Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Biópsia renal: indicações, como é feita e preparo

Atualizado em Setembro 2019

A biópsia renal é um exame médico em que é retirada uma pequena amostra do tecido renal com o objetivo de investigar doenças que afetam o rim ou acompanhar pacientes que realizaram transplante renal, por exemplo. A biópsia deve ser realizada no hospital e a pessoa precisa ficar internada em observação por um período de 12 horas para que o médico consiga acompanhar a evolução da pessoa e a quantidade de sangue na urina.

Antes da realização da biópsia é necessário que sejam realizados outros exames, como coagulograma e exames de urina, além de ultrassonografia renal, para verificar a presença de cistos, formato dos rins e características do rins, e assim, verificar se é possível a realização da biópsia. A realização desse procedimento não é indicada caso a pessoa possua rim único, tenha sinais e sintomas de infecção, é hemofílico ou possua rim policístico.

Biópsia renal: indicações, como é feita e preparo

Indicações para biópsia renal

O nefrologista pode indicar a realização de biópsia renal quando é observada grande quantidade de proteínas e/ou sangue na urina de origem desconhecida, em caso de insuficiência renal aguda que não melhora e após transplante renal com o objetivo de acompanhar o paciente.

Dessa forma, a biópsia do rim é indicada para investigar as doenças que afetam o rim e confirmar o diagnóstico, como por exemplo:

  • Insuficiência renal aguda ou crônica;
  • Glomerulonefrite;
  • Nefrite lúpica;
  • Falência renal.

Além disso, a biópsia renal pode ser indicada para avaliar a resposta da doença ao tratamento e verificar a extensão do comprometimento renal.

Nem todas as vezes em que há alteração dos resultados é necessário realizar biópsia. Ou seja, caso a pessoa apresente sangue na urina, alteração na creatinina ou presença de proteína na urina de forma isolada e não é acompanhada por hipertensão, por exemplo, não é indicada a realização de biópsia. Além disso, não há necessidade de se realizar a biópsia caso se saiba a razão da causa do comprometimento dos rins.

Como é feita

A biópsia deve ser feita no hospital, sendo aplicada anestesia local nos pacientes adultos e que colaboram com o procedimento ou sedação nas crianças ou nos adultos não colaborativos. O procedimento demora cerca de 30 minutos, no entanto é recomendado que o paciente permaneça no hospital por 8 a 12 horas após o procedimento para que o médico consiga avaliar a resposta da pessoa ao exame.

Antes do procedimento é realizada ultrassonografia dos rins e do sistema urinário para verificar se há alguma alteração que comprometa ou aumente o risco do exame. Além disso, são realizados exames laboratoriais, como hemocultura, coagulograma e exame de urina para verificar se é possível realizar a biópsia sem qualquer complicação.

Caso esteja tudo nos conformes, a pessoa é colocada deitada de barriga para baixo e o exame é realizado com o auxílio da imagem do ultrassom, que permite identificar o melhor local para colocação da agulha. A agulha aspira uma amostra do tecido renal, que é enviado para o laboratório para que seja analisado. Na maioria das vezes, são retiradas duas amostras de locais distintos do rim para que o resultado seja mais preciso.

Após a biópsia, o paciente deve permanecer no hospital para que seja monitorado e não haja risco de sangramentos após o procedimento ou alteração na pressão arterial. É importante que o paciente informe ao médico qualquer sintoma que apresente após a biópsia, como dificuldade para urinar, calafrios, presença de sangue na urina mais de 24 horas após a biópsia, desmaio ou aumento da dor ou inchaço do local em que foi realizada a biópsia.

Preparo para biópsia renal

Para realizar a biópsia é indicado que não sejam tomados remédios como anticoagulantes, anti-agregantes plaquetários ou anti-inflamatórios pelo menos 1 semana antes da realização da biópsia. Além disso, o médico indica a realização de ultrassonografia renal para verificar a presença de apenas um rim, tumores, cistos, rins fibróticos ou atrofiados que são contraindicações para a realização do exame.

Contraindicações e possíveis complicações

A biópsia renal não é indicada em caso de rim único, rins atrofiados ou policísticos, problemas de coagulação, hipertensão não controlada ou sintomas de infecção urinária.

A biópsia dos rins é de baixo risco, não havendo muitas complicações associadas. No entanto, em alguns é possível que existam sangramentos. Por causa disso é recomendado que a pessoa permaneça no hospital para que o médico possa observar a presença de qualquer sinal indicativo de hemorragia interna.


Bibliografia

Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto. Não lhe iremos responder directamente. Se quiser uma resposta clique em Contato.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem