintomas e, assim, iniciar o tratamento mais adequado:

Cuidar da sua saúde nunca foi tão fácil!

Marque uma consulta com nossos Dermatologistas e receba o cuidado personalizado que você merece.

Marcar consulta

Disponível em: São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Pernambuco, Bahia, Maranhão, Pará, Paraná, Sergipe e Ceará.

Foto de uma doutora e um doutor de braços cruzados esperando você para atender

Quem tem mais risco

A candidíase mamária é mais frequente de acontecer como consequência da amamentação, devido às alterações hormonais e contato frequente com a saliva do bebê. Além disso, pessoas que possuem a imunidade mais comprometida, possuem alterações na tireoide, diabetes descompensada ou tenham usado antibiótico ou pomada corticoide, possuem maior risco de ter esse tipo de candidíase.

Como é feito o tratamento

O tratamento da candidíase na mama deve ser feito de acordo com a orientação do mastologista ou dermatologista, sendo indicado o uso de antifúngicos em forma de pomada com nistatina, clotrimazol, miconazol ou cetoconazol por 2 semanas, de acordo com a orientação do médico. Nos casos em que o uso desses antifúngicos não é suficiente, pode ser recomendado o uso de fluconazol em comprimidos por cerca de 15 dias.

Além disso, é importante também manter a mama sempre seca e limpa, pois assim é possível evitar a proliferação do fungo. Em caso de amamentação, é importante observar se o bebê apresenta os sintomas da candidíase oral é necessário tratá-lo ao mesmo tempo em que a mãe faz o seu tratamento para evitar que ele contamine novamente a mulher. Veja como identificar e tratar a candidíase no bebê.