Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

O que significa Atraso no Desenvolvimento e o que fazer

O atraso no desenvolvimento neuropsicomotor acontece quando o bebê não começa a sentar, engatinhar, andar ou falar, numa fase pré determinada, como outros bebês da mesma idade. Esse termo é usado pelo pediatra, fisioterapeuta ou psicomotricista quando se observa que a criança ainda não atingiu certos parâmetros de desenvolvimento esperados para cada fase. 

Qualquer bebê pode apresentar algum tipo de atraso no seu desenvolvimento, mesmo que a mulher tenha tido uma gestação saudável, um parto sem intercorrências, e que o bebê seja aparentemente saudável. No entanto, o mais comum é que este atraso no desenvolvimento afete crianças que tiveram complicações na gravidez, no parto ou depois do nascimento. 

Sinais e sintomas de Atraso no Desenvolvimento 

O que significa Atraso no Desenvolvimento e o que fazer

Alguns sinais e sintomas que podem indicar que existe algum atraso no desenvolvimento são:

  • Hipotonia: músculos fracos e postura descaída;
  • Dificuldade de segurar a cabeça aos 3 meses;
  • Não consegue sentar sozinho aos 6 meses;
  • Não começar a engatinhar antes dos 9 meses;
  • Não andar sozinho antes dos 15 meses;
  • Não conseguir comer sozinho aos 18 meses;
  • Não falar mais de 2 palavras para formar uma frase aos 28 meses;
  • Não controlar o xixi e o cocô completamente após os 5 anos. 

Quando o bebê é prematuro, deve-se calcular a idade corrigida até os 2 anos para fazer a avaliação estes parâmetros do desenvolvimento motor. Isso significa que o bebê deveria nascer com 40 semanas, e por isso se nasceu antes do tempo, deve-se calcular quando o bebê teria 3 meses de vida, caso tivesse nascido na data prevista do parto.

Por exemplo: Um bebê prematuro, que nasce às 30 semanas, apesar de completar 1 mês 4 semanas depois de seu nascimento, na verdade ainda deve ser considerado um bebê de 34 semanas de gestação. Isso indica que 12 semanas após o seu nascimento ainda não seja capaz de segurar a cabeça, porque na verdade sua idade corrigida aponta que ele ainda não tem os tais 3 meses de um bebê que nasceu no tempo certo. 

Para o diagnóstico é necessária uma avaliação médica, sendo importante saber dados como: como foi a gestação, parto, primeiros dias do bebê, se existe alguma alteração genética e para isso podem ser realizados exames de sangue, ou de imagem como eletroencefalograma e tomografia computadorizada para observar as alterações cerebrais que podem estar presentes, principalmente se houver suspeita de paralisia cerebral ou epilepsia. 

O que significa Atraso no Desenvolvimento e o que fazer

Como estimular o desenvolvimento 

A criança com atraso no desenvolvimento deve fazer sessões de fisioterapia e de psicomotricidade, de 2-3 vezes por semana, até conseguir alcançar os objetivos que podem ser sentar, andar, comer sozinho, ser capaz de manter sua higiene pessoal. Nas consultas são realizados vários exercícios, de forma lúdica, para ajudar a fortalecer os músculos, corrigir a postura, estimular a visão, e tratar dos reflexos e bloqueios, além de contraturas e deformidades. 

Exercícios que ajudam a estimular o desenvolvimento do bebê 

Confira no vídeo a seguir alguns exercícios que o fisioterapeuta pode indicar:

Esse é um tratamento demorado que deve durar meses ou anos até que a criança alcance os parâmetros que poderá desenvolver. Sabe-se que as síndromes genéticas tem características próprias, e que uma criança com paralisia cerebral pode não conseguir andar sozinha, e por isso cada avaliação deve ser individual, para poder avaliar o que o bebê apresenta e qual o seu potencial de desenvolvimento e assim traçar os objetivos de tratamento.

Quanto antes o bebê iniciar o tratamento, melhores e mais rápido virão os resultados, especialmente quando o tratamento é iniciado antes do 1º ano de vida. 

Possíveis causas do atraso no desenvolvimento

O atraso no desenvolvimento neuropsicomotor pode ser causado devido a alterações que podem ter acontecido:

  • No ato da concepção; 
  • Durante a gravidez, desnutrição, doenças como Rubéola, trauma;
  • No momento do parto;
  • Alterações genéticas como a Síndrome de Down;
  • Após o nascimento, como doenças, trauma, desnutrição, traumatismo craniano;
  • Outros fatores ambientais ou comportamentais, como a desnutrição.

O bebê que nasce prematuramente tem um maior risco de ter atraso no desenvolvimento, e quanto mais prematuro nascer, maior este risco. 

As crianças diagnosticadas com paralisia cerebral tem maior risco de ter atraso no desenvolvimento, mas nem toda criança com atraso no desenvolvimento tem paralisia cerebral. 

Gostou do que leu?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar