Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

O que é Artrogripose Múltipla Congênita (AMC)

Artrogripose Múltipla Congênita (AMC) é uma doença grave caracterizada por deformidades e rigidez nas articulações, que impedem o bebê de se movimentar gerando intensa fraqueza muscular. O tecido muscular passa então a ser substituído por gordura e tecido conjuntivo. A doença se manifesta no processo de desenvolvimento do feto, que quase não apresenta movimentos na barriga da mãe, o que compromete a formação de suas articulações e crescimento ósseo normal.

“Boneco de madeira” é geralmente um termo utilizado para descrever crianças com artrogripose, que apesar de apresentarem deformidades físicas graves, tem desenvolvimento mental normal e conseguem aprender e entendem tudo o que acontece à sua volta. As deformidades motoras são graves, e é normal o bebê ter o abdômen e o tórax mal desenvolvidos, o que pode dificultar muito sua respiração. 

Sinais e sintomas da Artrogripose

Muitas vezes, o diagnóstico só é feito depois do nascimento quando se observa que o bebê realmente não consegue se mexer, apresentando: 

  • Pelo menos, 2 articulações imóveis;
  • Músculos tensos;
  • Luxação nas articulações;
  • Fraqueza muscular;
  • Pé torto congênito;
  • Escoliose;
  • Intestino curto ou pouco desenvolvido;
  • Dificuldades para respirar ou se alimentar.

Após o nascimento ao observar o bebê e realizar exames como radiografia de todo corpo, e exame de sangue para pesquisar doenças genéticas, já que a Artrogripose pode estar presente em diversas síndromes. 

Bebê com Artrogripose Múltipla Congênita
Bebê com Artrogripose Múltipla Congênita

O diagnóstico pré-natal não é muito fácil, mas pode ser feito através da ultra-sonografia, por vezes somente no final da gestação, quando se observa: 

  • Ausência de movimentos do bebê;
  • Posição anormal dos braços e pernas, que ficam normalmente dobrados, embora também possa ficar totalmente esticado;
  • O bebê é menor que o tamanho desejado para a idade gestacional;
  • Excesso de líquido amniótico;
  • Maxilar pouco desenvolvido;
  • Nariz achatado;
  • Pouco desenvolvimento pulmonar;
  • Cordão umbilical curto. 

Quando o bebê não se mexe durante o exame de ultrassom o médico pode pressionar a barriga da mulher para estimular que o bebê se mexa, mas nem sempre acontece, e o médico pode achar que o bebê está dormindo. Os outros sinais podem não ser muito claros ou não serem tão evidentes, para chamar atenção para esta doença. 

O que causa 

Embora não se saiba exatamente todas as causas que possam levar ao desenvolvimento da artrogripose, sabe-se que alguns fatores favorecem essa doença, como uso de medicações durante a gestação, sem orientação médica devida; infecções, como a causada pelo Zika vírus, traumas, doenças crônicas ou genética, uso de drogas e abuso de bebidas alcoólicas. 

Tratamento da Artrogripose

O tratamento cirúrgico é o mais indicado e visa permitir algum movimento das articulações. Quanto mais cedo for feita a cirurgia, melhor será e por isso o ideal é que as cirurgias nos joelhos e pés sejam realizados antes dos 12 meses, ou seja, antes da criança começar a andar, o que pode permitir que a criança consiga andar sozinha.

O tratamento  da artrogripose ainda inclui orientação dos pais e um plano de intervenção que tem o objetivo de desenvolver a independência da criança, para isso a fisioterapia e a terapia ocupacional são indicadas. A fisioterapia deve ser sempre individualizada, respeitando as necessidades que cada criança apresenta, e deve começar o quanto antes, para um melhor estímulo psicomotor e desenvolvimento infantil. 

Mas dependendo da gravidade das deformações pode ser preciso equipamentos de apoio, como cadeiras de rodas, material adaptado ou muletas, para um melhor apoio e maior liberdade. Saiba mais sobre o tratamento da Artrogripose

Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar