Aplasia medular: o que é, sintomas, possíveis causas e tratamento

Revisão médica: Dr. Arthur Frazão
Oftalmologista
dezembro 2021

A aplasia medular, também chamada de aplasia da medula óssea ou anemia aplásica, é uma doença caracterizada pela alteração no funcionamento da medula óssea, o que resulta em baixas concentrações de hemácias, plaquetas e leucócitos circulantes no sangue, o que pode levar ao aparecimento de alguns sintomas como palidez, falta de ar, hematomas e infecções frequentes.

Geralmente a causa da aplasia medular não é conhecida, mas pode estar associada à exposição a agentes químicos, radiação, medicamentos, ou ser resultado de uma doença mais grave, como a anemia de Fanconi.

O tratamento é estabelecido de acordo com o grau da aplasia e geralmente é feito com o uso de medicamentos imunossupressores, antibióticos, transfusões sanguíneas e, nos casos mais graves, transplante de medula óssea. O tratamento só pode ser estabelecido pelo médico após resultado do hemograma e mielograma, que devem ser solicitados pelo mesmo.

Sintomas de aplasia medular

Por se tratar de uma doença em que há baixo número de hemácias, plaquetas e leucócitos, os sintomas da aplasia medular estão relacionados com a diminuição desses elementos no sangue:

  • Cansaço excessivo;
  • Falta de ar;
  • Palidez;
  • Presença de manchas roxas na pele;
  • Sangramento anormal;
  • Infecções frequentes.

Esses sintomas podem surgir de repente ou de forma mais lenta e gradual. Além disso pode ser que haja dor de cabeça, taquicardia e tontura nos casos de aplasia medular.

Aplasia medular é câncer?

Aplasia medular não é câncer. Apesar da leucemia ser um tipo de câncer que acomete as células sanguíneas, nela ocorre uma alteração na medula que permite que a medula produza e libere mais células de determinada linhagem celular ou libere células que ainda não sofreram processo de maturação, como os mielócitos, por exemplo.

Já na aplasia medular, a medula perde de fato a sua função, ou seja, as células são produzidas numa quantidade muito menor ou pode simplesmente não haver produção.

Possíveis causas da aplasia medular

As causas da aplasia medular nem sempre são conhecidas, mas normalmente está relacionada a:

  • Exposição prolongada a radiações;
  • Uso de drogas citotóxicas;
  • Exposição a derivados de benzeno;
  • Exposição a inseticidas;
  • Infecções;
  • Uso de medicamentos como o cloranfenicol, por exemplo;
  • Doenças autoimunes.

Raramente a aplasia medular é hereditária, mas quando acontece está geralmente relacionada à anemia de Fanconi, que é uma doença grave, genética e rara em que a criança apresenta malformações, que podem ser observadas logo ao nascimento, manchas na pele, comprometimento renal, baixa estatura e mais chances de desenvolver tumores e leucemia. Entenda como identificar e tratar a anemia de Fanconi.

Como é feito o diagnóstico

O diagnóstico da aplasia medular é feito por meio de exame de sangue indicado pelo hematologista ou clínico geral, o hemograma, em que podem ser verificadas as quantidades de hemácias, leucócitos e plaquetas circulantes no sangue.

Além disso, o médico pode solicitar a realização de um mielograma, que é um exame um pouco mais invasivo em que se faz a aspiração do sangue e da medula no osso do quadril ou no osso esterno para verificar como está sendo a produção das células sanguíneas. Veja quais são as indicações e como é feito o mielograma.

Como é feito o tratamento

O tratamento para aplasia medular deve ser orientado pelo médico, pode variar de acordo com o grau da aplasia e tem como objetivo promover o aumento da quantidade de células sanguíneas circulantes. Para isso, pode ser indicado pelo médico os seguintes tratamentos:

  • Terapia de imunossupressão, que normalmente é feita usando um soro contendo anticorpos contra as células T, sendo esse tipo de tratamento também conhecido como timoterapia. Dessa forma, é possível diminuir a atividade do sistema imunológico, regulando a produção das células sanguíneas, no entanto o resultado desse tratamento não é duradouro, sendo normalmente indicada a realização de transplante de medula óssea para alcançar a cura;
  • Transplante de medula óssea, em que as células da medula óssea o doador (saudáveis) são transplantadas para a pessoa doente, de forma que há estímulo da produção ordenada das células sanguíneas. É importante que o paciente submetido ao transplante de medula seja devidamente acompanhado pelo médico para que assim seja possível garantir a cura. Entenda como é feito o transplante de medula óssea.

Além desses tratamentos, é também importante a realização de tratamento de suporte, que tem como objetivo prevenir e combater outras situações que possam ter acontecido como consequência da aplasia medular e, assim, promover a qualidade de vida da pessoa. Dessa forma, pode ser indicado pelo médico o uso de antibióticos, para tratar e/ ou prevenir infecções secundárias, e a realização de transfusão sanguínea, uma vez que muitos pacientes com aplasia medular apresentam anemia recorrente.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Equipe Editorial do Tua Saúde, em dezembro de 2021. Revisão médica por Dr. Arthur Frazão - Oftalmologista, em fevereiro de 2016.

Bibliografia

  • ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA CONTRA A LEUCEMIA. Aplasia medular. Disponível em: <https://www.apcl.pt/pt/aplasia-medular>. Acesso em 21 dez 2021
  • REVISTA ABRALE. Anemia aplásica não é câncer, mas é igualmente grave. Disponível em: <https://revista.abrale.org.br/anemia-aplasica-nao-e-cancer-mas-e-igualmente-grave/>. Acesso em 21 dez 2021
Revisão médica:
Dr. Arthur Frazão
Clínico geral
Médico generalista, especialista em Oftalmologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, em 2008, com registro profissional no CRM/PE 16878